domingo, 1 de abril de 2018

Brasil - Mentiras e Verdades

O Brasil que não dá certo?

Dois lados de uma mesma história


“Dia da Marmota, artigo de Vera Magalhães, O Estado de S.Paulo, publicado hoje, 1º. de Abril 2018 | 05h00.”

Como o artigo de Vera Magalhães está bem escrito, vou mostrar que, mesmo reconhecendo a qualidade na forma, podemos mostrar que os fatos podem ter outra interpretação, levando o leitor a avaliar qual versão é verdade e qual é mentira. Ou ainda, se há várias versões que podem ser consideradas verdadeiras, dependendo da grau de motivação do leitor.

A numeração servirá para mostrar como a visão conservadora justifica “sua verdade” e o número com uma letra maiúscula servirá para mostrar nossa leitura, ou “nossa verdade”. Cabe ao leitor escolher qual versão melhor se aproxima da verdade.

1 - O Brasil parece viver, sem perspectiva de acordar,
uma versão nada engraçada do Dia da Marmota vivido por Bill Murray no filme “O Feitiço do Tempo”.

1A – O Brasil parece viver uma síndrome de repetição negativa,
também conhecida como “Síndrome do Vira-Lata”. Tem tudo para ser rico, mas sua elite se vê como vassala, servil ao colonizador ou ao conquistador, seja ele inglês ou americano.

2 - Quando se pensava que avanços no combate à corrupção
, algum crescimento econômico e a perspectiva de eleições logo ali seriam a fórmula mágica para fazer o País acordar da repetição infindável de suas mazelas, eis que um conjunto de acontecimentos faz com que abramos os olhos de volta praticamente à estaca zero.

2B – O parágrafo acima parte do desejo dos golpistas consolidarem sua ditadura civil
, que impeça Lula de ser candidato e que a palavra final NÃO SEJA DO POVO, mas sim do judiciário que também participou diretamente do golpe de Estado. Para os golpistas, a democracia aristocrática é decidida pelas empresas, cabendo ao povo apenas trabalhar e ficar à serviço dos empresários.

3 - Há quatro anos, a Lava Jato desnudou
o maior e mais abrangente esquema de corrupção da história do País, capitaneado por PT, MDB e seus sócios minoritários, com tal força e amplitude que, de quebra, estourou também esquemas passados e paralelos de PSDB e adjacências.

3C – No parágrafo acima está uma outra grande “mentira”, ou “manipulação”, ou “meia-verdade”, ou ainda uma “verdade conservadora” que serve de sofisma para toda a argumentação vindoura. A ideia de “neutralidade” da Justiça é uma farsa, uma mentira escandalosa.

A operação Lava Jato foi um mecanismo criado premeditadamente pelos golpistas
e visava a derrubada do governo do PT, já que o PSDB não conseguia ganhar as eleições democraticamente. O embrião do golpe passa necessariamente pelo Lava Jato e pelo Judiciário. Os sustentadores do governo ilegitimo de Temer são tão corruptos como qualquer outro acusado pelo judiciário partidarizado e manipulador.

4 - O STF, então, deu em 2016 uma contribuição
decisiva para esse enredo, ao decidir que o cumprimento da pena de prisão deve se dar após a condenação em segunda instância. Agora, o retrocesso se avizinha com a grande probabilidade de a mesma Corte, dois anos depois, rever a jurisprudência.

4D – A Lei da Ficha Limpa foi criada no governo do PT para combater a corrupção
, porém, o próprio PT subestimou a forma como foi regulamentada a lei, facilitando seu uso político e partidário. A estrutura do Estado brasileiro ainda está totalmente subordinada ao judiciário, ao executivo e ao legislativo, sendo também vulnerável ao assédio da imprensa e a sua ação articulada com interesses escusos internacionais.

O processo do MP contra Lula em relação ao apartamento triplex é a maior farsa jurídica da história do Brasil. É muita imaginação combinada com necessidade de agilizar os processos em função do calendário eleitoral e a necessidade de impedir Lula de ser candidato. O resto é consequência...

5 - Quando parecia que Michel Temer tinha conseguido
, à custa de doses cavalares de fisiologia e um trânsito político melhor que o de Dilma Rousseff, adiar seu encontro com a Justiça para depois de concluir seu mandato, eis que estamos de volta a 2017, com um presidente da República prestes a enfrentar mais uma denúncia do Ministério Público por crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A terceira no intervalo de menos de um ano.

5E – Vejam que os golpistas também reconhecem que seu novo governo é ilegítimo e corrupto
, deixando em segundo plano a corrupção e priorizando a questão eleitoral. O importante é manter um governo, mesmo que corrupto e ilegítimo, mas que seja subserviente aos empresários e a política neoliberal, além de entregar a soberania nacional aos estrangeiros.

6 - Num País que insiste em reviver seus pesadelos
, a economia, que dava sinais de reação depois de anos de desvario dilmista, já vê seus agentes pisarem no freio e as projeções de crescimento ou recuperação do emprego recuarem.
O Brasil é um país que se acostumou a viver num stop and go em que mais para do que anda, em todas as esferas.

6F – O maior erro da presidente Dilma foi nomear o neoliberal, Joaquim Levy,
para ministro da Fazendo. Cabendo a este executar um programa neoliberal que foi rejeitado pelo povo. Isto foi mortal. Já as crises decorrentes do governo neoliberal e entreguista, esta foram previstas pela esquerda e pelos progressistas como Belluzzo.

7 - E de onde partem, hoje, as maiores razões de incerteza institucional a impedir que o País acorde de vez do Dia da Marmota?

7G – Será que os responsáveis estão apenas no Judiciário?


8 - Justamente do Supremo Tribunal Federal, uma Corte cujo nome é no singular, mas a ação se dá num plural desconjuntado que atordoa uma sociedade enfastiada de um presente eterno em que a regra é a impunidade e nunca se vira a página.

8H – A regra no Brasil é a impunidade?
A quem interessa manter esta regra da impunidade? Será que é aos pobres? Ou é exatamente aqueles que vivem se apropriando do Estado para manter suas riquezas e se aliar aos estrangeiros para se sentirem protegidos?

9 - A briga entre Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso
e o adiamento do julgamento do habeas corpus de Lula foram a demonstração pública, televisionada, de um tribunal cindido em dois grupos.

9I – O STF não tem apenas Barroso e Gilmar Mendes.
Lá tem onze ministros e ministras que representam o calor dos debates nacionais neste momento. Concordamos que o judiciário precisa acabar com a vitaliciedade como também precisa estar mais subordinado ao povo brasileiro. Este sim deve ter a palavra final.

10 - A discussão sobre a prisão após segunda instância
é o ponto mais sensível dessa divisão, e a exacerbação da tensão em torno do assunto foi contribuição decisiva da presidente, Cármen Lúcia, que sonegou a discussão de mérito definitiva do tema de modo a fazer com que, agora, ela se confunda com a decisão sobre a prisão ou não de Lula.

10J – A imprensa golpista está exigindo que o STF condene Lula
, impeça sua candidatura e ainda determine a sua prisão. A imprensa está exigindo subserviência do judiciário aos desejos dos golpistas representados pela imprensa brasileira. Isto não é democracia.

11 - O petista foi condenado em duas instâncias,
e teve seus embargos recusados por unanimidade em minutos. Se o Brasil fosse um País disposto a seguir em frente, já teria de haver uma regra clara, e uniforme, a determinar a partir de quando cumprirá sua pena. Regra esta que valeria para ele e para todos. Mas não há, e a culpa dessa total insegurança jurídica e política é do STF.

11K – “Se o Brasil fosse um país disposto a seguir em frente”
ouvindo o desejo do povo brasileiro, colocando seu aparelho do Estado a serviço do povo, contribuindo para o Brasil ser uma grande nação, se fosse livre e democrático o correto jamais seria ter existido esta farsa de processo montado para condenar Lula e envergonhar o Brasil internacionalmente.

12 - Enquanto uma ala da corte parece agir pra frear
a velocidade do trem da Lava Jato, a outra trata de acelerá-lo, como seu viu nesta semana com a operação que levou para atrás das grades os amigos de Temer.

12L – As alas do STF, da imprensa, do congresso nacional e da sociedade representam sim um grande impasse, um grande dilema para o Brasil: Democracia com transparência e liberdade, ou ditadura civil, corrompendo, mentindo e condenando baseado em delações baseadas em mentiras, coações e torturas.

13 - A Suprema Corte tem de falar por último
em momentos capitais da vida de uma nação. Que os ministros se odeiem e tenham suas simpatias políticas, o problema é deles. Mas urge que se dispam de suas vaidades e preferências, vistam suas togas e ajam com a responsabilidade e a unidade que seus cargos exigem.

13M – A palavra final deve ser do povo.
Que se faça nova Constituinte novos Plebiscitos para o povo soberanamente decidir. O judiciário atual carece de legitimidade e de transparência para decidir acima do Congresso Nacional e do Povo brasileiro.

14 - E que indiquem qual o caminho para fazer o Brasil acordar
do pesadelo regressivo a que está preso.

14N – Se o judiciário quiser recuperar sua autoridade,
sua dignidade e seu compromisso com a história e com o povo brasileiro, que se convoque uma Nova Constituinte livre e soberana, cabendo ao povo a palavra final. Democracia é o governo do povo, para o povo e com o povo.

Concluindo, a negação do golpe como ponto de partida para o Golpe de Estado
versus a manutenção de um governo democrático, mesmo com dificuldades, é pré-requisito da democracia. A derrubada de um governo eleito foi o primeiro golpe de Estado, depois vieram outros golpes como a entrega de nossas riquezas e a perda de nossa soberania nacional, tudo isto aprovado por um congresso nacional que não foi eleito para este fim. O projeto neoliberal golpista foi rejeitado pelo povo brasileiro.


Democracia só se aprende praticando.

Um país como o Brasil só consegue andar com firmeza se tiver o apoio imprescindível de seu povo e contar com um Estado de Direito garantido por uma Constituinte Livre e Soberana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário