sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Brasileiros ganham com Reforma Fiscal de Trump

Governo protege empresa capitalista

O neoliberalismo protege as empresas e abandona o povo

O governo Trump, dos Estados Unidos, fez uma reforma fiscal para aumentar o lucro das empresas, aumentando ainda mais o poder de pressão do capital sobre a classe trabalhadora.

Com a reforma fiscal nos Estados Unidos, a empresa americana controlada por brasileiros, Kraft Heinz, apenas no quarto trimestre teve um lucro liquido de US 8 bilhões. Maior do que o lucro do Itaú, no mesmo período.

Vejam o artigo publicado no jornal Valor desta sexta-feira.


Lucro da Kraft Heinz dispara no trimestre e atinge US$ 8 bilhões

Por Alexandre Melo - SÃO PAULO – 16/02/2018 - 11:30

A Kraft Heinz, controlada pela empresa brasileira 3G Capital Partners, registrou um lucro líquido atribuído aos controladores de US$ 8 bilhões no seu quarto trimestre de 2017, aumento de 8,5 vezes quando comparado com os US$ 944 milhões de igual período do ano anterior.

O forte resultado se deveu a benefícios provocados pela reforma fiscal americana.

Em 2017, o lucro foi 3 vezes superior ao do ano anterior, atingindo US$ 11 bilhões. Na demonstração financeira, a fabricante de alimentos justificou que a reforma tributária nos Estados Unidos realizada pelo governo de Donald Trump resultou em benefício fiscal de US$ 7 bilhões no ano passado.

O lucro operacional da gigante de consumo no trimestre foi de US$ 1,64 bilhão, alta de 4%.

Em 2017, o indicador expandiu 10,3%, para US$ 6,77 bilhões. De outubro a dezembro do ano passado, a receita líquida da Kraft Heinz, somou US$ 6,87 bilhões, incremento de 0,3% ante o mesmo intervalo de 2016. Em 2017, a receita líquida do conglomerado teve declínio de 1%, para US$ 26,23 bilhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado no quarto trimestre alcançou US$ 2,01 bilhões, crescimento de 4%. No consolidado do ano, o Ebitda da companhia foi de US$ 7,93 bilhões, aumento de 1,95%.

"Não há dúvida de que o desempenho financeiro em 2017 não refletiu nosso progresso ou potencial", disse Bernardo Hees, diretor-presidente da Kraft Heinz, em comunicado ao mercado. O executivo afirmou que houve melhora significativa nos negócios e que foi possível acelerar alguns importantes investimentos no fim do ano.

A expectativa é de que a reforma tributária americana e os investimentos adicionais que serão realizados pela empresa ajudem no crescimento das marcas em 2018. A Kraft Heinz, cuja fusão dos negócios aconteceu em 2015, controla marcas como o queijo Philadelphia, o ketchup Heinz e o molho de tomate Que

Nenhum comentário:

Postar um comentário