sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Haddad, FHC e Gilmar Mendes falam de Lula

Juizes fazem política partidária

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, fez reunião longa com o ex-presidente e chefe supremo do PSDB, Fernando Henrique Cardoso, o assunto não foi divulgado amplamente pela imprensa mas alguns veículos de comunicação deram notas informativas comprovando que houve a reunião.

Considerando que numa reunião de mais de quatro horas seja praticamente certo que Haddad deve ter perguntado o quê FHC está achando da condenação sem provas de Lula e o seu impedimento de concorrer à presidência da República. Provavelmente FHC deve ter feito longas avaliações com seu jeito especial de falar como diz José Simão.

Curiosamente, depois que a reunião entre FHC e Haddad se tornou pública, o porta-voz do PSDB no Judiciário, Gilmar Mendes, declarou que:

"O entendimento sobre a norma está consolidado e que condenados em segunda instância, como é o caso do ex-presidente Lula, estão INELEGÍVEIS. (Palavras publicadas no Estadão de hoje, página A7). O Estadão ainda complementa com aspas:

"Eu não vou emitir juízo concreto sobre isso, mas quando há decisão de segundo turno, esses crimes dão ensejo à inelegibilidade", disse.

O Estadão ainda lembra que:

"Em junho do ano passado, após o impeachment de Dilma Rousseff,

o TSE LIVROU O PRESIDENTE MICHEL TEMER DE PERDER O MANDATO por 4 votos a 3.


COUBE A GILMAR O VOTO QUE DESEMPATOU O JULGAMENTO.


A Chapa era acusada de usar dinheiro ilícito na campanha de 2014.

A ação havia sido movida pelo PSDB."


Fernando Haddad e FHC estão devendo mais informações ao povo brasileiro sobre a longa conversa que tiveram.

E os juízes deveriam fazer menos política partidária e fazer mais Justiça de verdade...

Nenhum comentário:

Postar um comentário