terça-feira, 28 de março de 2017

Crise na BRF e crise da Carne Fraca

Abílio Diniz no centro da crise

O jornal Valor perdeu o timing do noticiário sobre a composição do conselho de administração da BRF. Provavelmente foi em função de o jornal não circular nos fins de semana. A Folha fez uma ótima reportagem na sábado e o Estadão noticiou o assunto na segunda-feira, ontem.

Hoje, terça-feira, o Valor trás na capa o título:

" Crise da "Carne Fraca" ajudou a reaproximar donos da BRF"

"O conselho de administração, que busca superar as divergências que se aprofundaram no último ano, deve se reunir para decidir a nomeação de executivos na empresa.

Devem ser definidos os substitutos do vice-presidente de finanças e de relações com investidores e do vice-presidente de marketing, os dois são ligados à Tarpon, gestora que detém 12% da BRF e que, em 2013, teve papel crucial na vinda de Abílio Diniz para o comando do conselho de administração da empresa.

A intenção da BRF é que um amplo plano de reformulação da gestão seja anunciado nas próximas semanas, para que possa ser dissociado da Operação Carne Fraca. Com faturamento superior a R$30 bilhões, a BRF teve o primeiro prejuízo de sua história em 2016."

Contextualizando

Prejuízo financeiro, crise de imagem em função da Operação Carne Fraca, retração nos mercados nacional e internacional, somado a crise de relacionamento pessoal ou profissional, tudo isso aumenta a responsabilidade do empresário Abílio Diniz. Ainda mais quando ele vinha se aproximando do governo Temer...

Tudo indica que os empresários brasileiros, e mesmo os internacionais, devem rever suas análises e seus planos em relação ao Brasil. Acreditou-se que bastava tirar a presidente Dilma Rousseff que a vida brasileira se normalizaria, mas, além da economia continuar em recessão e com desemprego, parcela dos empresários passou a obrigar Temer e seus aliados no Congresso Nacional fazerem reformas antipáticas, impopulares e a entregar às riquezas nacionais aos empresários internacionais.

Nunca na história deste país se viu um governo tão entreguista
e tão mercenário como está sendo o governo Temer
e seus aliados no Congresso Nacional.

Como "Deus escreve certo por linhas torta", da mesma forma que Abílio Diniz soube superar o desgaste com a venda do controle acionário do Grupo Pão de Açúcar, Abílio saberá superar o novo desgaste com o prejuízo da BRF. Só erra quem faz ou tenta fazer.

Abílio só não precisa ficar tão calado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário