domingo, 6 de agosto de 2017

Zuza a caminho dos 84 anos

Zuza é uma das raridades nacionais

Ler sobre Zuza Homem de Mello é como ler sobre Fernanda Montenegro, como era ler sobre Antônio Candido e alguns outros brasileiros que bem poderiam formar uma constelação de estrelas guias de nossa Pátria Mãe Gentil...

O caderno de fim de semana do jornal Valor - que pertence à Rede Globo mas que continua sendo o melhor jornal do Brasil - trás uma capa chula sobre a violência na Venezuela, mas, o que importa mesmo no caderno é "à mesa com o Valor, onde Maria da Paz Trefaut, traduz o sublime do velho historiador de música e musicais, Zuza Homem de Mello.

Zuza está a caminho dos 84 anos de vida bem vivida.


Depois de um câncer, três infartos e com cinco stents no coração, ele aproveita a vida como nunca. Precisa dizer mais alguma coisa?

Olhem que declaração maravilhosa:


"Sou muito chorão, a música me faz chorar. Ray Charles me emociona sempre, vem de dentro. Imagina um cego, que só teve visão até os oito, nove anos, o quanto as pessoas passaram a perna nele. Como ele ia contar dinheiro?"

Outra beleza...

"A melhor da história da música brasileira, feita só com três notas, é Águas de Março de Tom Jobim."

"A bossa nova foi uma daquelas coincidências que acontecem na arte dde vez em quando, como no fim do século XIX, em Paris, quando se descobriram pintores que viviam na mesma cidade e tinham uma tendência para o impressionismo."

"O samba-canção é um gênero brasileiro que fala de relações amorosas mal-sucedidas. Não fala das bem-sucedidas, ao contrário da bossa nova, que é mais leve."

Tenho vários livros de Zuza, leio tudo que sai sobre ele e já estou esperando o novo livro...

Bem que a imprensa brasileira
, em vez de dar espaço aos corruptos e degenerados que tomaram conta de Brasília e do Brasil, devia procurar os brasileiros e brasileiras que dão exemplo de cidadania, de respeito à nossa história e as nossas tradições e dar ampla publicidade, mostrar nas escolas e nos espaços culturais das empresas e das cidades.

O Brasil merece respeito.
O Povo merece ter um país que estimule a cultura, a pesquisa, o trabalho, a honestidade e a solidariedade.

Zuza está a caminho dos 84 anos.
O Brasil precisa encontrar o caminho dos sábios
e dos brasileiros e brasileiras que contribuem para um Brasil melhor e para todos.

É pau, é pedra, é o fim do caminho...
como gosta de ouvir e cantar o velho Zuza.
O nosso especialista em música e gente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário