sábado, 5 de maio de 2018

Moro é o chefe dos golpistas?

Ou é executor graduado mas não o Big Boss?

Incomoda-me esta história de que Moro é o grande estrategista do golpe ou o chefe da máfia do judiciário.

Mouro é importante, mas na hora que as forças ocultas quiserem acabar com o lava-jato ou mudar os rumos da encenação jurídica, será fácil, fácil. Já fizeram isto muitas vezes na história da humanidade e do Brasil.

Quem são as forças ocultas, então?


Em primeiro lugar
os empresários, liderados pelo sistema financeiro nacional e internacional;

Em segundo lugar
o agronegócio,

Em terceiro lugar
os partidos que não conseguiam e não conseguem derrotar Lula e o PT em condições normais
eleitorais, jurídicas e econômicas.

Em quarto lugar
as Igrejas Pentecostais com sua grande bancada federal, soube negociar caro seu apoio e seus votos. É só verificar o vídeo da votação do impeachment.

Em quinto lugar
, o papel operador e inescrupuloso do Judiciário, que contou com o silencio cúmplice da OAB -Ordem dos Advogados do Brasil;

Em sexto lugar
e o mais importante de todos, tem sido o papel da imprensa, começando pela TV, as rádios, os jornais, as revistas e as redes sociais.

Em sétimo lugar e de forma camuflada,
vem o apoio direto dos Estados Unidos e seus aliados internacionais.

Conseguiram unificar uma grande maioria
, controladora dos aparelhos do Estado e dos aparelhos privados, isto é, a direita brasileira saiu do armário e declarou que não aceitaria mais Dilma no governo e não aceitaria mais Lula candidato.

E o Povo que vá à luta se quiser eleger Lula,
se quisesse manter Dilma na presidência e se quiser restabelecer a maioria petista nos poderes legislativos, nos executivos e nas entidades do Estado.

Vivemos a apropriação do Estado pelos empresários e seus aliados golpistas.


A direita pode dizer que o fato de o Parlamento ter aprovado o impeachment, a autorizou a se apropriar de tudo, principalmente porque naquele momento, segundo as pesquisas, a maioria da população lhe dava razão e poderes para fazer o que estava fazendo. O quê incluia acabar com a aposentadoria, com o emprego formal e com as políticas públicas.

Isto é, o povo, liderado pela classe média, deu poderes para os neoliberais acabar com os parcos direitos que o povo tinha. É o síndrome de Estocolmo. Onde os escravos e dominados cultuam os senhores e dominadores. Nesta lógica, jamais os hebreus teriam deixado de ser escravo no Egito antigo.

Da mesma forma que os conservadores acabaram com Jesus Cristo, acabaram com Espártaco, Joana D'Arc, Tiradentes e tantos outros, eles ao assumir que agora são direita, conservadora e que rasgará a Constituição toda vez que o povo tentar derrotá-los, estão destruindo a autoestima brasileira e acabando com a soberania nacional.

Tudo isto contando com o silêncio cúmplice das Forças Armadas...


Mas o povo perdoa mas não esquece. Vejam o que está acontecendo na Argentina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário