sábado, 4 de novembro de 2017

Folha e Uol falam de Fátima Bernardes

Ajuda ou atrapalha?

Mais do que as redes sociais, o fato de o jornal Folha e seu site UOL terem dado tanta cobertura às imagens da apresentadora de TV e ex-esposa de Bonner, do Jornal Nacional, com um namorado, um rapaz mais jovem e que tem valores políticos diferentes da Rede Globo, deu ampla dimensão ao namoro e retoma um debate que, na maioria das vezes as mulheres são prejudicadas.

Por que as mulheres, divorciadas ou não, não podem namorar rapazes mais jovens?

Por que as mulheres não podem ganhar mais do que os homens?

Por que, quando isto acontece, vira notícias ou mesmo "escândalos"?

Curiosamente, por estar pensando nisto deste o início dos debates, ao rever, pela enésima vez ao filme de Bergmann na TV, Cenas de um casamento, decidi que deveria escrever sobre o assunto de mulheres que namoram homens mais jovens. Bergmann dá uma verdadeira aula sobre a vida conjugal e suas contradições.

No caso de Fátima Bernardes, tanto a Folha quanto a Uol foram dúbios. Lembram do "sem querer querendo"? Aparentemente a Folha deu um caráter favorável, mas, ao expor que o namorado era do PDT e que é a favor do Fora Temer, expôs o rapaz contra a Rede Globo, que, por sua vez, pode pressionar a Fátima para ela escolher entre a empresa ou o namorado.

Já pensaram, alguém da Globo, sutilmente recomendando a Fátima a escolher entre seu programa de sucesso e milionário e o namorado pedetista e contra o governo que a Globo ajudou a botar lá?

Não vi nada sobre a opinião dos filhos de Fátima. Sei que Bonner não quis falar publicamente. Mas, que deixaram Fátima numa situação desagradável, isto deixaram.

Sou plenamente favorável que as mulheres namorem e casem com quem quiser, como também acho estranho que homens que ganham menos que as mulheres, ao se separar requeiram pensão e divisão de bens que não lhes cabem juridicamente. Alguns homens infernizam tanto as mulheres que acabam conseguindo um pé de meia. Caso os homens fiquem com a guarda dos filhos, aí os direitos favoráveis que ficariam com a mãe, pode ser dirigido ao pai-que-toma-conta-dos-filhos. Existe isto, existe!

Creio que a Folha e a Uol estão devendo à Fátima, às mulheres e à sociedade, uma reportagem mais educativa sobre este tema.

A mulher moderna, que estudou muito, trabalhou e trabalha muito, também tem direito a ser feliz plenamente. Que as empresas, os governos e as pessoas aprendam esta nova realidade: Os homens já não têm prioridade sobre o casal. Agora casal quer dizer duas pessoas com histórias bem distintas de antigamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário