quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Submarino afundado e índios afetam imagem da Argentina

Presidente da Argentina, Macri, desencanta

Aos poucos, a imprensa vai tendo que mostrar o outro lado dos candidatos e políticos da direita na América Latina. Antes,a direita não ganhava eleições e assim apelava para golpes militares apoiados pelos Estados Unidos.

Com a crise dos governos de esquerda, o povo, decepcionado, passou a votar na direita, sendo que a imprensa vendia a imagem de que a direita sabia administrar, enquanto que a esquerda gastava mal.

Passado o período inicial e de euforia estimulada pela imprensa, a direita vai batendo cabeças e o povo vai aprendendo que é preciso exigir mais resultados positivos e menos demagogia, seja o governante de direita ou de esquerda. Afinal, só se aprende, praticando, principalmente quando se trata de democracia.

No caso da Argentina, além da crise com o desaparecimento do submarino, houve também a morte de índio mapuche. No sábado passado, uma reintegração de posse conduzida pela polícia argentina na comunidade indígena mapuche de Villa Mascardi, em BARILOCHE, um jovem ativista de apenas 22 anos, foi assassinado com um tiro pelas costas.

Os membros da comunidade mapuche protestavam contra a reintegração de posse e foram reprimidos por agentes da Polícia Nacional.

Não basta ser de direita ou de esquerda, é preciso respeitar o povo e governar com transparência e competência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário