sábado, 7 de outubro de 2017

Doria e Bolsonaro ameaçam o PSDB e o mercado

O Brasil está liberando seus instintos selvagens

É sempre a mesma história, dão o golpe alegando problemas com o governo vigente, e depois o golpe vira ditadura que impede que os golpistas façam o que prometeram. Não conseguem restabelecer a democracia, e aí vão pedir ajuda para os golpeados.

Em 1964 o golpe militar e civil foi contra as Reformas de Base de Jânio e a tal "ameaça comunista". Logo depois começaram as cassações e muitos golpista foram cassados. Em 1968 o golpe virou ditadura militar, deixando de ser um golpe de militares comandados por civis. Passou a ser uma ditadura militar governada por militares e os civis não mandavam...

Aí os golpistas foram atrás das lideranças estudantis e dos trabalhadores para fazer manifestações contra a inflação, contra a carestia e contra a ditadura. Os golpistas também estavam precisando de liberdade de expressão, de anistia e de participação na vida parlamentar.

O Brasil vive novamente um pós golpe, onde os golpistas estão tentando consolidar uma ditadura neoliberal controlada pelo "mercado", isto é, um governo fantoche dos banqueiros, do agronegócio e das multinacionais. Podemos chamar também de ARISTOCRACIA... O governo dos ricos, para os ricos e com os ricos. O povão fica fora. Para eles, povo é mão de obra
barata.

Da mesma forma que pós o golpe de 1964, Carlos Lacerda, fascista carioca, tentou ser eleito presidente do Brasil, sendo cassado pelos militares, agora apareceram Doria e Bolsonaro, dois neoliberais e fascistas, querendo disputar a presidência do Brasil. Ambos oriundos das milícias golpistas e crescendo no eleitorado com um discurso de direita, conservador, contra o povo e contra as organizações populares. Se depender deles, o Brasil vai para o fascismo.

Ante esta possibilidade, os golpistas em geral e o PSDB em particular já começam a falar em organizar um "pacto social", restabelecendo a democracia e a obediência à Constituição e ao Estado de Direito. Mas foram os golpistas que desrespeitaram à Constituição e o Estado de Direito. Agora querem nossa ajuda para conter seus monstros...

Para que se restabeleça a paz, a ordem e o crescimento econômico com inclusão social e distribuição de renda, o melhor nome continua sendo Lula. Para que, tanto os golpistas como o mercado, aceitem Lula disputar, ganhar e governar, é preciso fazer uma nova carta ao povo brasileiro, mostrando como pretende governar, como vai combater a corrupção e a violência, mostrando como vai melhorar as políticas públicas e como não vai fazer concessões aos corruptos e aos corruptores. Além de se comprometer que será candidato apenas para um mandato.

Lula é a melhor pessoa para liderar a pacificação nacional. Liderar com os trabalhadores, os empresários, as Igrejas, o Judiciário, os partidos políticos, os movimentos sociais e, principalmente, colocando o Brasil acima das picuínhas. Sem ódio e sem rancor.

Para pacificar o Brasil, Lula presidente e a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte para definir novas regras de governabilidade e modernizar o Brasil. Lula foi o melhor presidente da história do Brasil. Nunca os empresários ganharam tanto dinheiro como nos governos de Lula. Nunca o Brasil teve a imagem internacional que teve nos governos de Lula.

Os brasileiros e o mundo esperam pela recuperação do Brasil. E a melhor pessoa para liderar o Brasil é Lula.



Nenhum comentário:

Postar um comentário