segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Radicalizar a Economia

Para se ter mais Democracia

Talvez por viver na França, o economista, professor e grande especialista em desigualdade econômica e social, Thomas Piketty, sinta mais necessidade de se radicalizar a democracia do que a economia.

Mas democracia não enche barriga, o que enche barriga é a economia.


Vejam estas frases tiradas da entrevista de Piquetty ao jornal Valor, no caderno Fim de Semana:

1 - A União Europeia não encontrará seu rumo
enquanto suas decisões derivarem do embate de seus ministros de FINANÇAS e não dos eleitos pelos parlamentos nacionais.Leiam o livro "Por uma Europa Democrática".

2 - Os países mais ricos do mundo adotam, á mais de um século, uma política de progressividade fiscal cujo desconhecimento no BRASIL bloqueia seu desenvolvimento.

3 - OS PAÍSES MAIS RICOS SE DESENVOLVERAM PORQUE DISTRIBUÍRAM.
Leiam o livro "Tributação e Desigualdade".

4 - é preciso mudar a organização política da Europa e do mundo.

5 - A unanimidade serve para travar decisões modernizadoras. O ponto é dotar uma assembleia europeia do poder de tomar decisões. QUEM TIVER A MAIORIA COMANDA.

6 - Lamento que Macron, na França, tenha optado por uma reforma que dribla a necessidade de melhorar a representação dos sindicatos e dos assalariados na gestão das empresas.

7 - Nos modelos alemão e sueco,
há forte presença dos sindicatos e dos assalariados desde os anos 1950 (pós guerra), nos conselhos de administração das empresas. São representantes que não se limitam a uma presença consultiva. ELES TÊM PODER DELIBERATIVO.

8 - Na Suécia, um terço dos assentos dos conselhos de administração das empresas é composto por representantes dos empregados.

9 - Na Alemanha
, os trabalhadores ocupam metade dos assentos e participam das decisões estratégicas das empresas.

10 - A França, como também o Reino Unido e os Estados Unidos, sempre se recusaram a isso com o argumento de que todo o poder é dos acionistas.

11 - MACRON CEDEU AO PATRONATO FRANCÊS.


12 - Só os choques violentos é que transformaram o status quo das elites que rejeitavam a redução das desigualdades.

13 - No caso do BRASIL,
há de fato um nível de concentração muito excessivo para o país se desenvolver. O Brasil é um dos países mais desiguais do mundo. Só concorre com a África do Sul, que saiu do apartheid recentemente.

Nas próximas edições, teremos mais depoimentos relevantes do grande economista Thomas Piquetty.
Nem tudo está perdido...

Nenhum comentário:

Postar um comentário