sexta-feira, 16 de junho de 2017

Abílio Diniz cresce no Carrefour

Agora também é investidor mundial

Aos poucos, os empresários brasileiros vão deixando
de ser donos de grandes empresas brasileiras em função das vendas destas empresas aos estrangeiros e vão se tornando, ou rentistas, aplicadores em títulos do governo com altas taxas de juros; ou vão se tornando investidores nacionais e internacionais, através de fundos de investimentos.

Numa negociação mal sucedida com o dono do Casino
, Abílio, um dos maiores negociadores do Brasil, acabou perdendo o controle acionário do Grupo Pão de Açúcar e teve que buscar novos caminhos. Quando parte da nossa imprensa imaginou que Abílio já era como empresário, este reapareceu como sócio importante da BRF e também acionista relevante do Carrefour, seu objeto de desejo no Brasil, como forma de disputar com o seu passado no Pão de Açúcar. A briga continua intensa.

O Estadão de hoje informa que
"Abilio ganha mais espaço no Carrefour global".

Abilio já tinha uma cadeira no Conselho de Administração do Carrefour global, na França.
Ontem foi aprovado um segundo assento ao grupo de Abílio, TERCEIRO MAIOR ACIONISTA DO VAREJISTA FRANCES.

Atrás da holding
Groupe Arnault, de Bernard Arnault, com 8,74% e o da familia Moulin com 11,51%. Como vocês podem ver, no capitalismo de ações na Bolsa de Valores, com menos de 20% de ações, você pode controlar e administrar grandes empresas e grandes negócios. Mas precisa tomar muito cuidado com a concorrência e as forças ocultas...

A executiva Flávia Buarque de Almeida,
da Península, teve o nome aprovado, durante a Assembleia Geral Ordinária do Carrefour. Abilio Diniz tem, junto com sua familia, cerca de 8% do capital total do Carrefour global.

Em dezembro de 2014, Diniz comprou uma participação de 10% na subsidiária brasileira do Carrefour. Meses depois, a Peninsula elevou a fatia para 12%. A família Diniz tem a opção de aumentar essa participação para 16% em cinco anos.

Enquanto que a BRF, administrada por Abilio, tropeçou nos lucros no ano passado, o Carrefour anda bem e Abílio vai crescendo e diversificando seus investimentos.

Muitas vezes, ao perder uma disputa,
abrimos novas oportunidades
para ganhar em outros lugares e outras áreas.

Abílio perdeu no Pão de Açúcar,
mas ganhou tanto na BRF,
como no Carrefour.

Voilá, Abílio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário