terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Carnaval com livro de Zuza Homem de Mello

A história da música brasileira passa por Zuza e seus livros

Cresci correndo atrás do Trio Elétrico em Serrinha, Bahia.
Na Bahia, o Carnaval era mais importante que Natal e Ano Novo.

Em 1968, ainda em Serrinha, apareceu Caetano Veloso e seus frevos.
Em 1970, nos mudamos para São Paulo, onde o Carnaval era mais nos clubes.

Nos anos 80 e 90, Carnaval passou a ser mais família e descanso.
Agora, já passado dos 60 anos, carnaval é leitura e família.

Aproveitei o carnaval deste ano para acabar de ler mais um livro de Zuza Homem de Mello.

"Copacabana - A trajetória do samba-canção (1929-1958)".

São 512 páginas de muitas histórias das músicas, das pessoas e do Brasil.

O curioso é que, ao mostrar que o samba-canção começou em 1929,
eu compreendi o porquê as músicas relatadas no livro são, quase todas, as mesmas músicas que nossa mãe cantava. Afinal, ela nasceu em 1923, e conviveu com todas estas músicas e seus intérpretes.

Espero manter a mesma energia que Zuza. O homem viveu tudo que teve direito e ainda conseguiu tempo para produzir programas de rádios e TVs, além de escrever livros preciosos. Zuza nasceu em 1933. É mole?

Este livro de Zuza precisa ser distribuído às bibliotecas municipais e das escolas. Mesmo convivendo com o mundo on-line, um livro é sempre um livro, principalmente quando o autor e a editora são bons. A editora é a 34, com o apoio da Sesc Edições. O diretor do Sesc, Danilo Miranda, é outro personagem da história cultural do Brasil.

No livro, só de músicas citadas, são 14 páginas.

Se houver 30 músicas em cada página, vamos ter, mais ou menos, 420 músicas. Muitas delas, com letras e histórias...

Zuza, é como Fernanda Montenegro, já fazem parte da História do Brasil. Da boa história, é claro. Leio tudo que aparece sobre eles.



Nenhum comentário:

Postar um comentário