terça-feira, 31 de janeiro de 2017

O golpe e a intimidação nacional

Um país de corruptos e corruptores

A História do Brasil é uma história de "espertezas e malandragens".
Pedro Álvares Cabral dizia que ia para as Índias,
mas acabou "descobrindo" o Brasil.

Os portugueses usaram "nossas riquezas naturais" para pagar as dívidas da Coroa.
Depois a Independência do Brasil foi feita pelo filho do rei...

Já a proclamação da República foi feita pelos "militares".
A Nova República continuou operando com a Inglaterra e com Portugal, é claro.

Com o café, o Brasil descobriu a industrialização e o crescimento de São Paulo.
O poder de São Paulo levou à Revolução de 1930.
Uma Revolução comandada novamente pelos "militares".

O Brasil cresceu, melhorou muito. 
Mas precisava de muitas reformas de base.
Reformas que assustaram os conservadores e os americanos.

Em 1964, desta vez, foram os empresários e os americanos que combinaram com "os militares", para derrubar o governo, acabar com a Democracia Social e implantar uma ditadura civil-militar.

Com a volta da inflação e o fim do crescimento econômico, até os empresários estavam cansados dos "militares" e se uniram ao povo reivindicando DEMOCRACIA, social, política e econômica. Conquistamos até uma nova Constituição em 1988.

As histórias e estórias de corrupção 
e de violência sempre estiveram presente.

Com a nova democracia, veio um governo dos trabalhadores, em 2002, coisa nunca vista em nosso país. E o pior foi que esse tal de governo dos trabalhadores estava dando certo e melhorando a vida dos pobres. Teve também a ousadia de indicar, pela primeira vez, uma mulher para presidente da República. E ela foi eleita duas vezes. Uma provocação!

Os conservadores, novamente junto com os americanos, irritados com o fato de não conseguirem ganhar através do voto democrático, resolveram apelar novamente para mais um golpe. Desta vez não poderia ser um golpe militar, deveria ser algo mais moderno. Um golpe jurídico, com ampla articulação da imprensa e intimidação aos políticos e aos empresários.

A partir de disputas mal revolvidas, inventaram um "operação lava jato", orientada a partir dos Estados Unidos e que, além de acabar com o tal do governo dos trabalhadores, pudesse completar o que Fernando Henrique tinha começado mas não deu tempo de acabar. Como o governo golpista não foi eleito, ficaria mais fácil e vender todas nossas empresas e nossas riquezas aos estrangeiros e à preço de banana, como FHC com os bancos estaduais, especialmente o BANESPA.

Nunca na história deste país se viu um governo tão vendidos aos estrangeiros e aos banqueiros nacionais e internacionais. Estão acabando até com as aposentadorias. Os pobres estão deixando de estudar nas faculdades, devolvendo seus imóveis financiados, perdendo seus carrinhos e voltando a viver desempregados.

A imprensa, articulada com o judiciário golpista, comemora a prisão de alguns empresários e políticos. Tudo em nome da moralidade nacional. Desde que só prenda e denuncie os aliados do PT e de Lula. Mesmo que sejam empresários que sempre deram dinheiro legal ou ilegal a praticamente todos os partidos políticos. E olhem que o Brasil tem 35 partidos políticos!

Os militares, desta vez, ficaram em silêncio e não saíram dos quartéis. 
O Judiciário é quem está fazendo o serviço sujo.
Com o apoio da Polícia Federal e da Imprensa.

Viramos a "República dos Bacharéis".
Com um governo entreguista e de costa para o povo.
Os corruptores continuam agindo e a corrupção.
Sendo pego somente parte dos envolvidos.

Chagamos em 2017.
A violência se alastra por todo o país.
A mentira e a manipulação virou regra nacional.
E o povo sofre sem saber com quem contar e a quem recorrer.

Até quando?

Nenhum comentário:

Postar um comentário