segunda-feira, 20 de novembro de 2017

O povo não quer votar nos políticos tradicionais e clama por algo novo

Vejam o recado do Chile...

O jornal El País, da Espanha, destaca o que vem sendo apresentado como mais relevante da política internacional:

O povo não quer mais votar nos políticos tradicionais. Os governos eleitos pela minoria da população, não têm legitimidade para privatizar, vender o país a preço de bananas, nem tem legitimidade para vender a soberania nacional.

O sistema republicano, de três poderes, está superado historicamente. Os governantes são corruptos, os parlamentares não ouvem o clamor do povo, e o judiciário está à serviço das grandes empresas.

O povo clama por algo novo!

Vejam os números do CHILE:


Um dos grandes protagonistas da jornada eleitoral foi a abstenção.


No pleito presidencial de 2013, 51% votaram, uma cifra que já deixava o Chile entre os países com maior redução na participação do eleitorado.

Desta vez, porém, caiu ainda mais.

Apenas 47% dos eleitores compareceram às urnas.


A participação vem caindo no Chile desde 1993, pouco depois da recuperação da democracia,

mas foi em 2012 que as cifras de abstenção dispararam, quando o voto passou de obrigatório a voluntário.

Nas eleições municipais de 2016, participaram apenas 36% dos eleitores habilitados.


Atenção:


Vejam a diferença entre a LEGALIDADE e a LEGITIMIDADE.

Uma coisa é mostrar o resultado tomando por base só quem votou e não sobre o total de eleitores em condições de votar. Os conservadores escondem os números...

Dos 100% de eleitores, compareceram e votaram apenas 47%.
Menos da metade.

Se meus cálculos estiverem certos, calculando o percentual apresentado como resultado oficial sobre o total de pessoas que efetivamente votaram, teremos:

Pinera - direita - teve apenas 17,20% de votos

Guillier - socialista - teve apenas 10,34% de votos

Beatriz - frente ampla - teve apenas 9,40% de votos

Os pinochetistas - tiveram apenas 3,76% de votos

e a Democracia Cristã - teve apenas 2,82% de votos.

Porém, se somarmos os votos dos socialistas com os votos da Frente Ampla e da Democracia Cristã podemos concluir que a direita, representada por Pinera, tem tudo para perder as eleições no segundo turno.

O interessante é que a imprensa internacional, e a brasileira muito mais, só fala da vitória da direita. Não foi por acaso que a imprensa perdeu nas eleições americanas. Esconderam informações para o povo e o povo deu o troco.

Por um sistema eleitoral e de representação mais participativo e mais legítimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário