segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O Brasil em guerra não declarada

No Espírito Santo já morreram 146 em dez dias

Diferente do Rio Grande do Norte, onde os mortos eram presidiários, no estado do Espírito Santo as pessoas estão morrendo nas ruas da cidade. Abandonadas pelo poder público, pelo Estado e pelo governo federal. Provavelmente são quase todos negros e pobres... 

As mulheres esposas e filhas dos policiais no Rio de Janeiro 
estão dizendo que o salário é baixo e que estão atrasados. 

Os policiais estão virando buxa de canhão de alguma coisa. 

Em nome da reforma fiscal estão matando presos?
Em nome da reforma fiscal estão atrasando salários?
Em nome da reforma fiscal estão destruindo a vida familiar dos guardas?
Em nome da reforma fiscal estão entregando as periferias aos traficantes?
Em nome da reforma fiscal estão acabando com os serviços públicos?

Será que os policiais e seus familiares não são gente?

Já passou da hora de os governantes negociarem com seriedade. 
O sacrifício deve ser de todos e os mais ricos precisam contribuir mais.

Que falta Dom Paulo Evaristo Arns faz.
A CNBB deveria chamar uma comissão de juristas e economistas sérios para ouvir as partes e construir uma solução que não tenha vencidos nem vencedores. 
A Paz deve ser a grande vencedora.

Vamos dialogar, construir soluções respeitosas e pacificar a todos.
Não vamos deixar este país se transformar numa Síria ou Iraque.

Já morreu muita gente,
Muitas crianças e jovens estão sem ir para as escolas.

O povo está com medo,
E o medo é o inimigo da liberdade.

Vamos constituir uma Comissão Nacional de Apoio à Negociação e à Não Violência.


Nenhum comentário:

Postar um comentário