quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Intervenção militar na Venezuela, no Brasil e no Oriente Médio

Com Trump a insegurança mundial aumentou

Os americanos votaram num candidato que prometia gerar mais empregos no país, diminuindo assim o empobrecimento dos americanos. Votaram num louco porque a candidata dos democratas também não inspirava confiança. O resultado foi que, nem a economia americana está gerando empregos no país, e o que é pior, o mundo ficou mais inseguro e a violência está aumentando.

Só para lembrar.
A quebra da bolsa de Nova York em 1929 serviu de ponto de partida para a queda de muitos governos endividados e que não sabiam como responder à quebradeira das empresas e ao crescimento da inflação. Portanto, a falta de controle efetivo da especulação da Bolsa de Nova York levou o mundo à depressão e à segunda guerra mundial. Mesmo assim, a segunda guerra fez com que os Estados Unidos fossem o grande vencedor, seguido pelos russos.

Mas os americanos tinham no governo um presidente de grande liderança mundial. Eles tinham Roosevelt.

Agora, os americanos estão com Trump e o mundo presencia suas loucuras diárias...

Acontece que, um louco só não ameaça tanto, mas um louco poderoso pode estimular um monte de louquinhos e assim ameaçar o mundo.

No Brasil,
tivemos os louquinhos do PSDB que, ao perder as eleições presidenciais de 2014, decidiram dar um golpe de Estado, derrubar uma mulher eleita por mais de 50 milhões de votos.

Para dar o golpe de Estado, o PSDB se aliou ao que tinha de pior na política brasileira e estão destruindo o Estado nacional. Agora nomearam como Ministra do Trabalho a filha de um loucão que se vangloria de ter feito o MENSALÃO e botado fogo em Brasília. Não foi um surto de honestidade. Pelo contrário...

Estimulados pelo golpe de Estado e a venda da soberania nacional, agora há outros brasileiros louquinhos propondo a intervenção militar na Venezuela. Estes estúpidos ignoram que os chavistas estão no poder porque têm o apoio de parcela importante do povo e também das Forças Armadas. Mesmo assim, qual pais latino americano teria coragem de invadir a Venezuela? Na verdade estes maluquinhos são "quintas-colunas" dos Estados Unidos. Eles querem a intervenção militar do governo Trump.

Ao mesmo tempo, no Oriente Médio enterram-se as Primaveras Árabes, no Leste Europeu, cresce a direita, seja pelo voto ou por golpes de Estado.

E ainda temos que conviver com os maluquinhos da Coreia do Norte!

Só que estes maluquinhos, diferente do maluquinhos brasileiros, lidam com bombas atômicas!

Para completar a loucura que vivemos, o Brasil caminha para o imponderável. Uma coisa foi derrubar o governo Dilma, outra coisa é usar o judiciário para impedir que Lula seja candidato a presidente do Brasil.

Os loucos estão unidos achando que vai ser a mesma coisa. Achando que, da mesma forma que não foi tão complicado tirar a Dilma, Lula pode dar um pouco mais de trabalho, mas o povo aceitará mais este golpe bovinamente.

Da mesma forma que ninguém sabe explicar as manifestações no Irã,
ninguém saberá explicar o que acontecerá com o Brasil a partir do dia 24 de janeiro.


O maior inimigo dos vencedores é a vaidade. A vaidade cega. E quando os dirigentes ficam cegos, cometem loucuras. E a resposta aos governantes loucos é a reação enlouquecida do povo e de suas lideranças.

As instituições brasileiras são frágeis. O que salva o Brasil é um pacto de não violência que existe desde 1988, com a Constituição Cidadã de Ulisses Guimarães. Talvez este pacto esteja superado e o Brasil precise reorganizar suas lideranças e a forma de governar este Brasil.

Por enquanto, os loucos estão levando vantagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário