sábado, 12 de maio de 2018

Negro, Pobre e Nordestino no Brasil

Café, Indústria, Bancos e Golpes de Estado, isto é São Paulo

Os negros passaram a ser maioria no Brasil.

Os brancos começaram a reagir coletivamente, usando os governos, as leis, as faculdades e as polícias...

Pela esquerda, o movimento negro cresceu muito e hoje é uma presença inegável. Tão importante quanto o feminismo, que também já correspondem a mais de 50% dos brasileiros e brasileiras.

O Brasil já é um país predominantemente feminino e negro.


Mesmo sendo maiorias, nem os negros nem as mulheres estão nas estruturas superiores da sociedade brasileira. São minoritários nos poderes.

Mas são grandes CONSUMIDORES.


Então, da mesma forma que a sociedade de consumo incorporou os jovens de 1968, o samba, o rock, o rap e o hip-hop, as empresas, as agências de publicidade, os institutos de pesquisa e os acadêmicos começam a se interessar elos afro-
brasileiros.

If black is beautiful, Black is money, too.



Neste final de semana surgiram dois bons estudos sobre os negros no Brasil.


Um no caderno de fim de semana do bom jornal Valor, "Novas faces da negritude", escrito por Carlos Rydlewski, e outro foi mais um livro que envolvem os negros no Brasil, "Dicionário da Escravidão e Liberdade - 50 Textos Críticos", de autoria da professora Lilia Moritz Schwrcz e do professor Flavio dos Santos Gomes.

Os afro-descendentes no Brasil já são 55%.


Já pensaram se eles fizessem uma campanha tipo "Negro vota em Negro!"? Ou "Não comprem tais produtos?"

Estima-se que os negros movimentaram R$ 1,6 TRILHÃO no ano passado. Mesmo com a crise.

Este lado consumidor, também esconde que os negros estão entre os mais pobres entre os pobres, entre muitas coisas.

Se forem negros, pobres e nordestinos, serão mais excluídos ainda. Principalmente se migrarem para São Paulo.

São Paulo cresceu economicamente com o boom do café, depois com a industrialização, depois com o governo federal sob controle paulista, com a concentração econômica em São Paulo, os bancos privados nacionais e internacionais também se concentraram em São Paulo.

E com tanto poder, o estado de São Paulo aprendeu que "perder era ruim para São Paulo" e aí, toda vez que a maioria do Brasil votava ou derrubava um governo federal controlado por São Paulo, este derrubava e derruba os governos.

São Paulo odeia tudo que lembra Getúlio Vargas,
proibindo que haja logradouros, rodovias e entidades com nome de Getúlio. Já com nomes de militares golpistas o Estado tem de tudo.

1964 foi um golpe contra a Revolução de 1930.


2014 foi um golpe contra a Redemocratização do Brasil
e a democracia que possibilitou os trabalhadores serem maioria no governo federal, a ganharem governos estaduais, municipais e até criarem os BRICS. Um acinte para os conservadores. Derrubaram o governo de Dilma e estão proibindo Lula de ser candidato a presidente da República.

E quando surgiu um negro dizendo que seria candidato a presidente
, foi convencido pelas "forças ocultas" a desistir da ideia. Foi como se os conservadores dissessem: Cada um no seu lugar...

O tempo passa, o tempo voa, e o povo brasileiro, composto de homens e mulheres, negros, brancos e tantas outras etnias, com tantas religiões e culturas, o povo ainda vai encontrar seu caminho e aí

Viveremos um grande carnaval, como diz Chico Buarque.

Só para lembrar: ELEIÇÕES SEM LULA É FRAUDE.


Nenhum comentário:

Postar um comentário