sábado, 31 de março de 2018

Militares de 1964 e 2018, 54 anos vos separam

Em 64 os militares foram às ruas por uma ideologia,
em 2018 se calam enquanto o país perde a Soberania


31 de março de lá e de cá...

Qual a diferença entre 1964 e 2018?


São muitas:

- uma delas é a guerra-fria e a guerra-quente;

- os conservadores se esconderam atrás da guerra-fria

- Hoje já não existe o debate esquerda-direita, existe o debate entre governo popular e democrático versus governo neoliberal com democracia de fachada.

- o povo está silencioso, decepcionado com os dois lados, tanto a esquerda que melhorou a economia e a qualidade de vida, mas não acabou com a corrupção; quanto a direita que trai o povo em todas as oportunidades. é da natureza da direita ser golpista. Já a esquerda, tem dificuldade de fazer as reformas estruturantes.

- o povo, nas pesquisas, quer a volta de Lula à presidência, algo que já queria em 2014.

- já a direita, além de não querer que Lula seja candidato, também não aceita que o povo não lhe obedeça.

- em 1964 o mundo vivia o auge do poder americano;

- em 2018 o mundo vive a emergência da China como país mais rico e poderoso da Terra;

- em 2018 o mundo ver, pela primeira vez, a Alemanha ser o principal país da Europa;

- mas em 2018, mesmo sem a guerra-fria, o mundo continua vendo a força da Rússia;

- ainda em 2018, o mundo vê a presidência dos Estados Unidos ser exercida por um louco.

- também em 2018, o mundo vê o Brasil ser sucateado, dilapidado, privatizado e vendido a preço de bananas aos estrangeiros, tudo isto acontece em um governo onde o presidente é do PMDB, mas quem manda na economia é o PSDB, neoliberal e o maior entreguista da nossa história. Nem a UDN era tão entreguista...

Mas o PSDB pensa que o povo, silencioso, vai votar nele, como os paulistas votam para o governo de São Paulo. Agora, até o candidato do governador do PSDB, é do PSB. Ironia do destino...

O povo pode não saber o quê é Soberania Nacional,

mas o povo sabe que voto e crescimento econômico tem tudo a ver,
e este governo, além de ilegítimo e golpista,
é incompetente na economia.

É um governo que desonra o Brasil.

sexta-feira, 30 de março de 2018

Eleições no Egito e no Brasil

No Egito 60% não foram votar...

Ganhou o general-candidato único com 92% dos votos. Houve um outro nome, mas era laranja do ditador do Egito e serviu apenas para tentar dar uma fachada de "eleições democráticas como no Ocidente".

No Brasil já existe, por enquanto, três ou quatro candidatos governistas e golpistas; quatro candidatos de centro-esquerda, dois ou três candidatos mais à direita. Portanto teremos mais de 10 candidatos à presidente.

Mas, como no Egito, a tendência é que os ditadores-civis brasileiros reduzam seus candidatos a apenas dois ou três, usando as leis arbitrárias e o apoio do judiciário para impedir que Lula seja candidato e também criar dificuldades para os candidatos à esquerda.

Por enquanto, nem a direita está se entendendo...


O principal candidato dos golpistas continua sendo Alckmin, governador de São Paulo, estado monopolizado pelo PSDB e principal articulador de golpes de Estado. São Paulo insiste em mandar no Brasil, aliando-se aos Estados Unidos e prejudicando a economia nacional.

Alckmin quer ser o candidato WxO, isto é, na hora "h", apenas ele será considerado apto pela ditadores do judiciário...

Já nas eleições de 2016 mais de 1/3 dos eleitores ou não compareceram, ou anularam o voto, ou votaram em branco, evidenciando assim o descontentamento e a falta de legitimidade do sistema eleitoral brasileiro.

Eleições sem legitimidade são comuns no mundo de hoje, são as ditaduras civis que substituiram as ditaduras militares dos anos 60.

No Brasil, deram um golpe de Estado, depois compraram o congresso nacional para aprovar reformas contrárias à maioria dos políticos, que tinham sidos eleitos pelo programa de Dilma e Lula, estes políticos venais e subordinados aos empresários, banqueiros e latifundiários aprovam tudo que os patrões querem, principalmente se for para facilitar a venda da riqueza nacional...

Depois do golpe de Estado, estão usando o poder judiciário
para, com processos manipulados e insustentáveis perante o mundo, estão querendo proibir que Lula seja candidato, caracterizando mais uma fraude eleitoral como forma de tentar legalizar a ditadura civil.

O problema é que os golpistas, como dizia Garrincha, ainda não combinaram com os russos... Os golpistas estão esquecendo de combinar com o POVO BRASILEIRO.


E o Povo Brasileiro quer LULA PRESIDENTE.

Alalaiou, ô, ô, õ, ô,
Oh que calor, ô, ô, ô,

Viemos do EGITO,

e muitas vezes nós tivemos que rezar,
Alá, meu bom Alá...

quinta-feira, 29 de março de 2018

CASSI do BB e as eleições

Sindicalistas se dividem, e perdem as eleições

Vinha acompanhando a campanha eleitoral da CASSI e imaginando que a chapa que contava com a participação ativa de William seria a vitoriosa, tanto pelo belo trabalho desenvolvido por William como pelo amplo apoio dos sindicalistas. Nosso sindicato, dos bancários de São Paulo também apoiou a chapa 1.

Ontem à noite, enquanto acompanhava o jogo do Corinthians contra o São Paulo, tentei verificar o resultado da Cassi e não consegui. Só vi o resultado depois da meia noite. Venceu a chapa 4. Fiquei imaginando o por quê, apesar do belo trabalho de William e o apoio de grandes sindicatos, a chapa 1 perdeu...

Hoje, lendo os comentários de Mario Rossini, fiquei mais em dúvida ainda.

Será que os sindicalistas perderam somente porque a chapa 4 é da "empresa"? Será que a divisão foi determinante? Os números dão a impressão que sim. Afinal, foram 58.603 votos contra 36.942 da chapa 4. Será que a mensagem da campanha não estava equivocado?

Como teremos o congresso da Contraf-CUT, vou pedir mais explicações aos colegas do BB e aproveitar para sugerir que haja um ponto no Congresso sobre eleições internas nas estatais e também nos bancos privados.

Minha solidariedade para com os companheiros da chapa 1 e minha torcida para que a CASSI continue a ser defendida e protegida por todos os funcionários do BB, da ativa e aposentados.

Vejam abaixo as informações apresentadas por Mario Rossini e Claudio Viola Pinheiro.

Eleições na CASSI do Banco do Brasil

Mario Rossini:

- Encerrado quarta-feira, 28 de março de 2018, o processo de consulta ao corpo social da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil, a Cassi, para renovação de parte de sua direção. A entidade é a maior e mais antiga autogestão em saúde do país, pertence aos funcionários da ativa e aposentados do BB e tem gestão compartilhada entre patrão e trabalhadores, de forma paritária.

A vitoriosa foi a Chapa 4 - Mais União, com 36.942 votos.

Nossa Chapa 1 Em Defesa da Cassi
ficou em segundo lugar, recebendo 30.632 votos.

A Chapa 3 Você na Cassi - recebeu 16.659 votos, e a

Chapa 2 "Vem pra luta, a Cassi é nossa"
recebeu 11.312 votos.

Estas defendiam princípios semelhantes de solidariedade e fortalecimento da ESF/CliniCassi e participação social e representativa (política) receberam 58.603 votos.


Cláudio Viola Pinheiro:

- Meus pêsames pelo resultado. A chapa dita "independente", apoiada pelo Banco e que defendia (mesmo que tentasse negar com subterfúgios) a quebra da solidariedade, via estatuto, jogou tudo no discurso de atacar sindicatos, sindicalistas e partidos políticos, no afã de cooptar funcionários e ex-funcionários como seus eleitores.

- Lamento profundamente que gente comprometida com o BB e não com seu corpo funcional, sem experiência alguma nos assuntos da CASSI, vá nos representar. Mais um passo no rumo da inviabilização da CASSI e do enfraquecimento da luta do corpo funcional/aposentados do BB.

- Como lição fica a realidade de que a divisão de alguns beneficia os de sempre. Muita gente que se iludiu com o canto da sereia vai lamentar logo ali adiante.

Against violence in Brazil. Save Lula

In defence of Lula, of democracy and against violence in Brazil

We are outraged and extremely worried by the news that former President Lula's political convoy suffered a criminal attack, including gunshots, yesterday in the State of Paraná after a week of violent hostilities by fascist groups against participants in his convoy in the south of Brazil, without proper response by the police authorities.

This extremely serious episode comes after an escalation of attacks on democracy in the country: ranging from the systematic sabotage after the 2014 presidential election, to the parliamentary coup d’état that deposed the elected president Dilma Rousseff in 2016, the attack on social programs and the fundamental rights of workers, the deterioration of the economy resulting in thirteen million unemployed people, to the intensification of the practice of lawfare against former President Lula by sectors of the country's judiciary, which is seeking to prosecute and condemn him without any evidence.

The international trade union movement has recognized, in many opportunities, the important contribution, which extended beyond Brazil, made by the governments of President Lula in creating an international paradigm of economic growth with social inclusion through the generation of employment and income for millions of Brazilians, combining national sovereignty and international solidarity.

In the same way, in recent years, we condemned the 2016 coup d'état, perpetrated on behalf of interest groups and resulting in the loss of national patrimony and serious deterioration of social and workers' rights.

Therefore, we stand in full solidarity with former President Lula and the hundreds of thousands of people, who have participated in the various democratic and peaceful demonstrations in support of him throughout the country, and especially in the most recent ones in the south of the country.

We defend his constitutional right to prove his innocence by appealing the absurd convictions by politicized sectors of the lower courts, as well as to uphold his constitutional right to free movement, to speak out freely and to run for the next presidential election.

We call on the Brazilian authorities to rigorously investigate and punish the perpetrators of these criminal attacks against the lives of the participants of former President Lula's convoy, and to ensure normalcy and peace in the exercise of the political process, so that Brazil can resume a democratic coexistence

quarta-feira, 28 de março de 2018

Brasil está virando Colômbia

Um país controlado pela direita?

A Colômbia, desde 1948, ficou dividida entre os grandes proprietários exportadores e vinculados aos Estados Unidos de um lado, e o povo convivendo com a pobreza e a exclusão. Os assassinatos de lideres populares e sindicais era rotina. Neste clima, cresceu a economia, cresceu a boa imagem dos ricos mas também cresceu o narco-tráfico.

Nos últimos anos, a Colômbia tem vivido uma campanha de pacificação e inclusão do povo e até dos guerrilheiros na vida democrática. Mas a direita continua matando, só que em menor quantidade.

Enquanto a Colômbia melhora, o Brasil piora...


O Brasil cresceu muito de 1930 para cá. Lembrando que 1930 foi quando os militares acabaram com a República Velha e São Paulo, que até então mandava sozinho, teve que compartilhar o poder econômico e político com o Brasil liderado por Getúlio Vargas. A elite paulista nunca perdoo Getúlio por isto.

Em 1964 São Paulo recuperou o poder político, acabou com as liberdades e as organizações dos trabalhadores. São Paulo aliou-se aos americanos na guerra fria mundial e assim soube aumentar seu poder econômico e político. Mas a ditadura militar tinha que acabar, São Paulo não esperou que o Brasil derrubasse o governo militar, liderado pelo empresariado paulista e contando com as grandes mobilizações populares e de classe média, a Democracia foi restabelecida em 1985, realizando-se uma Constituinte para que o Brasil tivesse uma Constituição civil e moderna.

Com a democracia e a nova Constituição de 1988, o Brasil viu, pela primeira vez, uma coligação de centro-esquerda ganhar as eleições, promover a maior inclusão econômica e social da história do Brasil e, viu também, o primeiro operário e a primeira mulher serem eleitos presidentes do Brasil pela primeira vez. Apesar do medo, as elites conservadoras aceitaram estas modernidades. Mas, quando a economia começou a engasgar, a direita não esperou outra oportunidade, deu mais um golpe de Estado.

Agora a direita quer uma Democracia sem povo.


A direita quer que o Brasil tenha uma democracia de fachada, onde apenas os conservadores possam ser eleitos, onde as empresas sejam as grandes beneficiadas com o crescimento econômico e onde o povo seja apenas consumidor e mão de obra barata.

A direita perdeu a vergonha e quer garantir o controle do Estado, da imprensa e do judiciário. Para isto, se necessário, mandarão matar o Lula e seus seguidores, como já matou muitos lideres rurais e muitos padres e freiras. Agora atira em caravanas e comícios de Lula. A direita tem medo e ódio do povo e de pobre.

O modelo da direita é a Colômbia, mas, se precisar, faz do Brasil uma Venezuela ou um Egito.


Precisamos atualizar nossas estratégias, precisamos agir como Gandhi com suas manifestações na Índia. Precisamos organizar o povo, ajudar a ganhar as eleições em todos os estados brasileiros, eleger o presidente, eleger governadores, senadores, deputados estaduais e deputados federais. E, se a direita suspender as eleições, devemos exigir a derrubada deste governo ilegítimo.

Na democracia quem decide é o POVO.


Eleições sem Lula é fraude.

terça-feira, 27 de março de 2018

Os incompreendidos de Truffaut

O Brasil e o mundo também estão incompreendidos

"Alguma coisa está fora da ordem...
da nova ordem, mundial"
Canta Caetano Veloso.

Realmente, o mundo está em transição profunda, e
o Brasil passa por seu pior momento social, político e econômico.

Inconscientemente, quando estamos confusos, gostamos de pegar um livro par ler, ou assistir a um filme, ou ainda ouvir uma série de músicas. Tudo isto que nos lembra alguma coisa do passado, leve e saudável...

Hoje, o canal CULT, vai passar mais uma vez um dos filmes mais importante da história do cinema. Um filme simples, preto e branco, que será mostrado a meia noite...

Hoje, temos "OS INCOMPREENDIDOS" - Les quatre-cents coups
.
Filme de TRUFFAUT, de 1959.

Ano que surgia a BOSSA NOVA, o CINEMA NOVO, OS HIPPIES, e tanta coisa nova...

O bom crítico de cinema do Estadão, Luiz Carlos Merten, escreve um belo resumo:

"O longa de estreia de Truffaut, que se inspirou na própria vida, e o personagem Antoine Doinel virou seu alter-ego, sempre na interpretação de Jean-Pierre Léaud.

Garoto criado em reformatório, SEM AMOR, Doinel foi sendo seguido pela câmera do autor em momentos decisivos de sua vida.

Considerado um dos filmes definidores da nouvelle vague, Os Incompreendidos tem o que se pode considerar um começo emblemático. A câmera percorre Paris, passa pelo ferro (a Torre Eiffel), a pedra, até se deter no rosto do menino.

No desfecho, ele corre para o mar, símbolo de liberdade, e a imagem inspirou Glauber Rocha na cena final de seu clássico Deus e o Diabo na Terra do Sol.

Apadrinhado por Jean Cocteau, que integrava o juri do Festival de Cannes, Truffaut recebeu o prêmio de direção.

E o filme tem Jeanne Moreau numa participação especial."

Lendo o Estadão de trás para frente, você primeiro vê coisas maravilhosas como a chamada para este filme. Só o final é que vamos ver as baixarias da política brasileira... Experimente ler o Estadão de trás para frente. Você sofre menos.

Afinal, o fim pode ser o começo e o começo também pode ser o fim.

A direita atiçada

O vale-tudo contra Lula

A direita brasileira perdeu o pudor.
Virou cucaracha, perdeu a vergonha e conta com o apoio também da imprensa de direita e com o apoio dos governadores golpistas e suas polícias militares.

Fosse o MST que estivesse fazendo 10% do que a direita gaúcha está fazendo e a canalha fascista estaria pedindo proteção das FORÇAS ARMADAS.

Os petistas, como se fossem jovens estudantes, mostram-se surpresos com tanta violência e tanta conivência. Esquecem que o Brasil sempre tentou esconder seu lado violento. No Brasil, pobres e negros raramente enfrentaram os latifundiários e empresários gananciosos e inescrupulosos. Aqui o lema sempre foi "manda quem pode e obedece quem tem juízo".

Agora, a luta de classe está explicitada.
Já não dá para segurar, como cantava Gonzaguinha...


Não é o povo gaúcho que está contra Lula. Estes manifestantes conservadores, são os mesmos que lutaram contra os Tenentes em 1922, são os mesmos que foram contra Getúlio em 1930 e são os mesmos que foram favoráveis ao golpe de 1964, e participaram ativamente deste Golpe de Estado contra Dilma e contra o PT.

No Rio Grande do Sul também tem o povo que elegeu Olivio Dutra,

Paim, Tarso Genro e tantos outros políticos do PT e da esquerda.

Mas o PT não deve viver de passado, precisa entender esta nova realidade e se preparar para enfrentar todos os representantes do conservadorismo. A baixaria vai ser diária... Precisamos "Orar e Vigiar".

Teremos que aprender a conviver com "a Paz armada".

O Brasil está se transformando num México,
ou numa Israel, ou talvez numa Venezuela...

Lula não pode aceitar provocações.

Lula deve continuar dialogando com o povo brasileiro.
Lula deve continuar sua pregação nacional e internacional
Lula não deve estimular violências.

É preciso saber combinar o tático com o estratégico.
é preciso pregar a solidariedade, a fraternidade,
é preciso pregar o Brasil para todos, com todos
e de todos.

Precisamos garantir que haja eleições honestas,
transparentes, com a participação de Lula e
de todos que queiram ser candidatos.
Eleições sem Lula é fraude.

Na Democracia, quem decide é o POVO.


domingo, 25 de março de 2018

600 mil acessos, 3.255 postagens, 128 países

Eu gostaria de falar mais das coisas boas

Para quem não é jovem, não é jornalista de grande veículo de comunicação e não entende de informática, chegar aos números que este blog chegou neste domingo não deixa de ser uma proeza.

Lembro-me que os funcionários da formação do Sindicato dos Bancários
montaram o blog e me pediram para contar os causos e os casos do sindicalismo, da política, da cidadania e da vida. Eles disseram que bastava um caso por dia que, com o passar do tempo teríamos uma coletânea.

No início a sensação era que ninguém lia,
mas pingavam alguns leitores. Depois, alguns incomodados sugeriram que eu parasse de externar minhas opiniões, mas a ampla maioria dos amigos pediu para eu continuar escrevendo.

Muitos amigos e amigas pediram-me para falar das flores, das famílias, da cultura, do esporte e da qualidade de vida. Pediam-me também para evitar escrever como um "militante raivoso", coisa que nunca fui, mas que as redes sociais estavam cheias. Como desaprendi a postar as flores e as músicas no blog, passei a mostrar as flores somente no facebook. Coisa de velho.

Durante esta caminhada pelo blog, fui convidado a contribuir com a CUT, ajudando o primeiro bancário a fazer um bom mandato e ajudando a direção a ter um bom desempenho sindical, político, econômico e administrativo. Ajudar os novos dirigentes a praticar algo importante para o Brasil: CIDADANIA e SOLIDARIEDADE.

Tenho falado pouco das flores e assim visto alguns amigos se distanciarem.
Tenho falado pouco de cultura, mas uma parte da culpa é da imprensa nacional.

Gostaria de falar mais das crianças, da importância da educação, da formação e da consciência social.
Gostaria de falar mais da importância das Políticas Públicas e da Economia para todos e todas.

Nesta caminhada, tive que aprender a conviver com algo que nunca imaginei: o mal de Parkinson, com seus reflexos e com os remédios caríssimos. Recentemente tive que aprender a conviver com a morte de um irmão. Algo novo na nossa família tão ativa e tão religiosa.

Mais do que a doença e a morte, o mais triste foi ter que aprender a conviver com mais um Golpe de Estado no Brasil, aprender a conviver com um Congresso Nacional desmoralizado, um Judiciário desacreditado e uma imprensa cínica e mentirosa.

Com o Golpe de Estado, tivemos que aprender a conviver com as delações vergonhosas, com a covardia do empresariado e com a fraqueza dos movimentos de Esquerda. Como parte do golpe de Estado, tivemos que conviver com a prisão de um grande militante, preso por ser tesoureiro do PT, sendo que vai completar três anos de prisão política e injusta.

Até falar de amor tem ficado mais difícil.


São mais de 600 mil acessos,3.255 postagens, 128 países e mais um Congresso Nacional dos Bancários, organizado pela Contraf-CUT, em abril próximo.

Na última quinta-feira, na mesma sala onde começamos o blog, um colega olhava para uma foto sobre o computador e eu expliquei que aquela foto era de uma assembleia, num sábado de 1991, para continuar uma greve que foi vitoriosa. Na mesa, acompanhando os trabalhos estava nossa filha com apenas seis anos de idade. Hoje é uma médica e já vive com seu namorado. Nova vida deu certo, apesar do golpe de Estado.

Os sindicalistas precisam continuar a cuidar de suas famílias, sem deixar de continuar a organizar a Classe Trabalhadora.

Confesso que tem hora que tenho vontade de parar de escrever.
Tem hora que achamos que "eles venceram", mas, logo em seguida leio algo sobre a resistência das plantas, resistência dos animais e dos mares. E esta resistência me estimula a continuar escrevendo.

Bem que eu gostaria de escrever para vocês sobre o direito de Lula ser candidato, ser eleito e voltar a governar este Brasil, como nunca aconteceu na História deste país...

Sem medo de ser feliz!
A luta continua...

Que venham mais 600 mil acessos.

Racismo, Política e Ódio no Brasil

E o "Brasileiro Cordial"?

O Estadão de hoje publicou no Caderno Aliás duas ótimas matérias. Uma de capa com entrevista do professor português que dá aula em Londres, sobre o racismo e outra matéria sobre mais um livro publicado em português sobre "As mil e uma noites". O Estadão quando quer, dá banho na Folha.

O livro sobre o racismo chama-se:


Racismos: das cruzadas ao século XX, o autor é Francisco Bethencourt, a editora é a Cia das Letras. O livro tem 548 páginas e o preço é de R$ 74,90.

Vejam como o professor fala coisas que lembram o Brasil:

1 - O que procurei demonstrar no livro é que não existe um racismo atávico inato a todos os seres humanos e que O RACISMO É PRECONCEITO de origem étnica combinado com ações discriminatórias.

2 - O racismo sempre aparece ligado a uma luta pela monopolização dos recursos econômicos, sociais e políticos.

3 o- Há sempre um movimento político por trás de ações racistas.

4 - Os Estados Unidos define raça por hipodescentência, isto é, a pessoa pode ser considerada negra tendo uma ascendência africana muito tênue. No Brasil, a diferença é que não existe essa regra. É o elemento social que predomina. O elemento social predomina.

5 - Numa sociedade como o Brasil as pessoas mais pobres são mais negras e, portanto, essa herança da escravatura se perpetua. Quem nasce com essa origem e não tem oportunidade de subir na escala social está em uma espiral de pobreza.

Já os árabes, continuam nos ensinando...


O artigo do Estadão, no caderno Alias, sobre "AS NOITES DE SHERAZADE E DO REIXARIAR", escrito pelo professor da USP, Flávio Ricardo Vassoler, é uma preciosidade.

O nome do livro é "Livro das mil e uma noites", tradução de Mamede Mustafa Jarouche e a editora é a Biblioteca Azul. O preço é mais acessível R$ 59,90.

Vivemos uma época da humanidade onde o preconceito, o racismo e o ódio estão contaminando a política. Mesmo o Brasil que sempre foi "cordial", liberou seus demônios e agora o ódio está presente em todos os lugares.

Será que estamos precisando de uma "Sherazade"?


"Uma vez um homem misterioso caminhava a esmo
por uma estrada vestido com uma roupa grosseira. Súbito, o sapiente Luqman perguntou ao andarilho:

"Quem és tu, ó homem?" Respondeu: "Um filho de Adão".
Perguntei: "Qual o teu nome?". Respondeu: "Tenho de ver como me chamarei".
Perguntei: "O que fazes?" Respondeu: 'ABANDONO O MAL'.

sábado, 24 de março de 2018

Brasil contamina até o futebol

A Democracia é o que está menos importando

O governo faz o que querem os golpistas;
O parlamento vota o que os golpistas querem;

A imprensa publica o que quer, independente dos fatos;
A imprensa está mandando na política,
embora erre algumas vezes, como a Globo com Temer.

O Judiciário tem sua imagem cada vez mais desgastada.
As Igrejas vão deixando de falar de política, com medo...

O povo vai ficando cada vez mais exposto e fragilizado,
levando tiros com balas perdidas,
morrendo por encomenda e ficando desempregado,
ou subempregado.

E o custo de vida cada vez mais alto,
com o dinheiro cada vez mais curto.
Matando os velhinhos e os doentes.

Até nossa seleção brasileira,

que todo mundo achava que Tite tivesse curado,
de repente, aparece o Tite como garoto-propaganda de banco,
defendendo a lava jato e clamando por condenação de Lula.

A ditadura militar usava muito o crédito do futebol,
Na ditadura civil, a seleção não precisa ser usada
para defender este governo ilegítimo
e sem autoridade para falar em ética.

Qual é o limite para tanta barbárie?


Estão vendendo tudo que é brasileiro,
vendendo até nossa Soberania Nacional.

Todo mundo está topando tudo por dinheiro?

Vão fazer eleições de fachada
ou vão deixar Lula ser candidato?

A palavra final deve ser do POVO.

sexta-feira, 23 de março de 2018

Imprensa contra o Judiciário

A minha verdade é diferente da sua

Qual, então, é a verdadeira verdade?
Nas ciências sociais, ambas podem ser verdadeiras...

Diferente da comparação entre um gato e um cachorro. Ou é gato, ou é cachorro.

Fomos educados aprendendo que as verdades eram ditas pelos pais, depois pelos padres, depois pelos professores e, nas escolas, aprendemos que as verdades estavam nos livros, que os juízes eram sábios e que os advogados cuidavam de ajudar as pessoas a usarem as leis em sua proteção e defesa.

Todos estes representantes das verdades eram diariamente utilizados pela imprensa, rádios, jornais, revistas e TVs, formados por pessoas bem informadas e bem intencionadas, honestas e neutras. Todas elas buscando conquistar a confiança do povo e dos clientes...

Aos poucos vamos descobrindo que todas estas verdades são versões de verdades, tudo passa a ser relativo e passamos a ter uma certa desconfiança de tudo.

Mas, o mais desagradável é quando vemos a imprensa tomar partido, fazer campanha partidária e dizer que é neutra, fazer campanha contra os juízes e o judiciário só porque eles não aprovaram o que a imprensa queria.

O quê a imprensa brasileira, em todos os níveis,
vem fazendo de ontem para hoje
em relação a decisão do STF é uma vergonha!

O pior é que estes juízes e representantes da Constituição fazem de conta que não é com eles, não rebatem as acusações da imprensa. Calam subservientemente...

Agora a imprensa quer censurar as redes sociais, como a Igreja Católica tentou calar os protestantes na época da Reforma. Esta imprensa brasileira representa o passado. Não reconhecem o novo, a liberdade e a democracia.

Para a imprensa brasileira, o quê não for a posição dela, é fake, é falso, é mentira...

A imprensa brasileira revelou-se UMA FARSA!

quinta-feira, 22 de março de 2018

6 a 5 no STF e Corinthians 2 a 0, Vitórias de Lula

Um pouco de alegria no meio da baderna institucional

"Ponha um pouco de amor na sua vida"
já cantava Vinicius de Morais...

O Brasil está passando por um período de ódio de classe que nunca teve antes. Estamos parecendo que o Kosovo é aqui. Que o Iraque é aqui. Que o México mudou para cá e que resolvemos assumir nosso lado cucaracha, subdesenvolvido, oportunista e desqualificado.

As instituições estão em crise profunda, carecem de legitimidade e de responsabilidade social, fazendo com que o medo vença a esperança.

A redemocratização do Brasil criou uma expectativa de que os setores progressistas da sociedade se uniriam para ajudar o Brasil a ser o país da "bola da vez internacionalmente". No entanto, a inveja, a falta de formação de valores democráticos e sociais e os interesses escusos levaram o Brasil para "a volta ao passado".

É como se tivéssemos medo do futuro...


Lula foi o presidente que mais alegria trouxe ao Brasil, que contribuiu para que todos os segmentos da sociedade ganhassem dinheiro. Banqueiros, latifundiários, assalariados, comerciantes, exportadores, agricultura familiar, professores, bolsistas, profissionais liberais, montadoras e tudo o mais, todos melhoraram de vida.

Quando pensamos que o Brasil voltaria a ter paz e progresso com nova eleição de Lula para presidente, eis que os invejosos, os que sempre mamaram no aparelho do Estado, se juntaram para impedir que Lula seja candidato.

Como não conseguem ganhar de Lula no VOTO, decidiram roubar a bola do jogo e dar um GOLPE DE ESTADO, combinado com uma infinidade de processos jurídicos fajutos, manipulados, montados em delações de corruptos, corruptores, ladrões e tudo que fosse necessário.

E como não podiam falar da importância do voto, passaram a falar da importância da lei...
Mas não a lei que serve para punir todos de igual forma, é uma lei seletiva e diferenciada.

A lei que serve para os petistas, não serve para o PSDB.

Este processo do triplex da OAS usado para adequar o processo contra Lula ao calendário eleitoral é a coisa mais ridícula que o judiciário brasileiro já produziu.

Os fins justificam os meios?


A partir daí fazendo com que os processos jurídicos sejam viciados, sofismáticos e que sirvam para impedir a candidatura de Lula e impedir que o povo melhore de vida, impedir que os empresários brasileiros se tornem competitivos internacionalmente e impedir que o Brasil seja uma grande Nação.

Depois de tanto sofrimento e tanta perseguição,
eis que Deus resolveu dar duas alegrias para Lula:

Uma bela vitória do Corinthians,

e uma belíssima vitória no STF,

Mesmo que seja por apenas alguns dias, afinal, ser petista, corinthiano e operário também dá direito a ter um pouco de alegria.

Vamos comemorar com Lula.
Quem sabe assim possamos ajudar o Brasil a voltar a ter paz e progresso para todos...

quarta-feira, 21 de março de 2018

Racismo e autocritica na National Geofraphic

Autocrítica faz bem à saúde

Em bela reportagem a revista National Geographic reconhece que tinha valores racistas.

Vejam um dos textos que o Estadão publicou sobre o assunto:


‘National Geographic’ reconhece
que fazia cobertura racista de minorias

Redação - O Estado de S.Paulo - 13/03/2018, 15:58

A editora-chefe da revista 'National Geographic' assinou um editorial na edição de abril mostrando os resultados de um estudo admitindo que as reportagens da publicação tinham teor racista até a década de 1970 Foto: Joel Boh/Reuters

Em editorial na edição de abril deste ano da revista norte-americana National Geographic, a editora-chefe da publicação, Susan Goldberg, publicou um editorial com o título "Por décadas, nossa cobertura foi racista. Para superar nosso passado, precisamos reconhecê-lo". O texto traz os resultados de um estudo em parceria com John Edwin Mason, pesquisador da universidade da Virgínia, em que ele analisou as reportagens da revista desde seu lançamento em 1888. Mason descobriu que, até a década de 1970, negros e povos indígenas eram tratados como exóticos pela publicação.

“Resumidamente, o que Mason descobriu é que até a década de 1970 a National Geographic ignorava os negros que viviam nos Estados Unidos e quando chamava a atenção deles era por serem trabalhadores domésticos ou braçais”, escreveu Goldberg. “A revista também retratava povos indígenas como exóticos, sem roupas, caçadores felizes, nobres selvagens — os mais diversos clichês”, continuou no editorial.

“É doloroso revirar essas reportagens chocantes do passado da revista, mas, quando decidimos falar sobre raça na edição deste mês, decidimos que precisávamos examinar a nossa própria história antes de escrever sobre o assunto”, falou a editora-chefe da publicação. “O nativo fascinado pela tecnologia ocidental era um tema recorrente na nossa revista e criou uma dicotomia de nós e eles, entre o que é civilizado e o que não é”, afirmou.

Goldberg, que é a primeira mulher a assumir o cargo de editora-chefe da revista, concluiu dizendo que desde então a revista melhorou sua cobertura sobre minorias, mas que ainda há muito a ser feito. “As revelações feitas no estudo mostram que a National Geographic precisa fazer mais para se afastar de vez do espírito colonialista e elitista no qual foi fundada no século 19”, finalizou a editora.

Carmen Lúcia e a Imprensa estão deixando Andrézinho louco

Armação ilimitada... Haja coração!

Eles não contam a técnica pra vcs, mas a gente conta...

André Luís Rodrigues

21/03/2018 – André no Facebook •

Alguns, com quantidade de neurônios adequada, devem estar se perguntando o pq a imprensa está dando tanto destaque para o assassinato de Marielle, uma "radical" de esquerda e, inclusive com tv's e rádios insistindo em desmentir as calúnias que os fascistas inventaram sobre Marielle. Parece nobre a atitude da imprensa. Mas não é de graça não.

É politicamente bem calculado.

Se num primeiro momento não era possível fazer de conta que era só mais um assassinato no RJ e num segundo momento não era possível ignorar a repercussão internacional, o terceiro momento trouxe uma pergunta: que proveito podemos tirar dessa morte?

Em 2013 a imprensa soube direitinho como tirar proveito da situação.

E agora está fazendo o mesmo.
Como assim? Fácil. Vc passa uma ideia de democrático, que dá espaço para a esquerda e dá a entender que há uma esquerda que se corrompeu e que não merece mais atenção. O cadáver de Marielle é ótimo para isso. Afinal, ela não existe mais. Façamos as devidas homenagens, pressionemos para que achem os culpados e pronto. A imprensa "limpa" sua barra.

Mas não é só isso que está acontecendo.

A imprensa, sempre bem combinada com Sergio Moro e o STF, fez duas "coisinhas", visando a "naturalização" de suas teses.
A primeira foi Moro pedir a prisão do presidente da Engevix, argumentando que ele foi condenado em segunda instância, emitindo inclusive um texto arrogante, sugerindo que o STF ameaçava rever prisões e que isso é um perigo.

A imprensa, de mãozinhas dadas com Moro, mostrou exaustivamente o presidente da Engevix: um senhor de cabelos branquinhos, de aparência frágil, em imagens antigas, sendo conduzido à polícia. Tipo, "Aqui, a lei é para todos!".

Subliminarmente, impossível não pensar em Lula, que, já com mais de 70 anos e cabelos ralos e condenado (sem provas, diga-se) também pode ser preso. "Natural", né?

Se o velhinho da Engevix pode ser preso, pq Lula não pode?
Inicia-se assim uma naturalização das coisas, não interessando se há provas ou mesmo se a pessoa é inocente.

Se pavimenta um sentimento de vingança, de punição, mesmo que não se saiba com certeza porque.
Depois, vem a segunda jogada.

Botam a Cármen Lúcia, presidenta do STF para dizer, obedientemente, que não vê sentido em "não prender" quem foi condenado em segunda instância.

Veja o absurdo da coisa: a presidenta da maior instância da justiça no país, jogando no lixo o princípio do "Transitado em julgado ".

Prenda-se e pronto. Depois vemos se é inocente ou se há provas.
Mas, finalmente, não parou por aí.

Desde ontem à imprensa não para de falar do ex-presidente da França, Nicolás Sarkozy, que foi detido para esclarecimentos sobre supostas propinas e financiamento ilegal de campanha, com dinheiro, pasmem, de Muhamad Kadhafi, presidente assassinado da Líbia, com apoio inclusive do próprio Sarkozy.

Querem fazer sua cabeça que será "normal" prender Lula.
O que significa tirar da disputa presidencial o único que realmente tem base social para "chutar o balde" (coisa que ele deveria ter feito antes, é bom que se diga) e anular as atrocidades que o traidor Temer promoveu.

Não há provas contra Lula.
Contra os que acusaram Lula e Dilma sobram provas materiais, documentais e malas e malas de dinheiro. Observe-se também que apesar de todas as provas, nenhum tucano foi preso.

Fica uma pergunta.

Lula, desde 1978 é o cara mais vigiado do Brasil. Ficam à espreita, para pegá-lo no 1° Real que ele pegar ilicitamente. Nunca provaram nada e muito menos acharam qq centavo que não tenha sido devidamente declarado ou ganho.

André, deixa de ser chato, qual é a pergunta? Que saco, fica dando voltas...
A pergunta é:

Lula é um gênio ou somos 207 milhões de incompetentes que não conseguimos provar que ele de fato roubou alguma coisa?

Vai aparecer alguém ak e perguntar: e os delatores, André?
E eu respondo já: um delator é um corrupto assumido que só quer escapar da prisão e preservar os milhões que não acharam. Quanto vc acha que vale a palavra de um delator assim?

Desculpem a longa reflexão. Pensem nisso.


Nota do blog:

Se estão conseguindo deixar uma pessoa experiente e culta como Andrezinho quase doido, imaginem o que eles estão conseguindo fazer com as pessoas mais simples. Lembrem-se de 1984 de George Orwell...

A Folha, os Estados Unidos e o Iraque

Faltou um parágrafo...

A Folha ontem fez um bom artigo sobre os 15 anos de invasão ao Iraque e a desorganização do Oriente Médio pela ação belicosa dos Estados Unidos.

Registrei no blog a importância da matéria e observei que tinha faltado uma palavra sobre o fato de a Folha ter apoiado e feito a campanha dos Estados Unidos, mesmo a ONU não apoiando a invasão e não havendo provas contra o Iraque.

Hoje a Folha fez um EDITORIAL.

Também muito bem feito e com observações relevantes.

O curioso é que a Folha insiste em não citar uma palavra sequer sobre o fato de o jornal ter apoiado e ter participado da campanha americana.

Não tenho nada contra o jornal ter posição permanente de apoio incondicional aos Estados Unidos, como xerife do mundo.

Mas a Folha não precisa camuflar sua posição. Ela pode assumir seu lado. O NYTimes assume e tantos outros jornais também assumem.

Mesmo que fosse no último parágrafo do Editorial a Folha poderia escrever:

"O tempo possibilita ver com mais nitidez o que era certo e o que não era recomendável. Apesar da violência do atentado de 11 de Setembro, o governo americano poderia ter agido em parceria com a ONU, preservando-se de ser acusado de imperialista e desorganizador do Oriente Médio.

A Folha, mesmo apoiando incondicionalmente os Estados Unidos, deveria ter garantido a existência de diversas posições sobre a invasão ou não. Em não tendo feito isto, a Folha ficou passível dos mesmos erros do governo dos Estados Unidos."


Simples, transparente e sem necessidade de deixar de apoiar os Estados Unidos.

Não deixei de assinar o jornal, mas fico decepcionado com posturas dúbias. Como o fato de ter apoiado e ser uma das articuladoras do golpe de Estado contra Dilma e o PT e ao mesmo tempo querer falar da democracia nos outros países.

Quem acaba com a democracia no seu país, não tem autoridade para falar dos governos dos outros países...

terça-feira, 20 de março de 2018

15 anos no Iraque. Mentiras e Verdades

Invasão do Iraque em 2003 desorganizou o Oriente Médio

A Folha publica hoje um bom artigo sobre os 15 anos do inicio da invasão do Iraque pelos Estados Unidos. Pena que, por alguma razão, esqueceram de registrar que, mesmo sabendo que o argumento usado para justificar a invasão era falso - todos sabiam que o Iraque não tinha bombas atômicas - a Folha apoiou a invasão e a guerra.

Antes tarde do que nunca, mas a Folha já foi mais independente...
Se tivesse mantido a neutralidade, em nome da verdade, não precisaria fazer autocritica ou se omitir.

Além da gravidade da destruição física e social, com a morte de centenas de milhares de pessoas, a destruição de museus históricos insubstituíveis e a destruição de imóveis, a grande transformação causada no Iraque foi os americanos tirarem o poder das mãos dos SUNITAS e entregar aos XIITAS. Levando esta disputa religiosa para toda a região, já que o Irã acabou sendo beneficiado, já que o Irã é XIITA.

Por tabela os Estados Unidos ajudaram o Irã, hoje, um país bem mais forte do que em 2003.

Mesmo quando o tempo possibilita saber as verdades, isto não recupera as vidas e as cidades e países que foram destruídos com as guerras motivadas por mentiras...

segunda-feira, 19 de março de 2018

Gilmar Mendes vai resolver a situação de Lula?

Gilmar Mendes será relator do habeas corpus coletivo
contra prisão em 2ª instância

Estadão/msn.com – 19/03/2018

O ministro Gilmar Mendes na tarde da sexta-feira 16 será o relator do habeas corpus coletivo contra a prisão de condenados em segunda instância no Brasil. A ação é assinada por dez advogados da Associação dos Advogados do Estado do Ceará (AACE) e busca beneficiar todos aqueles que se encontram presos e os que estão perto de receber uma ordem de prisão em tal estágio processual, em que ainda restam recursos nos tribunais superiores.

+ Movimentos pedem ao STF a manutenção de prisão em 2ª instância
+ Prisão em 2.ª instância ‘acaba com faz de conta de ações que nunca terminam’, diz Moro

O pedido chega ao Supremo exatamente às vésperas do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) pautar o julgamento dos embargos de declaração da ação envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Se a Corte de Porto Alegre rejeitar o recurso, o ex-presidente poderá ter a prisão decretada. Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês de reclusão, no caso do tríplex do Guarujá.

+ Lava Jato no STF: quatro anos de impunidade garantida
+ Juiz pede perdão a Gilmar por ‘mala grande’ e ‘quantia alta’

O habeas corpus ataca diretamente o que chama uma "omissão" da presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, ao não pautar as duas ações declaratórias de constitucionalidade (ADCs) que discutem a tese geral sobre se é cabível um réu ser preso antes do encerramento de todos os recursos possíveis. Foi num primeiro julgamento sobre estas ações, em outubro de 2016, por 6 votos a 5, que o Supremo firmou a jurisprudência atual de que é possível a prisão em segunda instância. Há chance de reversão no caso de uma nova discussão porque o ministro Gilmar Mendes já anunciou que mudará de voto.

Como é contra um ato da presidente da Corte, de acordo com o regimento do STF, só poderia ser julgado no plenário, afastando a possibilidade de julgamento na Segunda Turma, onde a maioria dos ministros é contra a prisão em segunda instância. Este cenário leva a uma situação insólita de que, se o ministro relator afetar o caso ao plenário, a própria presidente - responsável pela pauta - não poderia participar do julgamento.

A concessão de habeas corpus no Supremo é algo extremamente raro, mas já aconteceu neste ano, em um julgamento na Segunda Turma do STF, que decidiu, por maioria de votos, determinar a substituição da prisão preventiva pela domiciliar de todas as mulheres presas, gestantes e mães de crianças e deficientes que estejam sob sua guarda, cabendo aos juízes de execução penal aplicar outras medidas que considerem necessárias.

O habeas corpus a favor das grávidas e mães foi apresentado inicialmente pelo Coletivo de Advogados em Direitos Humanos (CADHu), mas ficou posteriormente registrado como sendo de autoria da Defensoria Pública da União (DPU), após o órgão se manifestar a favor do pedido, quando recebeu do relator Ricardo Lewandowski os autos para manifestação.

Gilmar x Janot:

A última semana foi marcada por novos embates entre o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Na segunda-feira, Gilmar criticou o que chamou de "abuso" nas investigações e Janot rebateu dizendo que críticos querem "defender amigos poderosos". Durante julgamento na Corte, nesta quarta-feira, o ministro voltou a criticar o Ministério Público. Mas não é de hoje que os dois trocam farpas. Relembre alguns embates entre Gilmar e Janot.

A última semana foi marcada por novos embates entre o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Na segunda-feira, Gilmar criticou o que chamou de "abuso" nas investigações e Janot rebateu dizendo que críticos querem "defender amigos poderosos". Durante julgamento na Corte, nesta quarta-feira, o ministro voltou a criticar o Ministério Público. Mas não é de hoje que os dois trocam farpas.

Relembre alguns embates entre Gilmar e Janot.

Em março deste ano, Gilmar acusou a Procuradoria-Geral da República (PGR) de divulgar de forma indevida informações de processos sigilosos, como da Lava Jato. Ele defendeu a anulação de depoimentos de delação premiada divulgados pela imprensa e disse que "vazamento é eufemismo para um crime que os procuradores certamente não desconhecem".

No dia seguinte, sem mencionar o ministro do STF em seu discurso, Janot rebateu as críticas de Gilmar. "Não vi uma só palavra de quem teve uma disenteria verbal a se pronunciar sobre esta imputação ao Congresso, ao Palácio e até o Supremo”, disse o PGR. “Alguns tentam nivelar a todos a sua decrepitude moral, e para isso acusam-nos de condutas que lhes são próprias".

Após Gilmar conceder habeas corpus a Eike Batista, Janot pediu que o ministro fosse declarado impedido de atuar nesse caso. Segundo o procurador, surgiram questionamentos sobre a "isenção do ministro", já que sua mulher trabalha no escritório que atua na defesa do empresário.

Foi a primeira vez que a PGR pediu o impedimento de um ministro do STF.

Embora a crítica não tenha sido diretamente a Janot, durante o julgamento que poderia cassar a chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), presidido por Gilmar, o ministro rebateu o vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, que pediu o impedimento do ministro Admar Gonzaga. "O MP não pode surpreender o tribunal", disse Gilmar. O ministro disse, ainda, que as instituições “têm de se conter, não podem usar poderes do Estado como selvagens”.

Gilmar criticou duramente o que chamou de 'abuso' nas investigações, em Pernambuco, nesta semana. "Expandiu-se demais a investigação, além dos limites". O ministro também levantou críticas sobre investigações "na calada da noite, em ações controladas", uma referência à gravação do empresário Joesley Batista com o presidente Michel Temer. "Não podemos despencar para um modelo de Estado policial".

No dia seguinte, sem citar Gilmar, Janot afirmou que há pessoas que acusam o MP de "exagero" e de que o Brasil está vivendo um Estado policial. "A real preocupação dessas pessoas é com a casta privilegiada da qual fazem parte. Empunham estrepitosamente a bandeira do Estado de direito, mas desejam mesmo é defender os amigos poderosos com os quais se refestelam nas regalias do poder", disse o procurador.

Durante julgamento no STF que debateu nesta quarta-feira, 21, os limites de atuação do magistrado nos acordos de delação premiada, Gilmar tomou a palavra para se manifestar contra o MPF. "Veja, a Procuradoria pode muito. Mas pode tudo? É isso que a lei autoriza?", questionou Gilmar. O ministro sugeriu que a PGR tem extrapolado em alguns acordos de delação. "A Procuradoria assumiu agora a função legislativa no âmbito de acordos?"

Nada impede que Gilmar Mendes envie o novo habeas corpus à DPU para que se manifeste sobre se endossa ou não o pedido. A Defensoria Pública da União (DPU) já atuou nas duas ações que tratam da execução provisória de pena e, na ocasião, se manifestou a favor de que seja aguardado o trânsito em julgado, isto é, o esgotamento de todos os recursos.

domingo, 18 de março de 2018

O meu, o seu, o nosso e o deles...

Os desafios da Democracia no Século 21

O mundo moderno vem trazendo grandes transformações nos padrões de consumo e de vida de toda a população da Terra.

Mesmo países mais pobres, como Brasil, Índia e China, além dos países africanos, da América Latina e boa parte da Ásia a evolução da qualidade de vida é significativa.

Os pobres usam celulares, andam de carro, dormem em colchões de qualidade, têm assistência médica, transporte coletivo de qualidade e acesso às escolas,sendo que em boa parte dos países, também tem acesso à educação.

O grande desafio é quanto a QUALIDADE DESTES SERVIÇOS.


Qualidade tanto em relação aos custos, como também quando se compara a qualidade dos produtos oferecidos e se há liberdade de informação e comunicação ou não.

A grande preocupação das pessoas é, em primeiro lugar, com o "meu", isto é, suas garantias, sua renda, sua qualidade de vida e, também, seu futuro.

Há também uma preocupação com o que é "seu". Isto é, o que você tem que eu também tenho, ou ainda, o que você tem que eu não tenho...

Já o "nosso", quando nosso padrão de vida é relativamente igualitário, isto é, todos têm acesso ao mesmo padrão de saúde, educação, transporte, emprego e aposentadoria.

O grande desafio comparativo é em relação ao que é "deles", isto é, aquilo que você não tem acesso, mesmo que estude muito, tenha saúde e trabalhe muito.

Como equilibrar o Estado, os governos com as iniciativas privadas, com as necessidades das famílias, tudo isto num ambiente de liberdade, de paz e de diversidade?

Enquanto o Brasil está passando por um período de regressão, de perdas de bens e de conquistas sociais, econômicas e políticas, nós constatamos o progresso da Índia, a consolidação da China como maior economia do mundo e até eleições na Rússia, reforçando seu lado de contraponto aos Estados Unidos militarmente, enquanto a China se contrapõe economicamente...

Quantas guerras teremos que fazer e conviver

até aprendermos a combinar o "meu", com o "seu",
com o "nosso" e com o "deles"?

A democracia pode ser mais difícil que as guerras, mas, com certeza, é menos trágica. Precisamos fazer grandes reformas no Brasil e no mundo...

Reforma Tributária, reforma eleitoral, reforma dos poderes, reforma da aposentadoria, reforma do ensino, reforma da educação e do transporte e também a reforma da Cidadania.

O Brasil não pode se transformar num México ou numa Venezuela...


O Brasil precisa ser de todos os brasileiros, precisa ser uma grande Nação, livre, democrática e soberana.

O Brasil precisa ser de todos e todas...

sábado, 17 de março de 2018

A destruição da BRF, da Petrobras, etc

Estão destruindo a BRF

Não conseguindo resolver as disputas internas na BRF somente entre os acionistas, os golpistas e entreguistas das riquezas nacionais, usando diretamente o próprio governo, estão suspendendo as exportações da BREF para União Europeia.

Talvez queiram obrigar Abilio Diniz a sair do negócio.

Talvez queiram forçar a queda de preços para a empresa ser vendida a alguém já combinado - como o PSDB fez na privatização do Banespa.

Talvez queiram entregar a empresa para o pessoal da Sadia, identificados pelo Fundo Tarpon.

Como o Brasil não tem transparência para todos, a transparência tem partido, tem lado e também gosta das "forças ocultas", talvez os brasileiros jamais saberão o que está acontecendo.

Os golpistas e neoliberais defendem o "Estado mínimo", mas, sempre que precisam usar o Estado contra seus concorrentes, são os primeiros a usar as instituições do Estado em benefício próprio, inclusive usando instituições como Banco Central, Receita Federal e a própria Polícia Federal.

Abilio Diniz bem que podia contar tudo o que está acontecendo. Como a imprensa não publicaria, Abilio pode lançar um novo livro

sexta-feira, 16 de março de 2018

Mariella foi EXECUTADA, assassinada, violentada, roubada e muito mais

Um retrato do Brasil

1 - Mariella pode ter sido executada

Por quadrilhas sejam ela composta por milicianos (policiais fora do expediente), policiais militares usando pessoas para executar o crime, traficantes, ladrões comuns que usam armas de fogo para matar qualquer cidadão ou ainda por um militar das Forças Armadas.
Executada de forma planejada, a mando de alguém e os executores são profissionais, gente que sabe atirar na hora certa e no lugar certo.

2 – Mariella foi assassinada

Também por qualquer uma das alternativas anteriores. Os assassinos podem não ter sido mandados nem orientados pelas “forças ocultas”, mas, ao matarem uma vereadora, mulher, negra, militante de qualidade e articulada mundialmente com os direitos humanos, Mariella deixa de ser apenas uma pessoa para ser um símbolo da impunidade e da desorganização da Sociedade Brasileira.

3 – Mariella foi violentada ao interromperem uma vida brilhante e um futuro cheio de realizações.

4 – Mariella teve sua vida roubada. Tem algo pior do que isto?

Ao ver as capas dos jornais de hoje e olhar os canais de TVs, não podemos deixar de fazer a pergunta:

E se Mariella não fosse vereadora, como seria a repercussão?

Quantas Mariellas morrem todos os dias e não ficamos sabendo?

Um outro Brasil é possível e necessário.

quinta-feira, 15 de março de 2018

Duas lideranças populares do Rio de Janeiro

Todos estamos passíveis de ser executado pela violência

Vejam uma liderança popular do PT falar sobre sua amiga, colega e liderança popular do PSOL. Quando a vida vinha nos distanciando, vem a violência e nos aproxima novamente.

Já dizia o filósofo da época da ditadura militar: "A ditadura nos unifica e a Democracia nos separa".

Nos juntos novamente sob uma ditadura. Só que esta é civil, não é militar.

Vejam também as palavras carinhosas de nossa jornalista, militante e amiga Reiko Miura!

Reiko Miura
15 h · Salvador ·

Este texto do Quaquá, presidente do PT/RJ, traduz meu sentimento sobre a morte da Marielle. Quiseram interromper a trajetória de uma ativista jovem que tinha coragem de denunciar a violência por parte dos agentes do Estado contra a população pobre.

"A execução da vereadora Marielle é um ato gravíssimo. Não porque é um ato de brutalidade e desumanidade sem tamanho. Ato que ela e todos nós convivemos diariamente nas comunidades do Rio de Janeiro. Sobretudo quem nasceu ou vive nas favelas e bairros populares.

Mas Marielle, além da pele negra e do berço de comunidade, que a coloca naturalmente na frente da fila da violência nacional, era uma liderança política nova e promissora. Era uma voz dos que são diariamente humilhados, despossuídos e assassinados nos becos escuros do Rio.

Foi uma das vereadoras mais votadas e teria certamente uma votação consagradora da sua representação para a Alerj esse ano. Era uma voz nova deste povo sem vez. Nove tiros foram dados contra Marielle e os seus naquele carro nas ruas próximas ao Estácio. Ela e seu motorista morreram.

Matar Marielle foi uma ousadia. Nunca o Estado Paralelo que controla ruas, pontos de droga, vendas de gás, gato net, direito a ir e vir, de morar ou andar pelas ruas esquecidas das comunidades teve tamanha ousadia. Matar uma liderança política! Assassinar uma representante do povo cheia de simbolismo e autenticidade. Uma importante liderança do PSOL e do povo carioca e fluminense.

Ou o Rio se une contra o Estado paralelo, que passa cada dia mais a controlar o Estado de Direito, ou acabou pra todos nós! Que a execução da Marielle não seja uma vitória de muitas de seus assassinos, mas que enseje uma reação popular e cidadã para que esse clima de fascismo que domina a sociedade e anima o submundo a assassinar uma vereadora que dava voz ao povo, não engula e assassine cada um de nós!

Cadê os interventores da segurança pública? Cadê o Governo do Estado? Cadê os que dizem estar aí para nos proteger? Um silêncio ensurdecedor é o que vemos das autoridades nestas horas iniciais que se segue a morte da vereadora.

Por Marielle e por todos nós temos que exigir apuração rápida com prisão dos culpados, com sua punição e além disso uma ação firme de desmantelamento do estado paralelo e do fascismo, que ao assassina-la brutalmente pôs a cabeça e o cano de suas armas pra fora em direção a todos."

Washington Quaquá
Presidente Estadual do PT

Brasil, Russia, China, Itália e Estados Unidos

O mundo na encruzilhada

A cada dia que passa mas a sensação de insegurança, incerteza e medo toma conta das pessoas e refletem nas instituições e países.

Vejam as notícias desta semana:

1 - Brasil aguarda ansioso a decisão do STF se vai mandar Lula para a cadeia ou não.


Como todos sabem, o Brasil vive sob um golpe de Estado que tem como principal objetivo impedir a candidatura de Lula à presidência da República. E, para isto, o Judiciário e a Imprensa foram decisivos. Enquanto a imprensa clama pelo ódio e preconceito, o judiciário legaliza a violência à democracia e à liberdade.


2 - Russia passa por mais uma eleição presidencial
neste próximo domingo.

O mundo verá mais uma vez a eleição de Putin, o homem poderoso da Rússia, que estabilizou o país, restabeleceu a autoridade e a capacidade militar. Putin é a única pessoa que os Estados Unidos respeitam militarmente. Enquanto isto, a Europa mantém uma relação de medo e de respeito à Rússia e a Putin.


3 - China muda Constituição
possibilitando que o presidente possa reeleger-se infinitamente...

O capitalismo tem o parlamentarismo que possibilita, por exemplo, Angela Merkel a ter quatro mandatos como primeiro-ministro (a). A China, como um país comunista integrado ao capitalismo mundial, tinha como regra que o presidente teria apenas dois mandatos. Percebendo que não é fácil formar lideranças com grandes qualidades, a China também adequou-se ao parlamentarismo e abriu a possibilidade de ter mais de dois mandatos presidenciais. A China está pronta para ser reconhecida como o país mais importante da Terra.


4 - Itália, mesmo sendo economicamente secundária,
politicamente a Itália sempre serviu de exemplo de crise de governabilidade convivendo com democracia e liberdade. Nesta semana tivemos mais uma eleição que reproduziu o mesmo de sempre. Todos ganharam e todos perderam. La dolce vita...


5 - Estados Unidos continuam sob Trump com suas loucuras...


Crise do aço, crise com imigrantes, crise no Oriente Médio, crise de trabalho decente, etc. O governo americano vive de combater crise externas e internas, refletindo a crise de hegemonia do império americano. Com o fim desta hegemonia, em que o capitalismo consolidou-se como forma de organização econômica combinada com uma democracia do Big Stick, isto é, uma democracia que se caracteriza pela "ditadura da maioria". Os Estados Unidos convivem com imigrantes árabes, latinos, além dos negros e asiáticos, mas a hegemonia é branca e anglo-saxã. Daí decorre a violência histórica quando se sentem ameaçados nos seus valores.

Como vocês podem ver nestes cinco exemplos, o mundo encontra-se numa encruzilhada, tanto em relação ao Modelo Econômico, como em relação ao Modelo Político.

Que Democracia surgirá desta crise imensa que vivemos?


As crise de 1914 e 1940 acabaram com as monarquias e os impérios ingleses e franceses, que foram substituídos por democracias de consumo de massa. Sem apresentação de propostas de economias abertas e que atendam as demandas da população nenhum governo sobreviverá. Nem as democracia sobreviverão...

quarta-feira, 14 de março de 2018

O Brasil está vivendo uma fraude

O pior período da história do Brasil

Vivemos um período que não pode ser esquecido.
Pode até ser perdoado, mas esquecido, jamais...

O Brasil passar por golpe militar era previsível e continua sendo possível de acontecer novamente:

O Brasil ter um parlamento composto por fazendeiros e empresários, além de advogados e médicos, sendo a grande maioria conservadora e até a favor de golpes militares, também é normal;

O Brasil ter uma imprensa medíocre, golpista e cínica, é mais do que compreensível. Nossa sociedade ainda tem pouca cultura e pouca identidade de Nação;

O Brasil ter um empresariado mais vinculado ao imperialismo inglês ou americano, também é mais do que previsível;

O Brasil ter um judiciário que apodera-se das atribuições legislativas e executivas, esta é a grande novidade que vivemos. Mesmo sabendo que o judiciário está sendo acobertado por alguém, como a imprensa, os empresários ameaçados e os empresários golpistas, e, particularmente pela empresas e governos neoliberais.

Todos os processos contra Lula e o PT são processos motivados pela estratégia do Golpe de Estado, para derrubar um governo democrático e popular, desenvolvimentista e de inclusão social intensivo para substituir por um governo NÃO eleito, um governo entreguista e neoliberal, apoiado por um congresso nacional cheio de mercenários e entreguistas, contando com o apoio logístico da imprensa e, principalmente, da impunidade do judiciário.


É claro que ELEIÇÕES SEM LULA É FRAUDE.


É claro que a prisão de Vaccari é POLÍTICA.

Lula pode até dizer que está pronto para ser preso,
mas isto não significa que os processos são honestos,
transparentes e com equidade.

É claro que estes processos têm como objetivo:


- impedir a participação de Lula como candidato

- impedir a participação de Lula como apoiador de candidatos

- impedir que a bancada parlamentar do PT cresça

- impedir que o número de governadores do PT cresça

- impedir que os golpistas sejam derrotados pelo Povo Brasileiro.


terça-feira, 13 de março de 2018

Trump é louco mas não é burro

Protege as empresas americanas contra as estrangeiras

Vejam a matéria com destaque que saiu na Folha de hoje:

"Trump proíbe oferta de US$ 117 bilhões da Broadcom pela Qualcomm"

A Broadcomm é uma empresa de chips de CINGAPURA que fez uma "oferta hostil" tentando comprar a grande empresa americana.

O presidente dos Estados Unidos foi rápido e proibiu a venda. Repetindo o velho ditado de "Faça o que eu digo mas não faça o que eu faço", isto é, neoliberalismo, entreguismo, e venda das empresas nacionais, só para os outros países...

Eles estão fazendo exatamente o contrário do governo brasileiro, que vende até a soberania nacional.


Foi a quarta vez nos últimos 25 anos que um presidente americano proibiu a aquisição de uma empresa do país por uma estrangeira citando preocupações com a Segurança Nacional, diz a Folha.

Se os Estados Unidos estão preocupados com a Segurança Nacional, imaginem com a SOBERANIA NACIONAL?


Nem para imitar a parte boa dos Estados Unidos estes golpistas brasileiros servem...

segunda-feira, 12 de março de 2018

Lava Jato e a pergunta que "não quer calar"

As empresas e os dirigentes estrangeiros são todos honestos?

De repente as pessoas começaram a perguntar nas ruas:


- Se só julgam e condenam pessoas e empresas que atuavam no governo Lula;

- Se o ministério público só abre processos e pedidos de prisões de empresas e empresários brasileiros,

- Será que as empresas e os dirigentes das empresas estrangeiras são todos honestos?


Estas empresas e estes empresários estrangeiros, não são investigados:


- porque são estrangeiros,

- porque são do PSDB.

- ou pelas duas afirmações acima?


Será que as empresas automobilísticas,
que ganharam tanto dinheiro no governo Lula, mas são todas estrangeiras, elas não cometeram erro nenhum, como as construtoras, os bancos, as exportadoras?


Será que este governo está à serviço das empresas multinacionais?
E por isto ninguém é investigado?

Será que os filmes americanos, que mostram tanta corrupção nos Estados Unidos e nas empresas americanas, são fantasias? São de brincadeirinha?

Ou será que nossa "elite" é mercenária? Será?



Com tanta imprensa "investigativa", será que ninguém descobre nada? Nadinha?

Quem será o mandante da prisão de Lula? Será coisa de brasileiro, apenas?

Vocês acreditam que é tudo da cabeça de um juiz e um procurador?



Só sei que, quando nossa filha era criança,
ela adorava assistir ao filme DUMBO, o elefante que voava...

Os governantes brasileiros, o judiciário brasileiro, a imprensa brasileira, os empresários brasileiros...

TODOS TAMBÉM VOAM... são todos DUMBOS.

domingo, 11 de março de 2018

Mais de 4 mil visitas num dia!

Gente de muitos países quer notícias do Brasil

Talvez por ter comparado o Brasil com a Alemanha e a Rússia,

Ou talvez por analisar o papel do Judiciário na nova ditadura brasileira,

Ou ainda por mostrar que a perseguição a Lula é política e que os processos são decorrentes de decisões políticas,

A procura por este blog tem aumentado muito.

Nesta semana chegaremos a mais de 600 mil visitas, com mais de cem países e, somente neste domingo, com mais de 4 mil visitas.


Sempre repito:

A Terra é nossa Pátria e um novo mundo plural, democrático e livre precisa ser organizado.

Obrigado a todos que nos acompanham.

sábado, 10 de março de 2018

Rússia, Alemanha e Brasil, a historia não perdoa

Guerras nacionalistas e acordos entreguistas

A Rússia capitulou e rendeu-se à Alemanha em 1918
, quando assinou o acordo de Brest-Litovsk, aceitando as condições humilhantes apresentadas pelos alemães.

A Rússia estava sob um governo recém instalado e que tentava viabilizar a primeira experiência comunista no mundo.

A Paz Vergonhosa salvaria a revolução comunista mundial, dizia Lênin.


Os alemães comemoram a grande conquista:


1/4 do território da Rússia, que incluía, grande parte da indústria de ferro. reservas de carvão, os russos tiveram que reconhecer a independência da Finlândia, da Ucrânia, da Polônia, da Lituânia e partes da Armênia.

Além das benesses acima, a Alemanha planejava transformar a Estônia, a Letônia e a Lituânia em principados, enquanto a Ucrânia e a Polônia seriam convertidas em ESTADOS VASSALOS. É mole?

Acontece que a Alemanha e seus aliados perderam a guerra
e os países capitalistas salvaram a Rússia do vexatório acordo, obrigando a Alemanha a anular o acordo de Brest-Litovsk.

Os russos perderam a guerra para Gêngis Khan
e aprenderam a usar o seu território como aliado estratégico.

Os russos perderam a guerra para a Alemanha em 1918
e salvaram o governo comunista de Lênin e seus companheiros.

Os alemães ganharam a guerra contra os russos em 1918
e não conseguiram manter suas conquistas tomadas dos russos. A Rússia recuperou seu território graças a interferência da Inglaterra, França e Estados Unidos.

Em 1941
, quando a Alemanha precisava concentrar todo seu poderia para enfrentar os Estados Unidos, que já era a maior potência militar e econômica na época, os alemães esqueceram-se de 1918, como nem sequer lembraram-se de Gengis Khan, os alemães decidiram humilhar, matar e ocupar TODO O TERRITÓRIO RUSSO.

Esta ambição custou-lhe a derrota para os russos e a ocupação da Alemanha por longo período.

O Brasil ainda não aprendeu a defender sua economia, suas riquezas e sua soberania.
O Brasil lutou em poucas guerras e ainda não teve uma guerra de dimensão nacional.

O Brasil ainda não aprendeu a "morrer pelo Brasil" e ainda não sabe o quê é uma Pátria Livre.


No Brasil atual, os golpistas estão fazendo acordos vergonhosos com os estrangeiros
como forma de salvar seu governo corrupto e ilegítimo.

Os empresários, chamados pela imprensa de "mercado", gostariam que não houvesse eleições em 2018 por saber que perderão as eleições.

O judiciário, articulado com a imprensa, manipula, mente e usa de força policial para prender, obrigar a calar e obrigar pessoas a se transformarem em delatores sem compromisso com a verdade. As Forças Armadas continuam caladas, rendidas como os russos da primeira guerra mundial.

Por incrível que pareça,
os russos aprenderam com a história e transformaram seu país numa liderança mundial. Os alemães também estão aprendendo com a história. Já se transformaram na principal economia da Europa, têm um país culto e exemplar politicamente. Mas o mundo ainda tem medo de a Alemanha voltar a ter suas Forças Armadas e querer voltar a morder os calcanhares da Europa e mesmo dos Estados Unidos.

O Brasil, talvez por ler pouco a História
, aprendeu somente o pouco que leu. E, pelo jeito, parou a leitura na primeira guerra mundial.

Um dia ainda aprenderemos a defender a nossa Pátria,

transformando este país numa grande nação e
tendo um povo apoiado pelas Forças Armadas que,

juntos, defenderemos nossa SOBERANIA NACIONAL.


Infelizmente, nem o Judiciário, nem a imprensa, entendem destas coisas...

Vai passar! Dizia nosso cancioneiro Chico Buarque.

Brasil sem governo eleito é mandado pelo judiciário

Na economia, há um governo bate-pau dos neoliberais

Na governabilidade política, todos estão subordinados ao judiciário


O empresariado
, que deveria ser a vanguarda econômica, está acovardado

A imprensa
virou porta-voz dos neoliberais e do dinheiro fácil

O povo,
estarrecido, vê a imprensa dizer que não tem inflação, não tem desemprego e que só tem violência oriunda do narcotráfico.

O povo sente o custo de vida, sente o desemprego, sente a violência direta e indireta no seu dia a dia.


Vejam como os empresários estão passivos:


1 - Chamada principal da Folha de hoje:

Justiça do DF manda soltar o empresário Joesley Batista.


2 - Vejam outra grande chamada interna da Folha de hoje:

Ex-presidente da BRF é solto em Curitiba.



Curiosamente
uma empresa chama-se JBS e a outra chama-se BRF;

Curiosamente
ambas são concorrentes entre si e são do setor de alimentação;

Curiosamente
a Polícia Federal está interferindo diretamente na vida destas empresas;

Curiosamente
ambas estão sendo vendidas por pessoas ligadas ao governo Temer e PSDB;

Curiosamente
tudo indica que os compradores serão estrangeiros...


Tudo isto evidencia
a articulação entre o Judiciário, empresários estrangeiros, governo ilegítimo e muito apoio da imprensa.

Tudo isto também evidencia
que a investigação é seletiva, isto é, escolhe empresas e pessoas a terem suas vidas devassadas e tornadas públicas. A Justiça não tem sido neutra nem transparente.

Você já viu este governo, ou este judiciário,
ou mesmo a Polícia Federal prender e invadir
as empresas estrangeiras e os empresários estrangeiros?

Vamos ver quem serão os compradores destas duas empresas: A JBS e a BRF.


Com certeza, o Brasil ficará mais pobre e com menos soberania nacional.

E as Forças Armadas, ficarão passivas ante tanta destruição do Brasil?


E o POVO
, quando tomará coragem e enfrentará estes mercenários que estão destruindo o Brasil?

Jornais priorizam noticiar o Judiciário

O brasil sob a ditadura do Judiciário

Quem está dando sustentação ao Judiciário?


Vejam a capa da Folha deste sábado:

1 - Justiça do DF manda SOLTAR o empresário Joesley Batista

2 - Ex-ministro Delfim Neto é alvo de buscas da Lava Jato

3 - Gasto com pedidos de remédios na JUSTIÇA cai em SP


Uma notícia muito importante a Folha ESCONDEU da capa e colocou no rodapé da página 4:

"Ministra do STF arquiva inquérito sobre SERRA e JBS"



Pelos títulos e os destaques dados, chegamos a algumas conclusões:


1 - A imprensa está mancomunada com o Judiciário;

2 - Ambos estão mancomunados com o PSDB;

3 - Quais empresários estão aliados com o Judiciário, a Imprensa e o PSDB?

4 - Enquanto algumas empresas e empresários são investigados pela polícia a mando do judiciário, outras empresas e empresários têm acesso a informações privilegiadas do governo golpista;

5 - Curiosamente, a candidatura de Rodrigo Maia e o processo contra Lula, saíram das capas dos jornais.

6 - As empresas brasileiras continuam sendo vendidas à preço de bananas;

7 - As Forças Armadas continuam em silêncio comprometedor;

8 - O povo, aos poucos, vai dando sinais de perda da paciência.

sexta-feira, 9 de março de 2018

STF busca saída para Lula

Lula, o STF e o golpe de Estado:

O crime, o criminho e o crimão


O primeiro crime foi o golpe de Estado que derrubou o governo Dilma.

Entre outros crimes, como o de vender a soberania nacional, os golpistas decidiram aproveitar a baixa resistência aos golpes e resolveram criar uma série de processos com objetivo de jogar Lula na "Ficha Limpa" e impedi-lo de ser candidato.

Só que a direita jurídica entusiasmou-se e radicalizou nos processos, e em vez de apenas impedir Lula de ser candidato, também quer jogar Lula na cadeia, como forma de humilhar, tripudiar e servir de exemplo.

O impasse tomou tão grande dimensão que sobrou para o STF a palavra final.


É dado como certo que os golpistas não admitem a hipótese de Lula ser candidato oficial.

Também é dado como certo o imponderável que significa prender Lula. Imponderável tanto internamente como internacionalmente.

Um crime, o golpe de Estado, abriu a porta para outros criminhos como o processo do apartamento triplex, o que abriu oportunidade para um crimão que é o impedimento da candidatura de Lula e a decisão de prende-lo.

Como o STF pode ajudar a distensionar o Brasil?



Segundo o jornal Valor de quinta-feira, dia 8,


"A solução que se articula no STF para rediscutir a prisão após a condenação em 2a. instância passa pela iniciativa de um ministro em apresentar"em mesa", um habeas corpus que trate do assunto.

A ideia é que o tema seja rediscutido a tempo de evitar prisão de Lula.

Quando o relator leva um processo para julgamento "em mesa", o caso não precisa constar da pauta elaborada pela presidência do STF. A solução aliviaria as pressões sobre a presidente Carmen Lucia, que mantêm a decisão de não parar o assunto."

Ainda conforme o jornal Valor:


"A solução está prevista no artigo 192 do Regimento Interno do STF, que trata do julgamento de pedidos de habeas corpus.

Segundo o artigo 192, quando a matéria discutida no habeas corpus não for objeto de jurisprudência consolidada no STF, o relator ouvirá o procurador-geral da República em dois dias e "apresentará o feito em mesa para julgamento na primeira sessão da turma ou do plenário."

TRADUZINDO:

- A decisão é política, não é jurídica.


Portanto, cabe ao STF:

- dar continuidade ao "vale tudo" que tomou conta do Brasil, ou

- buscar uma solução "negociada" que aponte para a pacificação do Brasil.

quinta-feira, 8 de março de 2018

Agora quem manda no Brasil é o Judiciário

O Brasil da “trapaça"

Agora quem manda no Brasil é o Judiciário.

O hino do Santos Futebol Clube tem um refrão maravilhoso:

“Agora quem dá a bola é o Santos...”

Vejam que belo exemplo do poder do Judiciário no Brasil nas chamadas de capa do jornal Valor de hoje:

1 – Lava-Jato muda perfil do setor de obra pública

2 – Justiça suspende a venda da Itambé à Lactalis

3 – Informações sobre a Trapaça

4 – STF articula solução para o caso Lula

5 – Justiça suspende o direito de vôo de Nelson Tanure na Oi

6 – Maioria do TST ignora reforma e corrige condenações pelo IPCA-E

Seis chamadas de capa na edição do Valor desta quinta-feira ! Podemos acrescentar mais uma chamada que fala sobre empresa brasileira assediada pela Polícia Federal e afetada politicamente.

7 – Bancos cortam limites de crédito à BRF

Depois de tantas lutas pela redemocratização do Brasil, o que estamos constando é que, além do golpe de impeachment, agora temos o Judiciário atacando em todas as frentes e abusando de seus poderes e de suas atribuições.

Quem conseguirá botar limite no Judiciário? As Forças Armadas?

O Legislativo está desmoralizado e os empresários acovardados.

Só nos restam as Forças Armadas e o POVO?



quarta-feira, 7 de março de 2018

Na alegria e na tristeza, amigos

É bom poder contar com os amigos

Nós, os familiares diretos de nosso irmão Gildenor Carneiro dos Santos, que faleceu no último dia 04, domingo, queremos agradecer, do fundo do coração a todas as homenagens e demonstrações de carinhos que recebemos.

Nosso muito obrigado a todos.

Passado cada momento, surgem novos desafios e novas demandas, principalmente para a esposa e os filhos. Estamos juntos para o quê for necessário.

A vida continua...

domingo, 4 de março de 2018

A vergonha de ser golpista

O que importa é impedir Lula de ser candidato?

Os golpistas querem ver Lula condenado, fora das eleições e preso.
Os golpistas sabem que, se Lula for candidato, ganha no primeiro turno.

Logo, mesmo constrangidos por serem favoráveis ao golpe
e à condenação de Lula de forma forjada,
para os golpistas, o que importa é impedir a volta de Lula.
Mesmo que sejam chamados de antidemocráticos e de golpistas...

Os golpistas precisam das eleições
para "legitimar" as reformas criminosas contra o povo brasileiro e contra a Soberania Nacional.

Ao obrigar o povo a votar e usar medidas contorcionistas para impedir que o PT ganhe as eleições, os golpistas dirão aos representantes internacionais que agora foram eleitos para executar o programa neoliberal e que a economia vai melhorar com "o novo governo eleito", mesmo que seja eleito por WxO, como Alckmin pretende se eleger.

Esta semana será mais uma semana decisiva
com o julgamento dia 06 do recurso de Lula no STJ. Mesmo todos sabendo que o STJ é apenas uma etapa para se chegar ao STF, a imprensa irá destacar como "fato irreversível" a condenação de Lula em um processo forjado para condená-lo.

Estes processos são todos programados para tornar Lula inelegível
, humilhá-lo como fizeram com Tiradentes e também para mostrar para o povo o que "a elite reacionária e golpista" faz com quem não lhe obedece. Vocês já ouviram falar em "Yes, man"? É aquela imagem criada para mostrar que "vence na vida quem obedece, quem diz sim". Aos aliados, tudo. Aos inimigos, a lei. Lembram-se?

É preciso resistir, argumentar, desmontar as manipulações, denunciar as omissões e responder a cada provocação. Mas, fazer tudo isto com qualidade, com consistência e com humildade. Precisamos perseverar. Nós estamos com o povo, com o projeto comprometido com o povo brasileiro e com capacidade de provar por a+b que estamos certos.

A verdade nos libertará.

Eleições sem Lula é fraude.

sábado, 3 de março de 2018

Golpistas "por acaso"?

O Brasil nas mãos dos golpistas "por acaso"

O jornal Valor desta sexta-feira, 02 de março, trás no caderno de fim de semana uma entrevista de Wanderley Guilherme dos Santos a Maria Cristina Fernandes.

Wanderley Guilherme dos Santos, entre tantos fatos relevantes tem o mérito de ter previsto o golpe de 1964 em primeiro lugar, quando lançou um livrinho com o título pergunta: "Quem dará o golpe no Brasil", isto em 1962...

Já a jornalista Maria Cristina Fernandes,entre outros méritos, é a melhor jornalista do jornal Valor.

Dois gigantes que poderiam ter um grande furo jornalístico, mas, não sei porque a entrevista saiu "chatinha", provocativa e atirando para todos os lados.

é claro que haverá muito espaço na imprensa para os acadêmicos e personalidades que quiserem criticar Lula e o PT. Isto faz parte da visão conservadora e manipuladora da imprensa brasileira. Eles acham que a sua visão é a visão verdadeira, e não a visão conservadora de uma classe dominante que tem medo do povo e da democracia moderna.

Respeito o direito de qualquer pessoa de esquerda dar entrevista à jornais da direita, mas não aceito a ideia de que tudo que foi falado também seja a verdade absoluta. É uma das verdades...

Portanto, vou citar algumas partes da entrevista.

1 - "O Judiciário toma decisões indevidas.
Não cabe ao Judiciário, efetivamente, vetar nomeação de um ministro."

2 - "O presidente da República (Temer), que é um perverso fútil, toma decisões absolutamente LEVIANAS, e delas recua também com toda a LEVIANDADE."

3 - "Mantenho a tese de que, em sequencia ao impedimento de Dilma, ninguém sabia o que fazer."

4 - "A decisão de implementar, de maneira absolutamente brutal, UM PROGRAMA QUE HAVIA SIDO DERROTADO NAS ELEIÇÕES
desmancha não apenas um Sistema de Proteção Social que foi costurado ao longo de governos petistas, mas que vinha desde a década de 30... tinha como objetivo a desarticulação das políticas sociais e do sistema político, além de impedir a volta da Centro-esquerda ao circuito de poder no Brasil." Só faltou dizer que foi um golpe de Estado!

5 - "O problema é que, para os grupos no poder (atual), essas eleições NÃO PODEM RESULTAR NA VITÓRIA DA CENTRO-ESQUERDA."

Logo, a única condição para a centro-esquerda não ganhar é impedindo que Lula seja candidato. O que reforça o carater ditatorial deste governo e dos golpistas.

6 - "As declarações do presidente da República me envergonham como brasileiro".


7 - Numa democracia, você tem que conversar com adversários ideológicos e com competidores políticos.Você não pode conversar amanhã, produtivamente, com alguém que hoje você chamou de LADRÃO, DE FASCISTA. NÃO PODE.

9 - "No Brasil atual, você não tem manifestações a favor de nada, só contra, fica difícil construir uma ação coletiva."

10 - É INJUSTO O LULA NÃO TER DIREITO DE CONCORRER
. TODOS ESTÃO DE ACORDO. MAS O TEMPO ESTÁ PASSANDO. E SÓ LULA PODE ACABAR COM ISSO."

"O QUE TEM QUE SER FEITO HOJE É ABRIR MÃO DA CANDIDATURA DE LULA, MAS NÃO PRECISA LANÇAR OUTRA AGORA."

11 - prestem atenção nas palavras acimado professor Wanderley Guilherme dos Santos: Ele quer que Lula abra mão do direito de ser candidato e de ser eleito no primeiro turno.

O professor quer que Lula, o PT e a militância ACEITEM O VETO DOS GOLPISTAS!!!!


12 - "Fernando Henrique Cardoso está tentando desesperadamente livrar a direita de uma derrota. Talvez tenha a percepção, ou o temor, de que neste caso o grupo que vai perder, tal como já violou a Constituição antes, viole de novo. Peça para violar."

O professor quase reconhece o caráter ditatorial do golpe, mas a auto-censura não deixa.


Porque setores da intelectualidade têm medo de assumir o caráter ditatorial do golpe?

Porque setores da intelectualidade se recusam a assumir que a Lava-Jato é um farsa pré-estabelecida para impedir que Lula seja candidato e que o PT não ganhe as eleições de 2018?

Porque estes mesmo setores da intelectualidade preferem falar sobre a intervenção militar no Rio de Janeiro a falar no Golpe de Estado de 2016 e na violência que este governo ilegitimo estão fazendo no Brasil. O que inclui a venda e a destruição da Soberania Nacional?

Falar de uma ditadura civil-jurídica-midiática é bem mais difícil do que falar de ditaduras militares.


Nem o Brasil está nas mãos do acaso.


Nem o golpe foi por acaso.


É claro que os erros de Dilma facilitaram o golpe, como a desarticulação do PT e das esquerdas facilitou a destruição do "Brasil do Bem Estar Social". O povo não reagiu como era necessário. O tempo vai mostrar os motivos. Mas...

Os tempos são outros...


As ditadura já não são militares, são civis-judiciárias-midiáticas e o povo fica olhando de soslaio desconfiando de quase todos. O povo quer Lula de volta. Os ditadores não querem deixar Lula concorrer, e para isto manipulam a Constituição, o Estado de Direitos e a versão das notícias. Quem deve decidir se Lula merece ser eleito ou não é o povo.

Eleições sem Lula é fraude, professor.





sexta-feira, 2 de março de 2018

Revista Época contra a manipulação?

É possível o novo vir da Globo?

Fiquei sabendo que a "nova" revista Época será também distribuída encartada no jornal Valor nos fins de semana. Considero o jornal Valor atualmente o melhor do país, melhor até do que a Folha.

Hoje, quando abri o Valor para pegar o caderno de Fim de Semana, caiu a edição da Época. Ao começar a folhear a revista fui sendo provocado página por página...

A capa começa com Marcelo Odebrecht e a revista dizendo que ele quer vingança...

Vira a capa e aparecem duas páginas de propaganda do Itaú Personalité, a gente vai constatando que tudo neste Brasil passa atualmente pelo Banco Itaú. Roberto Setúbal é o maior exemplo de sucesso de um herdeiro...

Virei a página e encontrei duas páginas de propaganda da Honda. Lembrei-me que está na hora de trocar nossa velho Fit por outro mais novo. No entanto, fiquei preocupado com as propagandas estarem dialogando comigo...

Ao virar mais uma vez a página, deparei-me com duas páginas de propaganda da BRF, Perdigão. O mais importante desta propaganda é que, pela primeira vez a BRF coloca UM NEGRO em sua propaganda. Isto é um marco histórico. Uma revolução! Tirei uma foto da propaganda e editei no Facebook.

Finalmente virei mais uma página, que depois vi que eram a 8 e 9, com uma chamada de "Carta da diretoria" e um título "Contra a manipulação", além de destacarem uma foto de uma mulher que, depois de ler o texto, deduzi que é a nova Diretora de Redação. Pela primeira vez uma mulher como diretora de redação. Seu nome é Daniela Pinheiro. Sinal dos tempos?

O texto parece mais ser algo do New York Times do que de qualquer jornal brasileiro. Muito menos sendo de uma revista que pertence a Rede Globo.

Vejam alguns exemplos:

- em momentos de intolerância, de individualismo exacerbado e certo obscurantismo,
- o jornalismo profissional se faz mais urgente do que nunca.

Um longo parágrafo começa dizendo que a revista Época se espantará com o economês, não deixará de mostrar o que muitos quer esconder e muitas outras coisas belas. Mais na frente afirma que "queremos saber o que você tem a dizer."

Vou dizer à Época o que sempre falo para a Folha e o Estadão:

- sempre defendi imprensa livre, respeitando as posições dos proprietários e a linha editorial, mas, sem aceitar que se minta, esconda a verdade ou se manipule as informações.

- a Folha já foi o melhor jornal do Brasil, mas perdeu o lugar para o jornal Valor.

- o Estadão foi o mais tradicional porta-voz da elite paulista, com ótimos cadernos internacionais e econômicos, sem contar a qualidade do Caderno 2. Atualmente é um panfleto de baixa qualidade, porta-voz do PSDB, especialmente da turma de FHC e Serra.

- Sempre achei que a Época poderia ser infinitamente melhor do que a Veja. Mas, sempre achei que a revista tinha fracassado na possibilidade de realizar meu desejo.

Finalmente, não olhei todas as páginas, não sei se há jornalistas negros trabalhando na revista. Mas torço muito para que as palavras escritas por Daniela se tornem realidade.

Se a Globo acertou com o jornal Valor, também pode acertar com a revista Época. Embora diga o filósofo que a história não se repete...

Eu, que sempre acreditei na democracia plural, na liberdade econômica e na diversidade de etnias, de religiões, de partidos e de movimentos sociais, faço meu voto de boa sorte para os novos sonhadores desta época tão apocalíptica.


PIB de Lula é o maior

Mais um motivo para o povo gostar de Lula

Os golpistas estão mostrando em todos os meios de comunicação que agora o PIB ficou positivo, isto é, acima de ZERO.

Quem deixou o PIB abaixo de zero?


Os golpistas, como forma de desgastar Dilma e forçar o golpe de Estado, além de forçar as reformas criminosas contra o povo e contra a soberania nacional.

Tão preocupados estavam em mostrar o pibinho de 1% em 2017,
que não prestaram atenção que, ao mostrar a
VARIAÇÃO DO PIB ANUAL DESDE O INICIO DO REAL,
não perceberam que iriam mostrar que o melhor crescimento foi exatamente com quem?

LUIS INÁCIO LULA DA SILVA.

O melhor presidente da História do Brasil!

Vejam os números:

ALTA MÉDIA DO PIB POR MANDATO (Cálculo da Folha).


FHC1 = 2,6%

FHC2 = 2,4%

LULA1 = 3,7%

LULA2 = 4,9%


Dilma1 = 2,2%

Dilma2 e TEMER = -3,5

2017 = 1%


Perceberam a diferença? O melhor PIB desde início do Plano Real foi com LULA.


Já ouviu a frase:
É a ECONOMIA, estúpido?


Lula entende de
"economia popular", entende de macroeconomia,
entende de economia internacional e, principalmente,
respeita a Democracia e a Constituição.

Já os "especialistas" e "as elites",
só entendem de sugar o Estado e deixar os pobres mais pobre.

É por isto que os golpistas insistem em tentar impedir que Lula seja candidato em 2018.

Eleições sem LULA é fraude!

quinta-feira, 1 de março de 2018

A Folha em busca do elo perdido?

Reportagem com Lula e com Chico Buarque

Um jornal que já foi moderno e plural, mas que tinha optado pelo conservadorismo ao apoiar o golpe e a campanha difamatória contra Lula e o PT, de repente aparece com duas páginas de entrevista com Lula e uma página de reportagem sobre o show de Chico Buarque em São Paulo.

O quê deu na Folha?


- tentativa de recuperar os leitores petistas que abandonaram o jornal?

- tentativa de tentar voltar a ser plural, em vez de "pensamento único golpista e neoliberal"?

- às vésperas de mais um julgamento contra Lula, tentar passar uma imagem de "boazinha"?

- tentar passar uma imagem de que não está articulando a condenação de Lula e o seu impedimento à eleição?


Estas perguntas também servem em relação ao amigo de Lula, Chico Buarque. Ao semear o ódio contra Lula e o PT, a Folha também contaminou o ódio contra os amigos de Lula e do PT.

Por mais que a Folha tente mostrar autocrítica em relação ao golpe, isto não significa que a Folha desistiu de dar golpes. Afinal, a Folha apoiou o golpe de 64 como apoiou e teve papel relevante no golpe de 2016.

Mas, como sou leitor há mais de 40 anos e assinante há muito tempo, mesmo com seus defeitos, continuo assinando e lendo este jornal que tem coisas iguais ao PT: são chatos, representam o novo no Brasil, mas adoram se aliar com o atraso...

Enquanto a Folha vive em busca do elo perdido, recomendo que leiam tanto a longa entrevista de Lula, como a longa reportagem sobre este grande artista e grande militante que é Chico Buarque.

"Vou voltar, sei que ainda vou voltar, para o meu lugar..."


Ouçam a música Sabiá e deleitem-se com bela poesia e música maravilhosa. Como não gostar de Chico?

P.S.:

Até em relação a João Vaccari, a Folha vem sendo mais cuidadosa.

Saiu em algum lugar na edição de hoje:

"Se fosse só por liberdade o Vaccari não tinha feito a carta que fez nesta semana (inocentando Lula no caso do triplex). Porque é o cara que está preso há mais tempo. E está demonstrando que caráter e dignidade não são compráveis."

Deve ser parte da entrevista de Lula.
Vaccari está preso só por ter sido tesoureiro do PT. Ninguém provou nada contra Vaccari até agora.