quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Abílio Diniz, BRF, Carrefour e Casino

Questão freudiana e econômica

A imprensa brasileira continua a noticiar o constrangimento que Abilio tem passado com a crise na BRF, onde Abílio é presidente do conselho de administração.

Hoje, no jornal Valor,
há outra notícia que aparentemente não tem nada a ver com a crise da BRF, mas que tem tudo a ver.

Num momento de euforia, Abilio vendeu o GPA
- Grupo Pão de Açúcar ao empresário francês e dono do grupo Casino, Jean-Charles Naouri. No primeiro momento foi um grande negócio para Abílio.

Mas, com o passar do tempo, Abílio foi vendo que, ao ficar como acionista minoritário do GPA, perderia liberdade de decisão. Acostumado a tensionar disputas e sair ganhando, pela primeira vez Abilio perdeu a peleja e foi obrigado a deixar a sociedade, saindo do Pão de Açúcar, algo que tinha tudo a ver com a sua vida e de sua família.

O lance que explicitou a incompatibilidade
foi a tentativa de Abilio juntar-se ao Carrefour, fazer uma fusão no Brasil entre o Pão de Açúcar e o Carrefour e assim Abilio voltaria a ter maioria na conselho de administração e voltaria a manter a governabilidade nos negócios.

Aconteceu que Abilio subestimou o adversário - neste caso o dono do Casino - e viu sua vida virar um inferno. Naouri, dono do Casino, decidiu pagar tudo para ganhar a disputa. Contratou advogados, assessoria de publicidade e até contratos sigilosos com lobistas.

Passados meses de disputas violentas, Abílio teve que entregar o Grupo Pão de Açúcar ao novo proprietário. Isto marcou a sua vida. A partir daí, nada foi como antes...

Com o dinheiro do GPA, Abílio entrou em duas novas áreas de investimento.


Investiu pesado no Carrefour no Brasil e na França e também investiu pesado na BRF, aliando-se a outros investidores e conseguindo eleger-se presidente do conselho de administração e indicado a diretoria da BRF.

No entanto,os fatos vêm mostrando que Abílio já não é mais o mesmo.


1 - A BRF, que até então era uma das melhores e maiores empresas do Brasil, começou a ter prejuízos e a perder mercado. Até as ações despencaram na Bolsa. E sem lucro não há harmonia no capitalismo. As alianças internas começaram a implodir e a virar notícias negativas na imprensa.

2 - Quando todos os olhares estavam voltados para a BRF, eis que surge uma notícia no jornal Valor de hoje que mostra que a confusão pode aumentar para o lado de Abílio.

"Carrefour sonda Casino sobre fusão"


Representantes do Carrefour sondaram o comando do Casino a respeito da hipótese de FUNDIR AS EMPRESAS.

No fundo, Abílio ainda pensa em voltar para o Grupo Pão de Açúcar.


Talvez este desejo seja mais uma questão freudiana do que uma oportunidade de investimento...

Nenhum comentário:

Postar um comentário