quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Abílio Diniz mantém incerteza na BRF

Abílio conseguiu emplacar novo presidente na BRF

Ou mostra resultados positivos,
ou não fica na presidência.

Não é meritocracia?


Abílio fez uma grande "engenharia política e financeira" e conseguiu montar uma composição que fez com que, mesmo tendo pouca participação acionária na BRF, Abílio tem indicado seus últimos presidentes. Sinal de que Abílio continua sendo bom especulador.

Desde que Abílio passou a indicar os presidentes da BRF que a empresa passou a ter resultados negativos.
Azar ou incompetência?

Agora, ante a pressão dos Fundos de Pensão, que são os maiores acionistas individuais, e também de parte significativa do mercado, Abilio conseguiu indicar mais um presidente.

Enquanto a Petros tem 11,4% e a Previ tem 10,7% de participação, Abílio tem apenas 4% das ações da BRF. Só que Abilio conta com o apoio de outros fundos e de outros acionistas, conseguindo assim fazer maioria.

Só que, uma empresa para ser bem administrada, é recomendável que seus acionistas façam acordo de gestão, sem atritos e sem desconfianças.

E quando uma empresa tem prejuízos, é igual ao trabalhador desempregado, a paz interna desaparece.

Time que não ganha jogo demite o técnico.

Empresa que não tem lucro,
demite o presidente, ou muda a composição acionária.


Abílio Diniz voltou ao centro da polêmica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário