quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Desemprego como instrumento de dominação

Sem trabalhar, as pessoas sofrem e ficam frágeis

A melhor coisa da vida é ter saúde, boa família e sempre melhorar de vida. A partir deste patamar, podemos investir em educação, melhoria profissional, vivência internacional e ajudar o Brasil a ser uma grande Nação.

Democraticamente vimos o Brasil usufruir um período de melhoria de vida da população a partir do Plano Real e depois, dando continuidade, a eleição de Lula para presidente. Lula conseguiu surpreender a todos e ser o melhor presidente que o Brasil já teve. Os pobres melhoraram de vida, a classe média pode comprar tudo que almejava e os empresários ganharam dinheiro que nem água. Todos ganharam com o crescimento do Brasil, que vendia para a China e para o mundo...

Mesmo com a crise de 2008, quando os bancos quebraram nos Estados Unidos, levando à crise para o mundo, como também aconteceu em 1929, quando a Bolsa de Nova York quebrou, mesmo com esta nova crise, Lula combateu a "marolinha" e venceu com seu carisma e seu estímulo ao consumo e à produção.

Depois de Lula veio a primeira mulher presidente do Brasil, esforçada mas de difícil trato, Dilma conseguiu proteger os empregos, levando o Brasil ao Pleno Emprego e a menor taxa de desemprego da nossa história. Se soube proteger os empregos, não soube proteger seu governo da ira dos banqueiros nem dos exportadores, principalmente o agronegócio. Sem apoio do grande capital nem do "mercado", a primeira presidente do Brasil sofreu um golpe de Estado, foi destituída e o Brasil voltou a ser governado pelo PSDB...mesmo o presidente sendo do PMDB. Na economia quem manda é o PSDB.

Com Temer e o PSDB voltaram o neoliberalismo e o entreguismo.


O desemprego voltou a crescer
, as empresas voltaram a quebrar, a produção voltou a diminuir e o Brasil voltou a ser vendido a preço de bananas aos estrangeiros. Tudo isto é parte do planejamento do PSDB e do neoliberalismo. O que importa é lucro, não as pessoas...

Junto com a recessão, os empresários partiram para comprar, corromper e exigir que os deputados e senadores aprovassem reformas que facilitassem a concentração de renda e a fragilização do movimento sindical, deixando assim os trabalhadores mais vulneráveis.

O melhor mecanismo para fragilizar os trabalhadores é o desemprego.


Isto é tão antigo quanto à Bíblia.
Lembram da ida do povo hebreu para o Egito. Foram escravizados em troca de comida, moradia e trabalho. Era uma seca de grande dimensão. Séculos depois, precisou aparecer Moisés para libertar o seu povo.

Como cantava Luiz Gonzaga, o rei do baião, "dê serviço a este povo...". Era o combate à seca secular que obrigava os nordestinos a migrarem para São Paulo. Era mão de obra barata para trabalhar na indústria que crescia sem parar.

Agora o desemprego nos ameaça novamente.
Desemprego fabricado pelos tucanos do PSDB.

Precisamos recuperar a dignidade e o emprego.

Nenhum comentário:

Postar um comentário