quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Convidando as Forças Armadas

Desmoralizando as Instituições 
e instaurando o medo.

O pessoal que deu o golpe do impeachment
ou não sabia o que estava fazendo,
ou não previu suas consequências.

Desemprego crescente já chega perto de 13 milhões de pessoas;
Famílias desempregadas tendo que tirar os filhos das escolas privadas;
Jovens de famílias desempregadas deixando de pagar o Fies;
Idosos ficando sem dinheiro para comprar remédios;
Famílias devolvendo os carros comprados com tanta esperança.

Os políticos são acusados de corruptos,
governadores são destituídos, ex-governadores são presos, incluindo suas esposas;
Os empresários estão com medo da polícia federal e dos juízes de primeira instância;
Não há solidariedade nas entidades patronais.

O judiciário deixou de ser neutro e justo,
agora julga conforme a conveniência política dos golpistas e dos empresários.

A imprensa, que apoiou e apoia os golpistas,
começa a perceber que as coisas estão saindo do controle.

Até as Igrejas Evangélicas estão percebendo que
os dízimos estão diminuindo por causa do desemprego e da recessão.

Os bancos, que são os maiores beneficiários, diminuem os lucros e os resultados como forma de dizer que também estão sendo sacrificados. Agora eles querem privatizar a Previdência e acabar com a aposentadoria pública.

Pobre não se aposenta. 
Morre antes de completar a idade.
E tem gente que quer mexer na aposentadoria dos militares.

Junto com este desamparo,
vemos as rebeliões nas cadeias e as mortes aumentarem;

Agora os policiais militares resolveram fazer greves por salários,
mas, querendo ou não,
liberam as cidades para os bandidos, os traficantes e os assassinos.

O povo, em pânico, não leva os filhos à escola;
não sai para trabalhar, nem sai mais de casa.
O povo está sem norte e sem direção.

Só está restando as Forças Armadas 
para botar ordem na zona que virou o Brasil.
Zona de beira de estrada de madeireira clandestina.

Será que tudo isto foi pensado pelos golpistas?

Nenhum comentário:

Postar um comentário