quinta-feira, 1 de junho de 2017

Os Ipês e as Estrelas

Nada de política

Depois de várias reuniões,ao subir a rua da Consolação é possível ver um grande pé de Ipê todo florido, sendo visto e admirado tanto por quem sobe como por quem desce à rua. Por enquanto há uns três ou quatro pés floridos, logo, logo serão uns dez pés de Ipês embelezando uma rua que tem muito trânsito e alguns buracos que a prefeitura teima em não tapar.

Tanto no centro, como nos bairros já podemos encontrar os Ipês floridos. Mas ainda não consegui tirar as fotos.

Já em casa, depois do jantar, ao recolher o lixo e abrir a porta que vai para o quintal, deparei-me com algumas estrelas no céu do nosso quintal. Para quem mora em cidade pequena é fácil olhar para o céu e ver as estrelas, numa cidade com excesso de luzes, ver as estrelas fica mais difícil. Por isso, quando as estrelas aparecem no nosso quintal eu sempre comemoro. Lembram da música

"Chão de Estrelas"?
Pois é, quando a lua está brilhando, nossa porta de vidro deixa as luzes entrarem e iluminar o chão da nossa cozinha.

São Paulo é assim, tem sabiás, bem-ti-vis, rolinhas, beija-flores, pica-paus, e até um passarinho que em Serrinha-Bahia nós chamávamos de "Garrincha", aqui em São Paulo eu não sei como é chamado.

Todos estes pássaros aparecem por causa das flores.

Estive em Salvador e uma das pessoas com quem nos reunimos tinha o apelido de "Pitanga". Lembrei que, como nosso pé de pitanga dava muita praguinha branca, nós trocamos e plantamos uma Jabuticabeira. Que faz companhia para o pé de romã.

Em breve teremos as flores da primavera e o canto do sabiá...

Nenhum comentário:

Postar um comentário