quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

O dilema da Folha: Sustentar uma farsa ou ser um bom jornal?

Crise de direção

O jornal Folha de S.Paulo
vive uma profunda crise de identidade. Não sabe se prioriza seu lado moderno e democrático, ou, se prioriza seu lado reacionário, apoiador de golpes - militares e/ou civis - e defensor de que "os meios justificam os fins".

Ontem elogiei o jornal
em função do espaço que vem dando para os negros e as negras. Finalmente a imprensa começa a pautar a questão racial no Brasil e reconhece que os negros merecem mais espaço na imprensa, nas empresas e na sociedade como um todo. Afinal, no Brasil, mais de 50% é de negros e negras. O Brasil não precisa viver o apartheid oficial...

Hoje, ao ver o editorial do jornal, fiquei transtornado.

Que apelação! Que pobreza de argumentos! Nem parece a Folha.

Dizer num editorial de que "Lula tenta afrontar abertamente as instituições de um Estado democrático" é de um cinismo incomum. Quem violentou o Estado de direito e às instituições foram os golpistas liderados pela Folha. O golpe do impeachment já entrou para a História do Brasil como um dos fatos mais vergonhosos da nossa história. Comparável a queimar os arquivos da escravidão...

Dizer que "Lula quer DESLEGITIMAR A SENTENÇA" é outra tentativa de enganar o povo brasileiro. Nem o governo Temer tem legitimidade, nem o Judiciário, que foi pré-requisito para o golpe, nem o judiciário, afirmo, tem LEGITIMIDADE, para prender pessoas e obriga-las - sob tortura - a inventar depoimentos contra Lula e o PT, para servir como "fundamentos jurídicos condenatórios". É tudo um jogo de cartas marcadas, e a Folha lidera esta farsa jurídica e política.

Esta operação Lava Jato é uma farsa jurídica e política.


Mesmo considerando que haja parte de fatos reais, como a confissão de que os empresários corromperam políticos e executivos desde a época da ditadura militar, incluindo os governos do PSDB, e continuam corrompendo mesmo no governo ILEGÍTIMO DE TEMER.

Destaque-se que o governo Temer só existe porque a imprensa, os empresários e o judiciário se juntaram a políticos corruptos para derrubar um governo legitimamente eleito por mais de 50 milhões de brasileiros e brasileiras. Este sim é ilegítimo e corrupto comprovado.

O caso do apartamento triplex em Guarujá é documentalmente comprovado que NUNCA foi da família de Lula. Tanto é verdade que a Folha diz: "Não faltam provas quanto às reformas feitas sob medida no apartamento."

FALTAM PROVAS SIM!


Nem a Folha, nem os promotores, nem a PF, nem os depoentes, nem as empresas, NINGUÉM apresentou um documento sequer que prove que o apartamento era ou é da família de Lula.

Os sustentadores do golpe e da Lava Jato dizem que "havia intenção de compra" e que isto é suficiente para condenar Lula.
Entre intenção de comprar e comprar ou ser proprietário, ou ainda ter recebido benefícios ilegais, entre tudo isto há um universo. Isto só evidencia o carater partidarizado da justiça. Os golpistas contra Lula e o PT.

O golpe já houve, agora é necessário legalizar a ditadura.


E a melhor forma de legalizar uma ditadura é forjando uma eleição onde os golpistas sejam eleitos para fazerem as novas leis "em nome do povo". Lembram da ARENA, o maior partido político do mundo? Ela era legal, mas não era legítima, porque a eleição era manipulada. Como a Justiça na época também era manipulada. Como também era a imprensa...

A Folha, como os demais golpistas, ficarão todos os dias dizendo que a justiça é legal, é legítima e é honesta.
E quanto mais a imprensa falar, mais será para esconder o seu constrangimento e para tentar enganar o povo.

Se os golpistas não têm medo do POVO, deixem o povo julgar Lula e o PT.


Quando será que a Folha escolherá ser UM BOM JORNAL?

Ou será que o Brasil precisará abrir o mercado da mídia para que venham jornais como NYTimes, a BBC, a NHG, a Al Jazira e tantos outros meio de comunicação mais honestos e mais transparentes do que a mídia atual?


Nenhum comentário:

Postar um comentário