quinta-feira, 10 de maio de 2018

Argentina: Eu sou você amanhã

O fantasma do FMI

A imprensa brasileira não está sabendo como abordar a crise argentina.

Como a imprensa apoiou o golpe e é parte da direção deste governo ilegítimo, a imprensa está com medo dos reflexos econômicos e políticos no Brasil. Principalmente porque temos eleições gerais neste ano.

Mas, timidamente, nos cadernos de economia, as fotos e as manchetes dramáticas vão aparecendo...

"NÃO AO FMI! e BASTA DE TARIFAÇOS E AJUSTES!"


Estas são as palavras de ordem dos manifestantes. Muitos deles que votaram no Macri, neoliberal e entreguista como nosso governo. A diferença é que Macri foi eleito, enquanto aqui no Brasil houve um golpe de Estado.

Lembrando também que, no governo Lula, nosso governo pagou o devia ao FMI e ficou credor.


Os tempos são outros? Na crise de 2008 Lula conclamou os brasileiros a resistirem e deu certo. A crise azedou no governo Dilma e implodiu com o golpe de Estado.

Os empresários e neoliberais mentem para o povo, dizendo que tudo vai melhorar e, depois de eleitos, fazem TARIFAÇOS, AJUSTES, procuram o FMI, aumentam a pobreza, a concentração de renda e acabam com a soberania nacional, deixando o país nas mãos dos banqueiros.

Vejam o caso argentino e comparem com o Brasil. Tudo a ver, como diz a Globo.

1 - A argentina vive uma crise cambial,


- com uma forte DESVALORIZAÇÃO DO PESO,
- tem um ROMBO NAS CONTAS PÚBLICAS,
- e também luta para controlar a inflação, na casa dos 20% ao ano
- (aqui no Brasil a inflação é baixa, mas o CUSTO DE VIDA é ALTÍSSIMO - mostrando a INFLAÇÃO REAL).

2 - Vejam as EXIGÊNCIAS DO FMI:


- impor limites ao GASTO PÚBLICO, o que pode reduzir investimento ou CORTAR REAJUSTES AO FUNCIONALISMO;
- REFORMA DA PREVIDÊNCIA
- PRIVATIZAÇÕES.


Como vocês podem vir, o Brasil não vai ao FMI, este governo ilegítimo já faz tudo que o FMI manda, sem receber empréstimos em troca. O Brasil é mais barato e os empresários são mais entreguistas...

Governos que mentem, roubam, vendem a soberania nacional
, aumentam a pobreza e a concentração de renda e usam o judiciário e a imprensa para enganar o povo. Esta é a realidade que vivemos nos países pobres.

Já os países mais ricos, vivem crises de legitimidade
mas se submetem às eleições democráticas, respeitam as regras constitucionais e mantêm as políticas públicas para preservar a qualidade de vida do povo.

Retomaremos os empregos, os salários, as políticas públicas
e as eleições democráticas em processo pacífico, ou

teremos que convocar um LEVANTE NACIONAL?

Nenhum comentário:

Postar um comentário