quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

O Brasil atual e os nazistas na segunda guerra mundial

Os golpistas estão destruindo o Brasil. Para sempre?

Todos os dias conversamos muito com as pessoas, lemos muitos jornais e notícias nas redes sociais e fazemos muitas reuniões para entender:

- Como os golpistas ficaram tão ousados à ponto de destruir tudo que o Brasil tem de bom e vender a soberania nacional?

- Quando será que haverá uma reação efetivamente forte para impedir tanta degradação?

- Como impedir que destruam Lula, a maior liderança que este país já teve?

- Como contribuir para que o povo escolha um governo democrático e participativo, evitando que transformem o Brasil numa republiqueta?


Não é por acaso que está na moda assistir a tantos filmes sobre o nazismo. Estes filmes estão fazendo muito sucesso e as pessoas nos perguntam como alguns países resistiram tanto e como, aos poucos, foram derrotando o nazismo e libertando o mundo do terror e da destruição.

- Como as pessoas foram se organizando e reagindo?

- Como alguns países que inicialmente e de forma disfarçada apoiaram os nazistas, por serem contra a Rússia e o comunismo, e depois foram descobrindo que os nazistas eram piores que os comunistas?

- Lendo a biografia de Churchil fiquei muito triste quando li que ele - diga-se a Inglaterra - e os Estados Unidos apoiaram o general fascista Franco contra a República Espanhola, na guerra civil da Espanha. Fortaleceram os nazistas facilitando a destruição futura...

- Mas a Inglaterra foi fundamental para derrotar a Alemanha nazista. Como imprescindível foi a resistência e depois vitória militar dos soviéticos contra o até então imbatível exercito nazista. E, mesmo atrasada, mas também imprescindível foi a participação americana na guerra. Tanto para derrotar os nazistas no norte da África, depois derrotas os nazistas na Europa e finalmente derrotar os japoneses na Ásia.

É aquela história: sozinhos somos fracos, juntos somos fortes.

Da mesma forma que milhões de pessoas morreram até os aliados derrotarem os nazistas, no Brasil ainda vamos ter muitas demissões, muitas vendas de empresas brasileiras à preço de bananas e ainda passaremos um tempo tendo nossa soberania violentada.

Mas o tempo e a história vão mostrar quem está ou estava com a razão. Da mesma forma que hoje poucos se dizem nazistas, chegará o dia em que, no Brasil, poucos terão coragem de dizer que fez parte dos golpistas, dos entreguistas e dos mercenários. Muitos vão dizer que foram enganados pela imprensa e pelo judiciário.

O tempo passa mas a democracia participativa continua a ser o melhor sistema de governo para representar o povo e para construir uma grande Nação.

Nossa solidariedade a Lula e a todos que estão sendo perseguidos pelos golpistas atuais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário