sábado, 30 de setembro de 2017

Barcelona enfrenta Madri por independência

Rivalidade de longa data

Regime de Franco alargou as fraturas entre Barcelona e Madri, que agora estão fundas

Gilles Lapouge, Correspondente / Paris, O Estado de S.Paulo
30 Setembro 2017 | 05h00

O Barça, um dos maiores times de futebol do mundo, tem seu estádio, o Camp Nou, na capital catalã. Nos últimos dois anos, cada vez que o Barça joga, ocorre o seguinte: quando o relógio da partida marca 17 minutos e 14 segundos, um furor sacode o estádio e um imenso rugido sobe aos céus, acompanhado de slogans independentistas. São os torcedores comemorando a convocação pelo governo da Catalunha, presidido por Carles Puigdemont, do referendo pela independência catalã, marcado para amanhã. A convocação continua valendo, apesar da reação irada do governo chefiado por Mariano Rajoy.

E por que as manifestações começam exatamente aos 17 minutos e 14 segundos do jogo? Porque esse ritual remete a uma grande data histórica: em 11 de setembro de 1714 (daí os 17 + 14), no fim da Guerra da Sucessão da Espanha, as forças de Madri derrotaram as de Barcelona, dando a vitória aos Bourbons e pondo um fim brutal aos arrancos independentistas do grande porto catalão.

Nesse dia de luto, a Catalunha faz sua festa nacional, o que não deixa de ser meio bizarro – na maioria dos países, as datas nacionais costumam evocar vitórias. Barcelona comemora uma derrota, como para manter a sede de vingança que os catalães têm dos madrilenhos, ou castelhanos. Por aí se vê que o confronto entre Madri e os catalães não é uma explosão momentânea de cólera. A rivalidade é mais antiga que a existente entre o Barça, e seu arquirrival, o Real Madrid.

Já de início, a geografia separa as duas cidades: Madri, a capital dos reis, está no centro do país, em terras difíceis de lavrar. Barcelona, terra de pescadores, camponeses e comerciantes, fica de frente para a França, a Itália, a Grécia, a África. A Catalunha é muito mais rica que as terras áridas de Madri e do restante da Espanha. Ao longo da história, esses velhos antagonistas de orgulhos feridos conheceram momentos de tensão e calmaria.

O regime ditatorial de Francisco Franco alargou a fratura entre as duas regiões. Franco não gostava dos catalães – intratáveis, democratas (às vezes anarquistas) e, com frequência, revoltados. E os catalães alimentavam as diferenças. Eles insistiam e insistem, por exemplo, em não falar castelhano. Franco torceu o nariz e proibiu a língua catalã.

Foi uma péssima ideia. Eu, se por desgraça um dia vier a ser ditador, não tocarei na língua de meus adversários. A língua é sagrada. Afrontá-la é o melhor meio de se provocar uma revolta. Os catalães, que mostraram um grande heroísmo na Guerra Civil de 1936, desde então acusam os madrilenhos de serem cúmplices de Franco, o que é mentira. Foi em toda a Espanha que se desenvolveu uma resistência heroica, no fim vitoriosa, contra o franquismo.

Há uma dezena de anos que a impaciência independentista dos catalães não para de se renovar. O status de autonomia que Barcelona obteve não bastou para acalmar os grupos mais resolutos. Desde 2012, vemos renascer a festa do 11 de setembro, a Diada, como fator de reagrupamento dos independentistas. Um status de autonomia extremamente avançado chegou a ser concedido à Catalunha em 2006. Infelizmente, foi anulado pelo Supremo espanhol. A partir de então, os sobressaltos se sucederam. Mas o capítulo mais tenso pode ocorrer amanhã.

É preciso dizer que o poder central nada fez de concreto para acalmar os ânimos. Por cálculo ou por tolice, Rajoy, querendo apagar o incêndio, só fez atiçá-lo. Declarou o referendo inconstitucional, como confirmaram todos os tribunais constitucionais. Mas ele foi mais longe. Tentou sufocar a consulta, torná-la impraticável.

Todas suas medidas se mostraram vãs, mas aqueceram os ânimos. E Puigdemont não recuou. Sua resolução é total. Dá para medir sua força e sua vontade ao se examinar os três partidos que se associaram para o plebiscito: o de Puigdemont, o Partido Democrata Europeu Catalão, conservador de direita; o partido Esquerda Republicana Catalã, e a Unidade Popular, de esquerda radical. São três sensibilidades incompatíveis, mas que deixaram de lado os antagonismos para se unir contra Madri.

Pode-se prever o resultado? Se formos tomar por base Barcelona, com seu festival de cores da propaganda eleitoral, o agito de suas esquinas e cafés, acharemos que o campo da independência vai ganhar de lavada. De fato, os independentistas, talentosos, ruidosos, bons oradores, reduziram os adversários ao silêncio. Mas, segundo pesquisas e jornais, a disputa será bem mais equilibrada do que aparenta.

Há muitos catalães adeptos do centralismo de Madri, os “jacobinos”. Outros, embora tentados pela independência ou autonomia, temem que um “sim” num referendo proibido por Madri tenha efeitos catastróficos, talvez fatais.

Uma consequência o referendo já trouxe, bem lamentável: levou a cizânia ao coração das famílias. Algumas estão fortemente divididas. A jovem põe a língua para o avô, a mãe puxa os cabelos do marido, o sobrinho expulsa o tio com um chute no traseiro, o bebê rejeita tomar a mamadeira. Santo Deus! É uma situação bastante interessante para estudo, mas lamentável dentro da ordem política.

E não subestimemos o impacto internacional do drama catalão. Com sua pretensão, essa província espanhola não está sozinha na Europa. A Escócia, uma parte da Irlanda, a Liga do Norte, a Bélgica flamenga, os bascos espanhóis e franceses, os catalães da França e outras minorias também querem levantar voo. É verdade que o separatismo existe desde que o mundo é mundo. Mas no mínimo é preciso admitir há alguns anos ele vem se multiplicando, ganhando intensidade.

Quem poderia imaginar que a tendência de reaproximar povos e construir grandes blocos transnacionais, como a União Europeia, assustaria minorias e etnias e, na ânsia de unir, acabaria por multiplicar as fraturas? Se eu fosse um funcionário de alto escalão de Bruxelas nomearia uma comissão multiétnica para tratar do assunto. A “volta da nação”, no imaginário e no real, talvez marque os próximos anos. / TRADUÇÃO DE ROBERTO MUNIZ
É CORRESPONDENTE EM PARIS

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Jovens e Negros são os mais prejudicados com a crise

O Valor viu os jovens, não viu os negros

Costumo ler todos os fins de semana o caderno EU&fim de semana, do jornal Valor. A capa para este fim de semana está cheia de fotos de jovens e o título é:

"A crise tem rosto de jovem"

O tema da capa saiu como primeira reportagem, dando grande importância.
Já a entrevista principal é com Rodrigo Maia,
presidente da Câmara e membro do DEM, partido herdeiro da Arena e do PFL.
Como se uma coisa não tivesse nada a ver com a outra.

Quando fui ver a matéria sobre "A juventude encalacrada",
surpreendeu-me que nas fotos de São Paulo, os jovens eram todos... NEGROS.

Surpreendeu-me mais ainda o fato de eles serem negros não ser apresentado na matéria. Ato falho?

São jovens que estudaram, fizeram faculdade, viveram o boom do Real e dos governos Lula-Dilma, e agora estão vivendo o drama da crise econômica do governo ilegítimo de Temer e seus aliados golpistas. O sonho acabou?

"Além de moradores de periferia de grandes metrópoles e da energia própria da juventude, os dois compartilham com tantos outros uma mesma história:

Estudaram, se prepararam, mas o mercado de trabalho lhes fechou as portas."


Além da redução da renda familiar, há o desemprego e a redução do faturamento, quando são microempreendedores.
"Enquanto a perda de renda do trabalho da média da população foi de 1,77%, entre 2015 e o primeiro trimestre de 2017, a dos mais jovens, entre 15 e 19 anos, caiu 10,94%.

O jornal diz: "A cara e o endereço: NA PERIFERIA."

"Esta crise está jogando fora uma geração. Tivemos em 1980 uma década perdida, agora vamos ter outra", afirma José Eustáquio Diniz Alves, doutor em demografia e professor da Escola Nacional de Ciências Estatísticas.

No final da terceira página da reportagem, aparece pela primeira vez a palavra NEGROS.
"Segundo o estudo do Observatório de Favelas, do Rio, que fez pesquisa sobre os últimos números do índice de homicídios de adolescentes, apurados em 2014, isto nas cidades com mais de 300 mil habitantes,

"os homens correm um risco 13 vezes maior de serem vítimas de homicídio do que as mulheres e OS NEGROS têm uma probabilidade quase três vezes maior que a média".

No final da reportagem que aborda os jovens da periferia em São Paulo,
há um belo relato da advogada Monique Godoy.

Monique trabalhou em um banco, estudou na Unifiel de Osasco, sem precisar de cotas. Passou na OAB, entrou num grande escritório, onde trabalhava 11 horas por dia. O serviço que fazia não era o que imaginava da advocacia. Pediu demissão e tentou ganhar a vida como autônoma.

Conheceu a Educafro, entidade dirigida em São Paulo pelo franciscano frei David, patrocinador de inúmeras ações públicas e judiciais relacionadas a cotas e à inclusão social.

Agora Monique está começando a organizar UM COLETIVO DE MULHERES NEGRAS
e quer fazer um documentário sobre protagonismo dos NEGROS na mídia.

E assim, no final da matéria, aparece o assunto negros pela segunda e terceira vez.

Continuo gostando muito do jornal Valor, mas esta prioridade em ver apenas jovens enquanto jovens da periferia e não registrar que, além de jovens que moram na periferia, eles e elas são negros e negras, me incomodou muito.

No Brasil a maioria da população é negra e as mulheres são maioria em relação aos homens.

Já é hora de todos nós aceitarmos esta realidade e contribuir para que todos sejam iguais perante a lei e perante a vida.

Novos países e nova economia

O mundo em transformação

De vez em quando o mundo passa por choques econômicos, políticos e sociais, tendo como resultado novas formas de estruturação da economia e da sociedade. Curiosamente as grandes mudanças aparecem mais no início dos séculos. Talvez em função das expectativas que mudar de século ou de milênio trás.

Em 1914,
a Europa começou uma guerrinha que transformou-se numa guerrona e teve como consequência o fim da hegemonia monaquista e a predominância de governos democráticos, presidencialistas ou parlamentaristas. Os Estados Unidos já se transformava no mais importante país do mundo.

Em 1917, com a Revolução Russa,
o mundo entrou em pânico e os países ocidentais se juntaram para impedir que a revolução se consolidasse e serviço de exemplo para os trabalhadores do mundo. Depois de muita guerra, a Rússia derrotou os invasores e seus aliados internos. Morreram mais de sete milhões de russos.

O mundo, sem ter derrotado a Rússia, apressou-se em ceder direitos aos trabalhadores. O capitalismo reconheceu que o mercado deveria contar também com os milhões de trabalhadores como mão de obra e como consumidores. A democracia avançou, as monarquias continuaram em decadência e o mundo passou por mais um período de tensão e medo. O mundo caminhava para sua pior fase. A segunda guerra mundial...

Chegamos em 1929.


A bolsa de Nova York entrou em colapso e levou a economia europeia a bancarrota. Com a crise econômica, os governos entraram em parafuso. Perderam a legitimidade. Ainda com medo do comunismo e em função da herança maldita da primeira guerra mundial, os países foram caminhando para o fascismo e para o nazismo. Os conservadores, com medo dos trabalhadores, aliaram-se direta e indiretamente aos nazistas. Mas os nazistas não queriam autonomia dos povos nem liberdade, os nazistas queriam construir o seu império, queria substituir a Inglaterra...

Mas o século XX já não era igual ao século XIX, a Inglaterra, mesmo em crise econômica, conseguiu liderar a resistência aos nazistas. A França blefou e passou vergonha. Já não era mais a França de Napoleão. Os conservadores e o mundo viram a destruição nazista matar milhões de pessoas e transformar outros milhões em trabalho-escravo. Era preciso derrotar os nazistas.

Chegamos em 1941.

Mais uma vez, o mundo constatou a força da Rússia. Mais uma vez um louco comando tropas e países, ousou invadir a Rússia, achando que a derrotaria em poucos dias. Foi aí que o nazismo começou a perder a guerra. Com a entrada pesada da Rússia, a resistência da Inglaterra e a entrada, mesmo que tardia dos Estados Unidos, os nazistas começaram a ser derrotados em todas as frentes de batalha.

Com o fima da guerra contra o nazismo, o mundo viu o comunismo apoderar-se de metade da Europa, a Rússia ser a segunda potência mundial e viu também os países serem reconstruídos e os povos espalharem-se pelos continentes. Finalmente, surgiu o Estado de Israel. Mas o mundo continuou tenso com a guerra-fria.

A economia mundial entrou em transformação profunda, modernizando-se e melhorando as condições de vida da população da Terra. Era a globalização em sua plenitude. Ninguém estava mais sozinho. Nenhum país poderia isolar-se.

Chegamos em 1980
e desta vez quem entrou em colapso foi a economia "comunista", implodindo o sistema soviético e deixando o mundo sob controle quase que absoluto dos Estados Unidos. Antes disto, com medo dos russos, chineses e americanos fizeram uma aliança que levou a China a transformar-se na principal economia do mundo no século XXI. O feitiço virou contra o feiticeiro. Os Estados Unidos, aos poucos, vai perdendo sua hegemonia...

Chegamos a novo milênio e novo início de século. Estamos em 2017...


2017. Um século da revolução russa.
2017. Os países do leste europeu agora são capitalistas e conservadores.
2017. Os povos que não tinham países conquistaram sua autonomia.
2017. Povos que ainda lutam por sua pátria começam a conquistá-la. Armênia, Moldávia, Bósnia...
2017. Os curdos fazem seu plebiscito e 93% dizem que querem sua Pátria!
2017. Barcelona lidera o plebiscito por autonomia da Espanha.

2017. O mundo nunca viu tanto consumo, bilhões de automóveis, aviões e aeroportos lotados, medicina que cura quase tudo, populações locomovendo-se em trens de alta velocidade. Os chineses são os novos turistas do mundo e os alemães finalmente conseguiram ser reconhecidos como o país mais importante da Europa.

E já estamos nos últimos meses de 2017...


Como serão os próximos anos???

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Um dia de muitas notícias

Fatos relevantes para reflexão

1 - Querem acabar com filosofia e política nas escolas e obrigar os alunos a terem aulas de religião. É o Brasil voltando ao tempo da Inquisição e da ignorância. E, o pior é que contam com o apoio de juízes do Supremo! De supremo não tem nada...

2 - Uma boa notícia foi ver Mano Menezes voltar a ser campeão. Mais um que passou pelo Corinthians e voltou a ganhar jogo. Parabéns aos cruzeirenses e também aos flamenguistas que jogaram bem e perderam nos pênaltis.

3 - Voltando às notícias ruins: Senado deve rejeitar o afastamento de Aécio. E tinha gente pensando que Aécio seria preso por corrupção explícita!

4 - Abílio quer seu amigo de volta à BRF e ele pode ganhar 6 milhões de reais. E depois falam que problemas são apenas nas estatais e no serviço público. Este jeitinho já faz parte da cultura brasileira.

5 - Voltando às boas notícias: Quem viu o que Neymar fez ontem e poderia ter feito mais, ficou sentindo um orgulho dos meninos do Brasil. Isto apesar dos cartolas, dos políticos e dos governos.

6 - Outra boa notícia: Pela primeira vez, a Folha fez uma grande matéria sobre Vaccari e não falou mal dele. Demorou mas reconheceu que Vaccari está sendo condenado pela imprensa, por juízes partidarizados e por delatores que querem ser soltos e se livrarem dos processos, mesmo que tenham que mentir e acusar pessoas sem provas.

7 - Duas notícias internacionais importantes:

7.1 - Curdos no Iraque votaram pela independência. 93% da população curda no Iraque querem ter seu próprio país. Os curdos são a maior etnia sem país. Os curdos e os palestinos ainda não tiveram apoio da ONU para terem seu país. A população curda passa de vinte milhões, enquanto há vários países com menos de cinco milhões de pessoas.

7.2 - A Catalunha pode virar um país? Com 7,5 milhões de habitantes, a Catalunha tem língua própria e uma história também distinta da Espanha. E a Catalunha também tem BARCELONA! A cidade mais charmosa da Espanha... e da Catalunha.

8 - Vamos fechar com mais notícias ruins no Brasil - Leilão de usinas da Cemig vende usinas aos estrangeiros. Quem mais comprou foi... a CHINA! E olhem que a China ainda se diz COMUNISTA!

9 - E quem quiser ler uma boa entrevista, vejam no Caderno Mercado, na Folha de hoje, THOMAS PIQUETTY, defender que o Brasil deve TAXAR os mais ricos e reduzir as desigualdades. Só se trocar o governo servil e entreguista de Temer.

10 - Para terminar, eu gostaria de mostrar as fotos de nossa primavera, nosso lágrimas de Cristo e nossa árvore que não sei o nome mas está florindo em grande quantidade. Ainda temos as flores, apesar do calor e do governo corrupto...

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Brasil: Sem açúcar e sem afeto

Estupros, suicídios, corrupção, assaltos, etc

As reportagens e as estatísticas mostram o crescimento da violência individual e coletiva. Estes números sempre foram escondidos, como os números sobre a escravidão e o extermínio dos índicos no Brasil. Este Brasil urbano, moderno, porém desestruturado, precisa ser conhecido e readequado. Precisamos enfrentar os desafios.

Vivemos sob o domínio do medo e da sensação de impotência.


Vivemos a constatação de desgoverno e de falta de credibilidade das autoridades. Quando já não confiamos em ninguém, ficamos esperando os messiânicos, os bonapartistas e os salvadores da pátria.

Crianças e jovens que se suicidam;
Mulheres que são estupradas e agredidas.

Idosos que são assaltados em pleno dia;
Casas que são invadidas por ladrões.

Histórias de políticos corruptos que continuam governando;
Brigas de quadrilhas pelo controle dos morros e do tráfico.

Professoras agredidas nas escolas;
Escolas que agridem os pais com os aumentos abusivos.

Juízes que se sentem acima da lei;
Imprensa que se sente acima de todos.

Com o aumento da crise governamental;
aumentam também as crises individuais e familiares.

Aumentam os divórcios, aumentam as pessoas carentes;
Aumenta o desemprego, aumentam as crianças fora das escolas.

Aumenta a impunidade, aumenta a justiça pelas próprias mãos;
Aumenta a corrupção, aumenta o descrédito na política e nos políticos.

O mundo moderno, com mais liberdade para as crianças e adolescentes,
com os direitos iguais entre gêneros e etnias, ajuda a incluir as pessoas na sociedade, com o aumento dos direitos e da liberdade individual, as carências e as necessidades também aumentam.

A superação dos problemas do mundo moderno passa pelo apoio às pessoas e também por políticas públicas.

Aos poucos as pessoas com mais de 60 anos serão maioria da população.
A vida para estas pessoas precisa ser repensada,
ser atualizada nos seus direitos e nos seus deveres.

O Brasil passa para uma implosão de valores individuais e coletivos.


A angústia também é individual e coletiva.
Sozinhos não encontraremos respostas para tudo.
Coletivamente poderemos minimizar o sofrimento.

Para adequar este novo Brasil, precisamos repensar tudo.
Para responder a tantos problemas, podemos começar por uma

NOVA CONSTITUIÇÃO
com os constituintes eleitos pelo povo.


Um novo Brasil é possível!

Assim superaremos esta fase "sem açúcar e sem afeto".
Ainda como canta Chico Buarque: O quê será que será????

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Zé Dirceu, Aécio, Palocci, Vaccari e tantos outros

A ditadura de toga pode ser pior do que a militar

A justiça julga e condena quem quer e como quer.

A imprensa comemora e dá ampla cobertura às prisões...

Juízes e procuradores semeiam a desconfiança contra todos e entre todos.

Já não podemos acreditar nem sequer nos juízes e procuradores...

Zé Dirceu é condenado por processos "montados"
e a partir de delações premiadas ou torturas de presos, mesmo que engravatados e milionários. Foram presos e torturados...

Aécio Neves, que podemos chamar de "chefe de quadrilha",
que ameaça de morte os dissidentes e delatores de seus comparsas, pode até ser afastado do mandato, mas não pode ser preso. Talvez em homenagem ao grande político Tancredo Neves. Este sim, sabia fazer política...

Palocci continua delatando a todos e a todas.

Não chegou a apanhar na prisão para dizer o que os torturadores queriam dele. Falou, delatou, inventou, copiou e entregou motivos por assuntos que só saberemos com o tempo. Ainda não delatou os banqueiros que doaram pelo caixa 2 e outras coisas mais...

Vaccari foi absolvido, por maioria, pela 8a. Turma, por insuficiência de provas.
Esta é a SEGUNDA DECISÃO do TRF-4 que ABSOLVE Vaccari.

Os ladrões e corruptos confessos foram soltos
, principalmente se forem do PMDB ou do PSDB.
Já Vaccari, ainda não conseguiram nada, absolutamente nenhuma prova contra ele e sua família.

Mas ele é mantido preso.


Qual o crime Vaccari cometeu?
A única acusação verdadeira contra Vaccari
é que ele foi ser TESOUREIRO DO PT.

Ser tesoureiro de um partido legalizado,
com as contas aprovadas pelo TSE,
é o suficiente para ser criminalizado e detido?

Em qualquer país democrático, isto jamais aconteceria...

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Extrema-direita ofusca vitória de Merkel na Alemanha

Merkel vence e direita radical surpreende

Por Assis Moreira, jornal Valor, 25/09/2017

No início da tarde de ontem, o popular jornal alemão "Bild" alertava para um "Wahlbeben" (terremoto eleitoral) no rastro da campanha eleitoral mais tediosa da história recente da Alemanha. Horas depois, Angela Merkel tinha a confirmação de seu quarto mandato como primeira-ministra da Alemanha, mas com algumas advertências.

Seu partido, a conservadora União Democrata Cristã (CDU), obteve o pior resultado desde 1949, com cerca de 33% comparado a 41,5% em 2013, por exemplo. Foi pior para o Partido Social Democrata (SPD), parceiro menor na coalizão com Merkel, que fez campanha centrado em justiça social e amarga o pior resultado de todos os tempos com cerca de 20% dos votos ante 25% há quatro anos.

Já a extrema-direita, com o Alternativa para a Alemanha (AfD), entra no Parlamento (Bundestag) pela primeira vez em 50 anos com uma campanha anti-imigração e antieuro. O descontentamento dos menos beneficiados pelo sucesso econômico alemão e temerosos da globalização jogou 22% de votos para os extremos (13% para o AfD e quase 9% para A Esquerda).

A maioria dos alemães votou como previsto, pela estabilidade e uma certa segurança de uma continuidade que tem dado bons resultados. Mas o novo cenário político antecipa tanto uma dificuldade para Merkel montar a coalizão para governar a maior economia da Europa nos próximos quatro anos, e uma contestação muito mais dura no Parlamento.

O sentimento entre analistas é de que a grande coalizão dos dois grandes partidos (CDU e SPD) não deve sequer se repetir. A política centrista dos anos Merkel acabou estimulando e jogando mais opositores para extrema-direita.
Dirigentes do próprio SPD, previsivelmente chocados com o resultado, nem querem ouvir falar no momento em nova grande coalizão, e preferem voltar a ser o grande partido da oposição.

"Não podemos ter um partido de extrema-direita liderando a oposição na Alemanha, portanto... vamos para a oposição", disse ontem o líder socialdemocrata Martin Schulz, referindo-se a possibilidade de o extremista AfD se tornar a maior força de oposição no país, podendo até mesmo ter a presidência da Comissão do Orçamento. "Nosso papel é bastante claro: somos o partido de oposição."

Com o grande número de assentos que obteve no Bundestag, obtendo a terceira maior bancada, o AfD vai poder contratar uma equipe de quase 400 pessoas, dispor de cerca de € 30 milhões de fundos públicos e de uma visibilidade sem precedentes na mídia. Um de seus líderes, Alexander Gaulard, deflagrou imediatamente a guerra contra Merkel:

"Vamos caçar Merkel, vamos retomar nosso país e nosso povo".

Criado há quatro anos como oposição econômica ao socorro a países do sul da Europa, o AfD progressivamente se tornou mais extremista, nacionalista e xenófoxo, mesmo com instinto neozanista, como diz o "Handelsblatt", jornal de economia alemão.

Além de antieuro e anti-imigração, o AfD contesta mesmo o fundamento da democracia, tenta reavivar uma certa identidade da Alemanha, questiona a economia social de mercado e a abertura para o mundo. Cerca de 70% de seus apoiadores são homens, com pouca instrução ou qualificação profissional.

A Alemanha, locomotiva da Europa, crescerá no próximo ano acima da média da zona do euro. O índice de confiança das empresas atingiu o maior nível em seis anos e meio, recentemente. A indústria manufatureira vai bem, as exportações continuam fortes.

Merkel sabe que poderá ter de acelerar a promessa de devolver parte dos € 24 bilhões de superávit do orçamento, na forma de cortes nos impostos nos próximos quatro anos, e também com mais gastos públicos em infraestrutura - como na economia digital.

Além disso, a crise dos refugiados continuará no centro da agenda política alemã e europeia. Merkel falou pouco sobre o tema, durante a campanha. Mas o AfD fez do tema o seu cavalo de batalha e isso vai pesar igualmente na eleição do Parlamento Europeu de maio de 2018.
Recentemente, Merkel deixou claro que os países que não respeitam as quotas de atribuição do direito de asilo na União Europeia (UE) poderão ver cortes na ajuda europeia em outros setores.

Ou seja, se não há solidariedade em torno da migração, não deve haver em outras áreas, numa advertência a países como Polônia, Hungria e República Checa, que recebem bilhões de euros como membros da EU, mas se recusam receber o número determinado de migrantes. A Hungria tem sido particularmente dura na oposição à política migratória europeia, recusando aplicar o plano de Bruxelas de partilha dos requerentes de asilo que chegam pela Itália e Grécia.

Depois da eleição de Emmanuel Macrom na França, cresceu o otimismo sobre o futuro da Europa. Iniciativas franco-alemã são consideradas centrais para dar um novo ritmo nas reformas na Europa.

Mas antes é preciso saber qual coalizão Angela Merkel vai poder formar para governar. Está claro que a defesa por reformas seria mais forte sob uma coalizão CDU/SPD, enquanto um governo entre a CDU e o Partido Democrático Liberal (FDP) deve focar mais em disciplina fiscal.

Certo é que os rumos da integração europeia dependerão crucialmente de Berlim e Paris. Macron defende uma forte convergência fiscal e social na zona do euro e apresentará amanhã suas propostas de reforma. De seu lado, Merkel apoia a ideia de um ministro de Finanças da zona do euro, mas seu papel na visão alemã difere daquela dos franceses.

A Alemanha e a França vão pesar também sobre o projeto da Comissão Europeia em torno de uma Europa com várias velocidades, na qual alguns países poderiam avançar mais rapidamente na integração do que outros mais céticos.

A expectativa é de que o novo governo alemão seja confirmado antes da cúpula de dezembro dos líderes da UE. Isso daria tempo para os outros países europeus aprofundarem o debate sobre as negociações do Brexit (saída do Reino Unido da UE), incluindo questões de direitos dos cidadãos europeus e o custo da fatura do divórcio.

Outra negociação na Europa na qual Angela Merkel, como a mais poderosa dirigente do continente, terá muito peso, é sobre a integração da defesa do mercado comum.

O presidente americano Donald Trump não cessa de criticar os europeus por gastar menos de 2% do PIB na defesa e na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan, a aliança militar do ocidente). Líderes europeus dizem que a integração da defesa continuará, incluindo um fundo de € 5,5 bilhões.

domingo, 24 de setembro de 2017

Angela Merkel governa por 16 anos

Por que ela pode e Lula não pode?

Nossa imprensa, desde que perdeu o pudor e saiu do armário, assumindo seu lado golpista e antidemocrática, não se cansa de elogiar o que ela acha certo e criticar o que acha errado. Só não pode querer arvorar-se como democrática.

Eu fui favorável à Lula ter um mandato de intervalo e depois voltar a ser candidato para dar continuidade ao seu trabalho. Diariamente nossa imprensa bombardeou a proposta, estimulando até que Dilma tivesse o segundo mandato como forma de enfraquecer os governos petistas e voltarem ao poder.

Quando falamos em imprensa conservadora e antidemocrática, obviamente estamos também falando do PSDB e também de parte significativa do judiciário. Se o PMDB passa a imagem de corruptos e mercenarios, o PSDB e o judiciário passam a imagem de entreguistas das riquezas nacionais e vendedores da soberania nacional. Além da destruição do Estado mínimo.

Nunca na história deste país se viu um governo tão desmoralizado como este.

Qual é o limite para o Brasil e para o Povo?

Lula não disputou em 2014 porque não quis.

Agora, quer disputar em 2018 e os golpistas não querem deixar.

Não querem deixar o povo decidir.

Estão com medo do Povo.

Por que a Alemanha pode ter Democracia e o Brasil, não pode?

sábado, 23 de setembro de 2017

A primavera chegou!!!!

Apesar do cálor, as flores estão chegando...

Vejam alguns exemplos.











Com o calor da primavera, as folhas e as flores do pé de Lágrimas de Cristo começam a brotar. Aos poucos ficarão lindas...

Já o pé de Jabuticaba começa a ficar carregado de flores. Logo logo teremos jabuticabas. Lindas jabuticabas.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Petrobras quer desmoralizar funcionários

Diretoria da Petrobras quer destruir direitos dos funcionários

Segue resumo da proposta apresentada pela Direção da Petrobrás e subsidiárias a FUP - Federação Única dos Petroleiros em 21/09.
Principais pontos da proposta apresentada pela Petrobrás e subsidiárias:

• Reajuste salarial de 1,73% no salário básico e na RMNR

• 0% de reajuste para os Benefícios Educacionais

• Redução de 50% para as Horas Extras e dobradinhas (extra-turno)

• Redução do pagamento das horas da troca de turno. O pagamento será limitado a 15 minutos. Se o tempo for de até 10 minutos, não será mais remunerado.

• Fim do recebimento do auxílio almoço no contracheque. A empresa propõe a migração obrigatória para o Vale Refeição/Vale Alimentação

• O valor do Auxílio Almoço não será mais considerado no cálculo da Gratificação de Férias e do 13º

• Reajuste de 34% para a tabela de Grande Risco da AMS

• Fim da Gratificação de Campo Terrestre

• Fim do Adicional do Estado do Amazonas

• Fim do Benefício Farmácia, que será substituído por um programa de acesso limitado e com restrição de medicamentos

• Fim do Programa Jovem Universitário

• Implantação de uma nova modalidade de redução da jornada de trabalho do regime administrativo, de cinco para quatro dias semanais com redução de 20% da remuneração

• Redução da gratificação de férias, que passará a ser remunerada em 1/3. Os 2/3 restantes serão pagos em forma de abono

• Fim da promoção por antiguidade de Pleno para Sênior nos cargos de nível médio

• Alteração dos indicadores que compõem a metodologia do regramento para p...


Conforme declaração do Coordenador da FUP, José Maria Rangel,

os petroleiros estão abertos à negociação,
mas não podem aceitar os patamares que foram colocados,
ao propor mudanças estruturais para o Acordo,
que acabam com conquistas históricas e reduzem direitos.

E finalizou: “Quem quer paz, se prepara para a guerra”,

Fonte: FUP

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Menescal vai fazer 80 anos

No dia 25 de outubro...

Não é aniversariante em setembro, mas, por ser uma personalidade histórica da música brasileira, as comemorações começaram um mês antes. Merecidamente!

Apesar de o Estadão continuar um jornal reacionário e decadente, o Caderno 2 continua brilhante. Não sei se a Folha comeu bola ou deixou para publicar artigos mais tarde, mas o Estadão saiu na frente e está levando vantagem.

No Caderno 2 de hoje, na capa há um bom artigo de Júlio Maria, na página 6 há dois artigos interessantíssimos!

Continuação do artigo de Julio Maria -De volta aos dias de luz - outro de João Marcello Bôscoli.

Ontem, enquanto estava parado no trânsito de São Paulo, ouvi a entrevista de Menescal na Rádio Cultura. Uma preciosidade que precisa ser repetida várias vezes. Um astral maravilhoso, uma pessoa feliz e agradecida pelas homenagens.

Falar da Bossa Nova é falar do Brasil mais feliz que já tivemos. Onde você vá no mundo, você sempre ouvirá alguém tocando ou cantando Orfeu Negro, Garota de Ipanema, Wave e tantas outras músicas universais. E tudo começou no apartamento de Nara.

Nara no Japão tocando bossa nova com Menescal. Um disco simplesmente divino. Um cantinho, um violão...

Este Menescal realmente merece que o Brasil e o mundo cantem: Parabém para você...

Aniversariantes em Setembro

Muita gente especial

Talvez por terem sidos “produzidos” no período do Natal para Ano Novo, nove meses depois, no mês de setembro , há uma grande quantidade de aniversariantes.

Alguns aniversariantes são muito especiais por terem “partido” há pouco tempo.

Dom Paulo Evaristo Arns faz aniversário dia 14 de setembro. Como esquecê-lo?

Nelson Silva, nosso querido colega e amigo que viveu tantos com a gente. Também merece um destaque especial.

Augusto Campos fez aniversário dia 21. Pensei em telefonar para Lúcia mas fiquei inibido. Falar de Augusto sempre me comove. Ainda nesta semana eu dizia aos amigos que a única pessoa que sempre teve o povo e a classe trabalhadora como “a voz de Deus” foi Augusto. Ele sempre repetia: É preferível errar com o povo, do que acertar sem ele.

Meu sogro, imigrante japonês, também partiu num dia de setembro, dia 24. Um grande japonês que contribuiu muito com o Brasil.

Em setembro temos ainda dois irmãos que fazem aniversário e muitos colegas e amigos aniversariantes.
Não vou citar todos porque a lista ficaria muito longa, mas quero deixar um grande abraço para todos os aniversariantes do mês e pedir desculpas por não ter telefonado para todos.

E em setembro ainda temos a Primavera!

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

A crise chegou às Forças Armadas

Demorou mas chegou...

O silêncio que os militares vinham mantendo até agora, foi quebrado nesta semana.

O que motivou isto?

Já houve problemas com a Reforma da Previdência,

Já houve problemas com a reforma trabalhista,

Já houve problemas com os reajustes salariais,

E agora está tendo problemas com a apuração da corrupção no Brasil,

Mas tem muita gente achando que a crise piorou com a promessa dos tucanos e do governo federal em privatizar a Petrobras ou a BR Distribuidora.

Qual é o limite para os entreguistas mercenários?

Quanto custa a soberania nacional?

Para os tucanos, não custa nada, pelo contrário, eles ganham dando consultoria às multinacionais.

Já os militares, a grande maioria é de nacionalistas. E os nacionalistas defendem a Petrobras.

Agora, o último setor da sociedade que ainda não tinha entrado na disputa pelo poder nacional, os militares, entraram de alto e bom tom. Ou os governantes trabalham com seriedade e botam ordem na zona, ou os militares estarão prontos para garantir a governabilidade, a ordem e a segurança nacional.

Já deviam estar presentes antes.

O silêncio até aqui era um silêncio de consentimento com o golpe.

Voltamos a ter esperanças...

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Parlamentarismo na Alemanha e no Brasil

Ângela Merkel ficará 16 anos no poder

No poder desde 2005, Angela Merkel deverá ganhar as próximas eleições deste domingo, dia 24, completando assim 16 anos de poder. Merkel coordena a União Europeia, com 19 países e com crescimento econômico e desemprego em baixa.

Por que com o parlamentarismo na Alemanha, Angela Merkel pode ficar 16 anos no poder e, no Brasil e demais países da América do Sul, o presidente não pode ficar tanto tempo no governo?

Enquanto que na Europa quase todos os países são parlamentaristas; nas Américas, quase todos os países são presidencialistas. Fruto da influência do sistema eleitoral dos Estados Unidos.

Qual sistema é melhor?

Eu sempre defendi que o sistema parlamentarista é melhor do que o presidencialista.

O parlamentarismo pressupõe que, necessariamente, quem tiver maioria no Congresso governe, isto é, quem não conseguir maioria no legislativo “não governa”. Obrigando as partes a se comporem para obter maioria ou então sendo convocadas novas eleições parlamentares.
Já no presidencialismo, o presidente eleito nem sempre tem maioria no Congresso.

Os casos mais gritantes no Brasil são os governos de Collor, de Fernando Henrique, Lula e Dilma.
Nenhum deles teve maioria no Congresso.
Todos compuseram com o PMDB e outros partidos conservadores e até mesmo fisiológicos, para não chamar de partidos corruptos... TODOS!

O povo precisa eleger Pessoas comprometidas com Programas.

E os eleitos devem executar os programas que se comprometeram. Ao ter que implementar os programas eleitorais, tanto o país ganha como todos aprendem a praticar a democracia.

Tem gente que diz que, no parlamentarismo, o povo não elege o presidente ou primeiro-ministro, mas, para os parlamentaristas, a governabilidade para implementar os programas é mais importante do que eleger um presidente de esquerda e ter que governar para a direita, ou vice-versa.

A prova de que o parlamentarismo é melhor aparece nitidamente no modelo alemão, enquanto que no presidencialismo, a experiência brasileira mostra casos de traição onde os eleitos por um programa social, derrubam a presidente e passam a implementar um governo neoliberal, entreguista e que vende a soberania nacional.

No parlamentarismo, quando se tira o presidente ou primeiro-ministro, o congresso, através da maioria, pode indicar um novo executivo, seja homem ou mulher.

E a vida continua,
sem grandes desgastes econômicos, sociais e políticos.

Precisamos ter coragem de experimentar.
A sociedade aceita o erro, o que não aceita é a omissão.


A solução do Brasil está no Judiciário?

Contra o golpe, só a Democracia Popular

Nas crises sociais e econômicas, é comum que as soluções passem por novas ditaduras. Sejam elas iniciadas através de golpes civis ou militares, mas a regra são rupturas através de golpes.

No Brasil atual, a opção foi por um golpe civil, sem a participação repressiva dos militares. Estes participaram como "avalistas silenciosos".

Passado o golpe, vem o impasse:

Como retornar ou começar o Sistema Democrático
com a participação direta do Povo? Como o Brasil vai voltar a ser uma Democracia reconhecida internacionalmente?

Da mesma forma que em 1964, o que aparentemente deveria durar alguns meses, passou por 1968 e durou mais de vinte anos, o novo golpe no Brasil ainda está muito recente, as forças políticas e econômicas ainda não se recompuseram. Todo mundo está com medo de todo mundo. Ninguém confia em ninguém. E o Povo observa ressabiado, desconfiando mais ainda...

A ditadura criada com o golpe de 1964 foi encerrada em 1985, quando definiu-se que haveria eleições diretas para presidente e também haveria nova Constituição. Com a inflação crescente e os empresários em novos patamares, criou-se um pacto social, preservando-se os bônus e os ônus da ditadura militar. Não houve ruptura para a democracia. Houve uma acomodação.

Os novos golpistas estão numa sinuca de bico:


Estimularam o empoderemento do judiciário e da imprensa, abrindo mão do poder legislativo e do executivo, deixando o país à deriva de vaidades e de "forças ocultas". Afinal, não há poder honesto no Brasil. Os poderes são compostos por pessoas. E as pessoas, para exercerem poderes, na grande maioria aceita fechar os olhos às irregularidades. As instituições e seus representantes sempre se locupletaram com a corrupção, a ilegalidade e o jeitinho brasileiro.

Os militares, em 1964, não combateram a corrupção. Combateram as reformas populares, sob o pretexto de se combater o comunismo. E para isto, o jeitinho brasileiro e americano passava por cima da legalidade... Isto faz parte da História e da composição do Brasil.

Agora surgiu um novo general Mourão conclamando o combate à corrupção.


Realmente é preciso dar um basta à corrupção no Brasil.
Em todas as instituições, publicas e privadas.
É preciso punir os corruptos e os corruptores.

O general Mourão delega ao Judiciário o poder moralizador. Este é um erro gravíssimo!
O Judiciário não tem autoridade histórica para exercer o poder moralizador do Brasil. Nenhuma instituição sozinha tem hoje esta autoridade.

Qualquer solução que não passar pela legitimação do voto popular levará o Brasil a novos impasses e a novas rupturas.

O maior problema atual é que os golpistas sabem que precisam do voto do povo para se sentir legitimados, mas estão com medo do povo. Não estão seguros de que, mesmo impondo Pacotes Eleitorais, conseguirão induzir o povo a votar em seus candidatos. Há uma imponderabilidade que afeta as definições necessárias para restabelecer a democracia no Brasil. Ainda vivemos numa profunda crise de hegemonia política, econômica e social.

Enquanto não se acertar a forma de se restabelecer a Democracia,
estaremos caminhando mais para 1968 do que para 1985.

Com generais ou sem generais.
Com o Judiciário ou apesar do judiciário.
Com a imprensa ou contra a imprensa.

É necessário restabelecer a Democracia no Brasil.


E não se iludam com as Igrejas Evangélicas partidarizadas.
A Igreja Católica já teve sua época de partidarização...

Precisamos de transparência absoluta nas instituições,
precisamos de uma estrutura de Estado simplificada,
precisamos criar mecanismos de participação efetiva do povo.

O povo sim deve ter a palavra final sobre seu governo e suas instituições.


segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Janot se foi. E os outros?

Se Janot não era de confiança, quem seria?

Empresários fizeram acordos com juízes e procuradores, e estes acordos não foram respeitados;

Advogados fizeram acordos nos autos e reclamam que estão sendo ludibriados pelos juízes;

Polícia Federal invade casa de empresários em busca de documentos e dinheiro...

Políticos do PMDB são expostos como corruptos e bandidos, ridicularizando o governo Temer.
Com tantos políticos corruptos, porque só são expostos os políticos do PMDB?

Jornalistas destacam que o PMDB foi base importante nos governos petistas,
e no governo de FHC, o PMDB foi o quê? O segundo maior partido da base de FHC e do PSDB.

Então, porque escondem as histórias de envolvidos com corrupção nos governos do PSDB?

Em quem confiar: no governo? no judiciário? no legislativo?

Por isto que o povo anda silencioso, observando mas sem comentar nada.

O Povo não sabe em quem pode confiar...

Precisamos recuperar as esperanças e a vontade de participar.

domingo, 17 de setembro de 2017

Bahia e Vitória: Abraço de Afogados

A Bahia não pode deixar

O povo baiano deve tomar coragem e exigir dos times baianos que estão na primeira divisão que joguem mais futebol e saiam da zona de rebaixamento.

O Bahia tem tradição e o Vitória já teve muita qualidade para se deixarem levar para o rebaixamento.

A Bahia não pode ficar parecendo o que está acontecendo com o Brasil: tudo para baixo e muito pessimismo.

Vamos lá, Bahia!

Vamos lá, Vitória!

Ainda temos tempo de sair do rebaixamento!

sábado, 16 de setembro de 2017

Ainda temos Paris, Nova York, Roma, Istambul...

Apesar das tragédias

Ontem assistimos mais uma vez ao filme Casablanca.


Algo inesquecível, emocionante, um filme tão importante como "Os dez mandamentos", "Cidadão Kane", "Couraçado Poutenkin" e tantos outros filmes que marcaram a humanidade.

Pesquisando sobre o filme, vi que foi lançado em 1942, portanto, quando a segunda guerra mundial ainda não tinha acabado.

Um filma que fala da violência da guerra, mas que destaca a importância do sentimento, do amor, da solidariedade e dos caminhos da vida.

Não esmorecer, não abrir mão dos princípios, mesmo correndo risco de vida.

Quando olhamos para o mundo atual
, ficamos assustados com a degradação e a falta de perspectiva.

Quando olhamos para o BRASIL atual
, ficamos com vergonha do nosso país.
Em qualquer lugar as pessoas perguntam pelo Brasil glorioso e cheio de esperanças.

Os taxistas, os feirantes, os jovens, enfim, todo mundo acha que o Brasil foi tomado por ladrões, de gravata, de toga, de armas do Estado, de armas ilegais, enfim, a degeneração das instituições e das pessoas leva nosso Brasil a um impasse.

O Brasil não voltará a ser o que era...


com estes partidos,
nem com este judiciário,
nem com esta imprensa,
nem com estes "pastores",
nem com estes sindicalistas,
nem com estes estudantes,

muito menos com estes banqueiros,
e estes empresários.

Algo novo precisa ser feito,


cabendo ao Povo, na sua totalidade,
decidir o que quer do seu país.

Precisamos de Nova Constituinte,

simples, objetiva,
errou-pagou
repetiu-puniu mais duro,
acertou-valorizou

e assim todos ajudam a criar o Brasil de todos,
com todos e para todos.


Isto é DEMOCRACIA.

Fora isto:

ainda temos Paris, Nova York, Roma Istambul, Londres, Barcelona, Tel Aviv, Rio de Janeiro e todas as cidades profanas, cultas, que vivem 24 horas sem dormir e sem parar de cantar e sonhar.

O tempo passa,
e as Primaveras voltam.


As time goes by... com o sorriso lindo de Ingrid Bergman.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Histórias incompletas

Por que a imprensa e o judiciário protegem o PSDB?

Perdem políticos de tantos partidos e soltam os do PSDB. Mesmo tendo provas, gravações, filmagens e documentos...

Se é para o judiciário e a imprensa serem partidárias, que deixem o POVO decidir.

Ou eles têm medo da vontade do povo?

A Democracia só tem sentido se for para servir ao povo.

Brasil perde imagem e dignidade

Uma tristeza

Tem gente que tem muita inveja e não consegue ver os outros brilhar.

O Brasil vive desta tragédia que foi o PSDB não aceitar as vitórias de Lula e do PT.

Só o tempo para o Brasil recuperar a alegria de viver e ter orgulho de ser brasileiro.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Prenderam Garotinho?

Continua a história de se prender para fazer marketing

Vai faltar cadeia para tanto corrupto!



O problema é que ninguém está podendo atirar a primeira pedra.

A corrupção no Brasil é endêmica.

Precisamos convocar Nova Constituinte e fazer novas regras para o Brasil.

Corrompeu, prende os envolvidos, quem paga e quem recebe.

O Brasil não pode ficar parado porque não se confia no presidente.

Que se obrigue o presidente a sair ou será demitido.

Não é assim que que se resolve com quem trabalha?

Perdeu a confiança? RUA

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Judiciário está igual ao Legislativo: desacreditado!

Não dá para acreditar em ninguém

Quando a Justiça funciona na base da conveniência, ela fica desacreditada,

Quando juízes se locupletam com criminosos, por dinheiro ou por política, o medo cresce,

Quando um juiz age conforme aliança e interesses familiares com políticos, pronto, vira promiscuidade.

Assim anda nossa Justiça. Desacreditada, manipulado e sem autoridade para cobrar os outros. Uma pena!

Já os políticos, estes estão totalmente desacreditados e não merecem o mandato que tem. São oportunistas, inescrupulosos e cinicos. Podem ser cassados pelo povo para se fazer nova Constituinte.

Ninguém aguenta mais.

O desemprego continua, o governo cada vês rouba mais e o Brasil só piora.

Já passou da hora de se acabar com esta baderna!

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Joesley preso e Corinthians perde

O clima é de incertezas...

Quem denunciou a corrupção foi preso. Parece que o acordo com a Justiça não serviu para nada.

Vivemos um clima de inversão de valores.

Para completar a confusão, o Corinthians voltou a perder.

Por que será que o Brasil virou esta confusão?.

Sinais dos tempos?

domingo, 10 de setembro de 2017

Ainda temos um pouco de futebol

Vamos ver se o Corinthians ganha do Santos


Sempre lembro-me de meu irmão torcedor do Santos e de Adozinda, portuguesa que torce fanaticamente pelo Santos.

Com tanta baixaria na política, ainda temos um pouco do futebol.

Vamos que vamos!

sábado, 9 de setembro de 2017

E quando começarem a prender juízes e jornalistas?

É só o que está faltando!

E não faltam motivos:

Abuso de autoridade,

Promiscuidade entre o público e o privado,

Má fé na abordagem do assunto,

Locupletarão entre o jornalista, o juiz, a PF e a promotoria,

Jogo combinado abusivamente, passando por cima das provas contrárias,

Armação de gravações gerais sem autorização judicial,

intimidação,

Coação,

Tortura psíquica,

Abuso de penas para chantagear,

Chantagem explícita e implícita,

Facilitar uso da grana suja,

E mais centenas de alternativas...


O Brasil virou um cassino com puteiro de beira de estrada da Belém Brasília.

O povo precisa restabelecer a ordem.

Que fechem as casas legislativas, suspendam as despesas com os políticos, e se convoque Nova Constituinte para começar

UM NOVO GRASIL.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Vale tudo para destruir Lula

Prisões, gravações, escutas, traições, etc

O Brasil voltou para a era do terror e os golpistas já não escondem que tudo será feito para impedir a candidatura de Lula e, se possível, a destruição do partido.


Os golpistas esquecem que o tempo passa e o povo vai voltar e eleger seus representantes. E o povo voltará a governar o Brasil.


A imprensa faz parte da estratégia de destruição de Lula. Mesmo considerando verdadeira parte do que Pallocci falou, o processo deveria correr na justiça com pleno direito de defesa e esclarecimento. Isto não acontece nem com a justiça nem com a imprensa.

O engraçado é que, enquanto era Lula que governava, o empresariado e a imprensa, respeitavam Lula. Bastou o Brasil viver os dois mandatos de Dilma, que a direita perdeu a vergonha e saiu do armário para valer.

Será que isto aconteceu por Dilma ser mulher, ou foi porque ela era dura na forma de se relacionar com as pessoas?

Não sei, não. Mas as coisas caminham para um impasse de consequências imprevisíveis.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Dia da independência: a tragédia nacional

Corrupto, injusto, manipulado e humilhado

Nunca pensei que fosse ver o Brasil assim.

Com a redemocratização o Brasil vem pagando seus pecado:s:
Os golpistas de 64 voltaram ao poder

O judiciário perdeu a vergonha e virou instrumento Público dos golpistas;

Os políticos não merecem o que ganham

A imprensa perdeu o compromisso com a verdade;

Os economistas já não sabem fazer conta;

A Petrobras só sabe aumentar preços e se preparar para ser vendida;

Vão vender até a soberania nacional.


E o povo ainda aplaude e pede bis?
Com certeza não.
O povo está esperando a hora certa para reagir.

Quem viver, verá....

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

51 milhões no Ap de Geddel?

E ninguém sabia de nada?

Chama o ladrao, chama o ladrão!!!

Não merece o mínimo de respeito, este governo corrupto de Temer, do PSDB, do PMDB , domDEM e de tantos outros...

Que fechem tudo e vamos começar um novo Brasil!

Tudo é perigoso, tudo é divino e maravilhoso?

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Geddel, Geddel que fizeste da tua vida?

Será que o crime compensa?

No Brasil, historicamente, o crime compensa para a grande maioria.
Aqui a justiça é para quem tem dinheiro.

Mas quando os ricos se desentendem, uma parte denuncia a outra.
E aí sogra para todo mundo.

ACM sempre disse que Geddel fazia negociatas ilegais.
Mas nunca denunciou formalmente, para prender Geddelzinho...

A Polícia Federal sempre soube quem era Geddel.
Agora, alguma coisa fez com que a PF prendesse Geddel.

O que será que motivou a PF?
Será que foi o espírito de ACM???

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

680.000 visitantes para os 80 anos de GUERNICA

Os nazistas e fascistas nunca pensaram nisto

Destruíram um povoado como experiência de guerra e a resposta veio com Picasso.

A exposição "Piedade e terror em Picasso" que hoje fechou suas portas ao público, no museu de Reina Sofia, em Madrinha foi um grande sucesso.

A parte do museu com a história de Guernica, seus desenhos e seus estudos, além dois vídeos e fotografias da guerra é de fazer chorar.

Pena que o mundo esteja voltando a ficar violento e sectário.

Ainda temos algumas formas de garantir a Paz. Uma delas é vendo as obras de arte de Picasso.

domingo, 3 de setembro de 2017

O sol embeleza as flores

Vejam que beleza




Ipês amarelos do vizinho, Jasmins brancos, primaveras vermelhas e folhas verdes.

Um pouco do céu na Vila Madalena

sábado, 2 de setembro de 2017

Sistema financeiro brasileiro é um escândalo!

Vejam o exemplo do Santander

Uma "empreendedora", pequena empresária dona de restaurante
simples procurou-me assustada mostrando os números do Banco Santander, quando ela foi pedir um empréstimo de emergência.

Ela queria emprestado 40 mil reais e precisava saber as condições do empréstimo.
O gerente do banco, todo prestativo, explicou:

"Claro que é possível e rápido!

A senhora pode pegar os 40 mil reais e pagar em 36 prestações de R$ 3.950,56."


A empresária anotou os valores e mais tarde fez a primeira conta básica: Quanto dá 36 prestações vezes 3.950,56? A resposta foi estonteante! Deu um total de 142.200,00. Isto mesmo: 142.200,00!!!! Por apenas 40 mil reais!!!

Sabedora de que trabalho em banco, a empresária empreendedora, toda cabisbaixo veio falar comigo.
"Será que ela fez a conta errada?"

Por meio de dúvida, pedi a meu amigo bancário que entende bem de cálculos para "descobrir que conta era aquela do Santander"...

Os resultados foram ainda mais assustadores!


Os 40 mil, somando mais o IOF que corresponde a 3.917,96 e aplicando os cálculos financeiros indicados pelo Santander, chegamos a 8,52% de JUROS AO MÊS e ao singelo número de 166,81% AO ANO.

Isto mesmo!
O Santander está emprestando dinheiro no Brasil a 8,52% ao mês e 166,81% ao ano!!!!

O curioso é que a empresária empreendedora procurou um agiota do bairro,

e este prontificou-se a emprestar o dinheiro a 7% ao mês.

Entenderam bem?
O Santander empresta dinheiro a juros maiores do que o agiota!


Procurei uns amigos do Santander e perguntei como é na ESPANHA.

Para comprar um carro, os juros no Santander na Espanha cobra 7,09% AO ANO!

Isto mesmo, juros anuais de apenas 7,09%.

Para empréstimo comum, a taxa Euribor é de -9,16%, se for para funcionário desconta-se 35% da taxa e se for cliente comum acrescenta-se 0,99%.

É uma grande mamata!
O lucro do Santander no Brasil é o maior do mundo!

Maior do que na Espanha e na Inglaterra!

Enquanto a taxa média anual em 2016, para o Brasil foi de 52,1%,
lá na Espanha empresta-se dinheiro a apenas 4,2% AO ANO!!!

OS BANCOS NO BRASIL ESTÃO COBRANDO JUROS DE CHEQUE ESPECIAL a 12,9% ao Mês, e 328% ao ano.
Isto mesmo!
O que se cobra de taxa de juros anuais na Espanha, é menor do que a taxa mensal no Brasil.

Por isto que nossa Indústria está quebrando,

estão quebrando o Brasil e enchendo a Espanha de dinheiro.

E esta loucura toda do Santander não é apenas no Brasil, em PORTO RICO,

o Santander está lavando a égua de ganhar dinheiro. Lá eles fazem algo chamado de "Porta Giratória". Os funcionários do Santander são nomeados para cargos no governo local, tomando emprestado dinheiro do Santander para o governo de Porto Rico com juros sobre juros...

Como Porto Rico está falido, o Santander exige sua grana de volta, mesmo que o governo tenha que fechar escolas, hospitais, suspender salários de aposentados e outras coisitas más...

Até nos Estados Unidos, onde o Santander é um grande banco
, eles prejudicam os funcionários locais, aproveitando-se de uma lei ruim dos Estados Unidos. Todos os países da Europa e a maioria do mundo possui uma cláusula de neutralidade nas relações entre trabalhadores, sindicatos e patrões. Isto é, reconhece-se o direito de sindicalizar-se e se organizar em sindicatos. O Santander nos Estados Unidos está contra.

Entenderam agora o porque o Santander está poiando a reforma trabalhista do ilegítimo governo Temer?
É puro malandragem para ganhar dinheiro fácil. Aproveitando-se da alta taxa de juros estimulada pelo Banco Central brasileiro e pela nova legislação trabalhista criada pelos golpistas.

Este Brasil está uma mamata!
Um verdadeiro escândalo internacional.


Se gritar "pega ladrão"...


Joesley diz que pagou 5 milhões a Bendine

Ex-presidente da Petrobras

Será que ele tem como provar?
Se tiver, o bicho vai pegar...

Esta notícia saiu nO Globo on line.

Como diz o pessoal da esquerda: "A luta continua"

A Rede Globo continua tendo acesso às delações de Joesley e botando a boca no trombone.

Em Brasília e no Brasil tem muita gente sem dormir direito.

Vamos ver o que vem pela frente.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Brasil vende tudo e a China compra pechinchas

A nova hegemonia mundial chama-se China

Quando em 1949, as tropas lideradas por Mao derrotaram as tropas de Chan Kai Chek, o mundo achou que seria apenas mais um país a ser governados por comunistas e que estes ameaçariam o capitalismo. Lembram do "Tigre de Papel"?

O tempo foi passando, as várias experiências de projetos econômicos foram dando errado, até quando os chineses resolveram conversar e fazer acordo com os Estados Unidos. Afinal, a China estava sentindo-se ameaçada pela União Soviética e os Estados Unidos sabiam que era mais fácil enfrentar um país de cada vez do que enfrentar dois gigantes unidos.

Resultado:

A União Soviética implodiu e a China com seu "modo asiático de produção", que melhorou a qualidade de vida de mais de 500 milhões de chineses, além de se tornar o maior competidor econômico do mundo. Isto tudo, mantendo o Partido Comunista como único partido que controla o poder, incluindo o maior exército do mundo. O gigante acordou!

O Brasil, que desde a segunda guerra mundial crescia muito mais que a China
, foi apequenando-se, sofrendo um golpe aqui, outro lá e agora transformou-se em meros provedor de matérias primas da China, além de vender seus ativos e patrimônios para os chineses à preço de banana.

Enquanto o Brasil está vendendo sua infraestrutura para o chineses, estes também negociam com a destruída Odebrecht a compra de sua Hidroelétrica no Peru, por apenas US$1,39 bilhões de dólares. Os chineses se dão o luxo de formar consórcios de empresas para comprar nossas empresas.

O Brasil tem montadoras de brasileiros?

Não?
Pois os chineses têm várias...


Vejam esta notícia que saiu na Folha de 22 de agosto:


"Interesse de grupo CHINÊS pela FIAT pode esbarrar em Trump."


O interesse da montadora chinesa Great Wall pela Fiat Chrysler acontece em um momento de urgência pra a companhia italiana, que busca fechar um acordo com um comprador antes da aposentadoria de seu presidente-executivo, Sergio Marchionne, daqui a dois anos."

Quer saber mais?

A Great Wall é a SÉTIMA MAIOR MONTADORA CHINESA!


Se a Sétima quer comprar a Fiat e a Chrysler, imagine a capacidade de compra das outras seis maiores????

A questão do avanço chinês tem rachado o governo americano e foi um dos motivos que levaram à saída de Steve Bannon, estrategista-chefe da Casa Branca.

Onde está o presidente golpista do Brasil??


Na China, vendendo tudo à preço de bananas...

Triste, Brasil!
Oh quanta semelhança. Já cantava o poeta...




Abílio Diniz e a Imprensa

Mais uma má notícia para Abílio

A vida do empresário não é mais a mesma.


Antes de vender o Grão Pão de Açúcar, Abílio era o vencedor de todas as batalhas, comprava tudo e crescia como o Brasil do pós-guerra. Contaminado pela seu excesso de autoconfiança, blefou alto sobre o Casino, o dono contratou assessoria jurídica e de imprensa para fazer o contra-ataque e passou a combater Abílio em todas as frentes. Na imprensa, a Folha foi a principal aliada do pessoal do Casino.

Abílio perdeu a disputa e o Pão de Açúcar.
Perdeu mas não desistiu de continuar sendo um dos maiores e melhores empresários do Brasil. Como dizia a propaganda: "O brasileiro não desiste nunca". Nem Abílio...

Com a saída de Abílio do Pão de Açúcar, ele comprou ações, fez conchavos e conseguiu ser indicado presidente do Conselho de Administração da BRF, a maior empresa de carnes do Brasil. Uma grande empresa, criada graças ao apoio dos governos FHC e Lula.

Mas, mesmo com todos os esforços de Abílio, ele não contava com o Golpe e com a recessão imensa criada pelos golpistas. Abílio, com sua praticidade, abandonou os petistas e se aproximou dos golpistas. Isto não foi suficiente para que a BRF, pela primeira vez na história, tivesse prejuízos contínuos. Não estava preparada para a crise brasileira...

Abílio canalizou parte de suas riquezas para o Carrefour.
Passou a ser um dos maiores acionistas no Brasil e no mundo. Agora está concentrando-se na gestão do Carrefour mundial, como forma de dar o troco no Casino. Freud explica...


Hoje os jornais voltam a falar dos recuos de Abílio Diniz.

O título da Folha é:


"Após prejuízos, BRF substitui presidente"

"Abílio Diniz, presidente do conselho, afirma que transição foi combinada e nega ter havido erro na gestão"

Perceberam o destaque no PREJUÍZO e no nome de ABILIO?

Já o título do Estadão é:


"Pressionado por acionistas, Pedro Faria deixará BRF"

"Executivo, que contava com apoio de Abilio Diniz, vinha sendo questionado após empresa registrar primeiro prejuízo anual".

Agora vejam como indiretamente Abílio reconhece que o golpe afetou os negócios:


"Apesar do prejuízo de 2016 e das recentes demissões, Abílio negou que a empresa tenha cometido erros e afirmou que as mudanças são CORREÇÕES DE RUMO. Abílio disse ainda que o prejuízo decorreu de UM CICLO ECONÔMICO DESFAVORÁVEL."

Como dizia a música cantada por Elis Regina:

"O Brazil não conhece o Brasil..."