sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Abílio Diniz e a Imprensa

Mais uma má notícia para Abílio

A vida do empresário não é mais a mesma.


Antes de vender o Grão Pão de Açúcar, Abílio era o vencedor de todas as batalhas, comprava tudo e crescia como o Brasil do pós-guerra. Contaminado pela seu excesso de autoconfiança, blefou alto sobre o Casino, o dono contratou assessoria jurídica e de imprensa para fazer o contra-ataque e passou a combater Abílio em todas as frentes. Na imprensa, a Folha foi a principal aliada do pessoal do Casino.

Abílio perdeu a disputa e o Pão de Açúcar.
Perdeu mas não desistiu de continuar sendo um dos maiores e melhores empresários do Brasil. Como dizia a propaganda: "O brasileiro não desiste nunca". Nem Abílio...

Com a saída de Abílio do Pão de Açúcar, ele comprou ações, fez conchavos e conseguiu ser indicado presidente do Conselho de Administração da BRF, a maior empresa de carnes do Brasil. Uma grande empresa, criada graças ao apoio dos governos FHC e Lula.

Mas, mesmo com todos os esforços de Abílio, ele não contava com o Golpe e com a recessão imensa criada pelos golpistas. Abílio, com sua praticidade, abandonou os petistas e se aproximou dos golpistas. Isto não foi suficiente para que a BRF, pela primeira vez na história, tivesse prejuízos contínuos. Não estava preparada para a crise brasileira...

Abílio canalizou parte de suas riquezas para o Carrefour.
Passou a ser um dos maiores acionistas no Brasil e no mundo. Agora está concentrando-se na gestão do Carrefour mundial, como forma de dar o troco no Casino. Freud explica...


Hoje os jornais voltam a falar dos recuos de Abílio Diniz.

O título da Folha é:


"Após prejuízos, BRF substitui presidente"

"Abílio Diniz, presidente do conselho, afirma que transição foi combinada e nega ter havido erro na gestão"

Perceberam o destaque no PREJUÍZO e no nome de ABILIO?

Já o título do Estadão é:


"Pressionado por acionistas, Pedro Faria deixará BRF"

"Executivo, que contava com apoio de Abilio Diniz, vinha sendo questionado após empresa registrar primeiro prejuízo anual".

Agora vejam como indiretamente Abílio reconhece que o golpe afetou os negócios:


"Apesar do prejuízo de 2016 e das recentes demissões, Abílio negou que a empresa tenha cometido erros e afirmou que as mudanças são CORREÇÕES DE RUMO. Abílio disse ainda que o prejuízo decorreu de UM CICLO ECONÔMICO DESFAVORÁVEL."

Como dizia a música cantada por Elis Regina:

"O Brazil não conhece o Brasil..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário