segunda-feira, 10 de abril de 2017

Brasil: Entendimento ou Ruptura?

Um país à deriva

O "Brasil com Dilma" era melhor ou pior do que o "Brasil com Temer"?


Se poderia haver consenso de que o "Brasil com Dilma" estava ruim, o mesmo podemos dizer do "Brasil com Temer".

Para os trabalhadores
, incluindo aqui até a classe média que foi para as ruas protestar, ou bater panelas, é mais do que evidente que o "Brasil com Temer" está bem pior do que o Brasil com Dilma.

Para os empresários
, financeiramente, o Brasil piorou, no entanto, como o governo e o Congresso Nacional estão fazendo todas as mudanças estruturais para destruir o Brasil Social e construir um Brasil neoliberal, vendido aos estrangeiros e com custo baixo, podemos dizer que para este segmento dos empresários, o Brasil melhorou a médio e longo prazos. Já para o setor industrial brasileiro e para os pequenos comerciantes, o Brasil continua uma tragédia que destrói o empresariado nacional.

Para o Judiciário
, a festa continua. Apoderaram-se do poder, colocaram os partidos políticos sob "suspeição", isto é, sob o tacão dos juízes e da Polícia Federal, e com isso constrangem e inibem as criticas públicas dos empresários. O Judiciário está pior do que o militares em 1968, com o AI-5.

Já a imprensa
, continua dando sustentação aos golpistas, continua sendo aliada dos empresários internacionais que estão impondo a destruição do Brasil Social. No entanto, aos poucos a imprensa vai mostrando que não está satisfeita nem com Temer, nem com o PMDB. Na verdade, o que a direita brasileira quer, é que o PSDB assuma explicitamente o poder, em vez de ter que conviver com testas-de-ferro, ou laranjas. O PMDB está sendo laranja do PSDB.

Enquanto isso, o principal partido popular do Brasil, o PT,
vive a sua agonia. Tem o melhor nome para concorrer e ganhar as eleições presidenciais, que é LULA, mas, ao mesmo tempo, tem um partido em verdadeira "crise de direção" e de legitimidade. Ontem vimos filiados do PT em todo o Brasil comparecendo aos locais de votação para escolher seus delegados e sua nova direção. Nova em parte, já que muitos dirigentes foram reeleitos. Enquanto houver Lula, haverá esperança e mobilização em todo o Brasil. Se proibirem Lula de ser candidato, as consequências serão imprevisíveis.

Mesmo sendo tão criticado, o PT resiste
.
O PT continua sendo a experiência popular e democrática mais rica que já existiu no Brasil. Os adversários do PT, sejam eles da direita ou da esquerda, em vez de querer destruí-lo, deveriam agradece-lo pelo fato de esse partido estimular a consciência social e a inclusão de milhões de brasileiros aos sonhos da classe média. Todos sabemos que país estável é aquele onde a grande maioria da população está na classe média.

Um país com Democracia forte e participativa, é bem melhor do que um país à deriva, como está atualmente. O problema é:

Como identificar interlocutores que aglutinem e
possam falar por segmentos importantes da sociedade?

Pela Classe Trabalhadora
, o melhor nome continua sendo LULA;

Pelos Empresários
, Paulo Skaf está desmoralizado. Temos nomes do agronegócio, do sistema financeiro, poucos do setor industrial e alguns nomes do comércio. Não há, no momento, alguém que fale por todos os empresários... O que evidencia que, para se chegar a um entendimento ou pacto social, é preciso se constituir um Forum com vários representantes.

Pelo Judiciário, o mais poderoso de todos, continua sendo Gilmar Mendes, mesmo com toda sua grosseria e mesmo ele sendo ostensivamente do PSDB. A OAB e outras organizações do Judiciário e da advocacia precisam fazer parte, como forma de conter as grosserias - jurídicas e políticas - de Gilmar Mendes. Há ainda, nomes relevantes no judiciário e nas universidades.

Já a imprensa
, não há dúvidas, quem continua mandando na imprensa brasileira, é a Rede Globo e a Folha de São Paulo. O resto acompanha o noticiário destes dois grupo econômicos.

Em relação ao conjunto de mais de trinta partidos
, todos eles estão subordinados aos setores sociais acima. Porém, sem menosprezá-los e, em função de o Legislativo ainda ser muito importante para se ter uma Democracia, os principais interlocutores precisam ser convidados, já que eles não têm credibilidade para serem protagonistas.

Ou levamos as ponderações acima em consideração,
ou deixamos o Brasil ao Deus dará...

Como historicamente o Brasil sempre pendeu mais para entendimento do que para ruptura, registro aqui, neste mês de abril, mês cheio de votações espúrias e manifestações de descontentamento com a ordem vigente, de que está passando a hora de se evitar o imponderável. O tempo do brasileiro cordial acabou. Agora vivemos o tempo do brasileiro cidadão, o brasileiro que quer fazer parte, quer ser respeitado, ouvido e considerado. Este é o século vinte e um.

Ou nos entendemos,

ou os jovens, as mulheres, os índios, os desempregados e todo tipo de descontente, vão para as ruas exigir a derrubada do governo e a convocação de Eleições Gerais, com uma nova Constituinte.

Afinal,
Se estava ruim com Dilma,
com Temer está um vexame!

Nenhum comentário:

Postar um comentário