terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Marcelo Odebrecht sai da prisão e pega JATO para SP

Marcelo livra-se da cadeia e pega JATO particular para vir para São Paulo

Um dia a História vai contar o porquê o PSDB resolveu “entregar” a Odebrecht
para os golpistas do Judiciário. A família Odebrecht era íntima de FHC e seus colegas mandantes do PSDB.

Um dia Marcelo contará...


Enquanto isso, o maior símbolo de demonstração de força dos golpistas do Judiciário deixará a cadeia hoje e virá para São Paulo, onde ficará em prisão domiciliar na sua mansão no Morumbi.

Porque os empresários brasileiros se acorvadaram e não prestaram solidariedade aos empresários presos? Porque aceitaram estes abusos do Judiciário? Porque não delataram o PSDB? Porque preservaram as corrupções em São Paulo?

Enquanto os fatos não são esclarecidos, vejam como vai ficar a vida de Marcelo Odebrecht, o principal empresário preso pelos golpistas.

Marcelo retorna para mansão em São Paulo em jato particular


Por André Guilherme Vieira – Valor – 19/12/17

Marcelo Odebrecht deixará hoje o regime fechado de prisão em que é mantido desde 19 de junho de 2015 - quando foi preso preventivamente pela Lava-Jato -, e passará ao cumprimento de prisão domiciliar em tempo integral, com uso de tornozeleira eletrônica pelo período de dois anos e meio.

O empresário deixará a custódia da Polícia Federal em Curitiba às 10 horas.


Depois passará por audiência conhecida como "admonitória" com a juíza de execução criminal Carolina Moura Lebbos. Nesse ato processual, previsto na legislação penal, o réu beneficiado pela suspensão condicional da pena é advertido pelo magistrado sobre as consequências de praticar nova infração penal e descumprir as condições impostas. Em seguida Marcelo colocará a tornozeleira eletrônica.

A Odebrecht usará um jato particular ou fretado para transportá-lo
até o aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A opção pelo avião particular levou em conta a chance de ele ser hostilizado em voo comercial. De Congonhas seguirá de carro até a sua mansão, no Morumbi, onde será recebido pela mulher, Isabela, e pelas três filhas.

A progressão de regime de Marcelo está prevista em seu acordo de delação premiada, mas o empresário conviverá com uma série de restrições até 19 de junho de 2020, quando ficará livre para sair à rua.

Estará proibido de manter contato
com outros investigados; poderá receber seus advogados, familiares de até quarto grau de parentesco, visitas de profissionais da saúde (médicos e dentistas) e de 15 pessoas - algumas ligadas ao grupo Odebrecht -, cujos nomes terão de constar de uma lista entregue à 12ª Vara Criminal Federal de Curitiba, juízo responsável pela execução de pena do empresário.

Não há reserva de visitantes para convidados da mulher e das filhas.
Durante os dois anos e meio de cumprimento do regime domiciliar de prisão, Marcelo terá direito a duas saídas, que terão de ser previamente comunicadas ao juízo de execução penal. Uma delas será para assistir à cerimônia de formatura de uma das filhas, em 2018.

Em 19 de junho de 2020,
Marcelo passará ao regime semiaberto diferenciado, podendo sair de casa durante o dia, mas permanecendo na residência à noite, nos fins de semana e feriados, com prestação de serviços comunitários por 22 horas semanais.

Em 2022 o empresário estará autorizado a progredir para o regime aberto,
com recolhimento domiciliar em fins de semana e feriados e ainda prestando serviços comunitários. O tempo total de restrição é de 10 anos, metade dos quais - incluindo o tempo em Curitiba - sem poder andar na rua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário