terça-feira, 31 de janeiro de 2017

O golpe e a intimidação nacional

Um país de corruptos e corruptores

A História do Brasil é uma história de "espertezas e malandragens".
Pedro Álvares Cabral dizia que ia para as Índias,
mas acabou "descobrindo" o Brasil.

Os portugueses usaram "nossas riquezas naturais" para pagar as dívidas da Coroa.
Depois a Independência do Brasil foi feita pelo filho do rei...

Já a proclamação da República foi feita pelos "militares".
A Nova República continuou operando com a Inglaterra e com Portugal, é claro.

Com o café, o Brasil descobriu a industrialização e o crescimento de São Paulo.
O poder de São Paulo levou à Revolução de 1930.
Uma Revolução comandada novamente pelos "militares".

O Brasil cresceu, melhorou muito. 
Mas precisava de muitas reformas de base.
Reformas que assustaram os conservadores e os americanos.

Em 1964, desta vez, foram os empresários e os americanos que combinaram com "os militares", para derrubar o governo, acabar com a Democracia Social e implantar uma ditadura civil-militar.

Com a volta da inflação e o fim do crescimento econômico, até os empresários estavam cansados dos "militares" e se uniram ao povo reivindicando DEMOCRACIA, social, política e econômica. Conquistamos até uma nova Constituição em 1988.

As histórias e estórias de corrupção 
e de violência sempre estiveram presente.

Com a nova democracia, veio um governo dos trabalhadores, em 2002, coisa nunca vista em nosso país. E o pior foi que esse tal de governo dos trabalhadores estava dando certo e melhorando a vida dos pobres. Teve também a ousadia de indicar, pela primeira vez, uma mulher para presidente da República. E ela foi eleita duas vezes. Uma provocação!

Os conservadores, novamente junto com os americanos, irritados com o fato de não conseguirem ganhar através do voto democrático, resolveram apelar novamente para mais um golpe. Desta vez não poderia ser um golpe militar, deveria ser algo mais moderno. Um golpe jurídico, com ampla articulação da imprensa e intimidação aos políticos e aos empresários.

A partir de disputas mal revolvidas, inventaram um "operação lava jato", orientada a partir dos Estados Unidos e que, além de acabar com o tal do governo dos trabalhadores, pudesse completar o que Fernando Henrique tinha começado mas não deu tempo de acabar. Como o governo golpista não foi eleito, ficaria mais fácil e vender todas nossas empresas e nossas riquezas aos estrangeiros e à preço de banana, como FHC com os bancos estaduais, especialmente o BANESPA.

Nunca na história deste país se viu um governo tão vendidos aos estrangeiros e aos banqueiros nacionais e internacionais. Estão acabando até com as aposentadorias. Os pobres estão deixando de estudar nas faculdades, devolvendo seus imóveis financiados, perdendo seus carrinhos e voltando a viver desempregados.

A imprensa, articulada com o judiciário golpista, comemora a prisão de alguns empresários e políticos. Tudo em nome da moralidade nacional. Desde que só prenda e denuncie os aliados do PT e de Lula. Mesmo que sejam empresários que sempre deram dinheiro legal ou ilegal a praticamente todos os partidos políticos. E olhem que o Brasil tem 35 partidos políticos!

Os militares, desta vez, ficaram em silêncio e não saíram dos quartéis. 
O Judiciário é quem está fazendo o serviço sujo.
Com o apoio da Polícia Federal e da Imprensa.

Viramos a "República dos Bacharéis".
Com um governo entreguista e de costa para o povo.
Os corruptores continuam agindo e a corrupção.
Sendo pego somente parte dos envolvidos.

Chagamos em 2017.
A violência se alastra por todo o país.
A mentira e a manipulação virou regra nacional.
E o povo sofre sem saber com quem contar e a quem recorrer.

Até quando?

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

ONU vai mudar para Berlim?

O sonho americano acabou?

No século XIX:

Fazer riqueza nos Estados Unidos.
Fazer sucesso nos Estados Unidos.

No século XX:

Fugir da guerra e ir para os Estados Unidos.
Ter liberdade religiosa nos Estados Unidos.

Fazer compras barato nos Estados Unidos.
Fazer Roteiro Cultural nos Estados Unidos.

Defender a Democracia Americana como modelo mundial.
Defender a Diversidade Americana como modelo mundial.

Curtir o Teatro e o Jazz nos Estados Unidos.
Visitar o Centro do Mundo em Nova York.

No século XXI:

Tudo isso está ameaçado.
Tudo isso pode deixar de existir.

Até a sede da ONU, que é em Nova York,
pode ter que mudar para Berlim.

Berlim

O novo centro do mundo.
O novo centro da cultura.
O novo centro do livre comércio.

O novo centro pós Trump.
A sociedade americana vai deixar acontecer?

Como dizia Churchill:
Talvez seja tarde demais...

domingo, 29 de janeiro de 2017

A ONU está nua sob Trump

Quem paga, manda?

Novo governo americano avisou que é ele quem manda na ONU.
Isso não é novidade. Novidade é ser dito isso aos quatro ventos e a todos os países.

Então, para que serve a ONU?
Se custa tanto dinheiro, está subordinada aos Estados Unidos e
já vem à bom tempo tendo um papel decorativo?

O problema é que, se acabar a ONU, o mundo fica sem arbitragem internacional, facilitando assim as soluções dos impasses por vias bélicas. Como acontecia antes das grandes guerras.

Ainda com Obama, o governo americano acumulou uma dívida de US$ 3,5 bilhões com a ONU.

Agora com Trump, a nova embaixadora americana nas Nações Unidas, Nikki Haley, assumiu seu cargo avisando que os Estados Unidos vão mostrar sua força e exigir fidelidade dos aliados e subordinados.

Se os americanos são os maiores doadores (contribuintes) das Nações Unidas, sua contribuição à ONU representa apenas 1% de seu orçamento militar nacional.

Entenderam agora o que é Democracia do Big Stick?

Para os brutos, quem tem a força não precisa de argumentos...

Estas informações preciosas foram obtidas no bom artigo de Jamil Chade, correspondente do Estadão em Genebra, publicado hoje.

Povo tem vergonha de seus políticos

No Brasil, nos Estados Unidos e na Europa

Trump é doido, conservador, protecionista e provocador.
Temer é ilegítimo, conservador, ligado aos corruptos e entreguista.

Na Europa, os políticos fazem  plebiscito defendendo uma coisa e o povo vota em outra, mostrando que não os reconhecem como porta-vozes.

Ficamos imaginando como ficam os brasileiros conservadores que migraram para Miami, dizendo que o Brasil era uma vergonha e agora estão constando que, o que eles impuseram ao Brasil é pior do que estava e ainda estão sobrevivendo nos Estados Unidos sob as ameaças de Trump. Só faltam serem convocados para as guerras...

O curioso é que a imprensa também entrou na briga 
contra os governos progressistas e a favor dos Estados Unidos,
e agora a própria imprensa está sendo ridicularizada por Trump.

A Folha voltou a debater o que é "Fato" e o que é "Versão".
Até então, na Folha só existiam "Versões".
Os "Fatos" dependiam de quem escrevia as matérias...

O Estadão antigamente mantinha o jornalismo de separar o que eram fatos e explicar suas posições, interpretações e até versões. Atualmente o Estadão virou Fascista e só publica "Versões grosseiras" na parte de política nacional. O jornal deve ter sido comprado pelo PSDB.

Se o Povo tem vergonha dos políticos,
está na hora de ter vergonha do Judiciário brasileiro,
ter vergonha da imprensa,
e, também ter vergonha do empresariado,
que não defende o Brasil nem nossa soberania.

Vivemos uma época de mistura de
covardia e medo.
Nem na ditadura militar vivemos fase igual.

Vamos começar tudo outra vez...
Como cantava nosso querido Gonzaguinha.

Miséria da Economia e da Politica

O Povo sempre paga a conta

Diariamente encontramos :

- pessoas que perderam o emprego,
- pessoas que estão tirando os filhos da escola particular,
- pessoas reclamando dos preços dos Remedios,
- pessoas devolvendo imóveis financiados,
- pessoas reclamando do aluguel,

Enfim, pessoas reclamando do custo de vida.

O poder aquisitivo está caindo e 
os novos empregos com salários menores.

Que fazer para mudar esta situação?

As pessoas concordam que precisam fazer algo,
Mas ainda não sabem o quê.

Vamos começar aos poucos?
Promovendo rodas de conversas,
Pequenas atividades nos locais de trabalho,
Nas escolas, nas Igrejas e nas moradias.

A partir de Março a vida política brasileira
Volta a ser intensa e o debate da Aposentadoria vai esquentar.

A partir de 13 de Março teremos o Congresso Nacional
dos Trabalhadores Rurais, da CONTAG.
Juntos com os professores, serão os mais prejudicados
pelo projeto de Reforma da Previdência dos golpistas.

Já houve o Congresso Nacional dos Professores
Que aprovou greve nacional no dia 15 de março.
Esta greve pode ser transformada 
Numa assembleia nacional popular
Para discutir a aposentadoria, a reforma do ensino,
O desemprego e o custo de vida.

Unidos somos muitos,
Juntos somos forte.

O Brasil não pode ser destruído 
pelas teorias econômicas neoliberais e entreguistas.
Um outro Brasil é possível.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Judiciário e Imprensa iludem os brasileiros

Informações manipuladas

Há um clamor nacional e mundial para que os governos e as relações sociais sejam TRANSPARENTES e que os Direitos Sejam Iguais.

Os poderes no Brasil e nos países subdesenvolvidos sempre foram exercidos conforme as conveniências de quem estava no poder. Nos países ricos e democráticos, a corrupção e a violência, também existem mas estão sob maior controle da sociedade, portanto em menor proporção.

Porque no Brasil o Judiciário e a Imprensa passaram a ter mais importância do que o Legislativo e os Executivos?

Com as vitórias de Lula e do PT, eleitoralmente foi ficando muito difícil de derrotá-los. Os adversários de Lula e do PT tentaram várias maneiras políticas de desacreditá-los mas não deram resultados práticos.

Como a coligação governamental do PT envolvia mais de dez partidos políticos, herdeiros das práticas do vale tudo, juntando ao fato de que a presidente Dilma Roussef não tinha a mesma habilidade no trato pessoal que Lula tem, tudo isso somado a crise econômica internacional que refletia no Brasil e ao erro em colocar Joaquim Levy - neoliberal assumido - no comando do Ministério da Fazenda, abriu-se uma grande oportunidade de criar um clima de ingovernabilidade. Abrindo a porta para o golpe do impeachment.

A bala de prata surgiu quando as disputas internas na Petrobrás contaminaram as relações dentro do próprio governo Dilma. Como o PSDB, principal interessado em derrubar o governo Dilma, conhecia as entranhas da Petrobrás e da governabilidade, em função de o PT ter copiado a concepção e prática de governabilidade de FHC, só ficava faltando descobrir uma forma jurídica de desgastar o PT e o próprio Lula, a maior liderança de massa que o Brasil já teve, para justificar perante a povo que o golpe era necessário para "moralizar o Brasil".

Alguns motivos levaram parcelas significativas do funcionalismo público, e especialmente do Judiciário e da PF, a se sentir à vontade para ficarem hostis publicamente ao governo Dilma e ao PT. Daí para se aliarem ao PSDB e criarem um modus operandi político-judiciário foi um pulo. O Judiciário selecionava as informações, passava para a imprensa e esta "editava o assunto", ou manipulava as informações, conforme a conveniência do momento. Até porque, a imprensa vinha se irritando com Dilma há bom tempo.

Como lidar com o fato de que,
tanto o Judiciário como a Imprensa,
só denunciavam corrupções no PT e seus aliados,
e escondiam às corrupções no PSDB e seus aliados?

A resposta veio através da ideia do "foco processual". 
Isto é, O objeto de investigação é só o PT e não a corrupção como um todo. Aí, como gosta de dizer o Boechat na rádio Bandeirantes, "como nunca se apurou corrupção no Brasil, pelo menos agora está se apurando no PT e nos empresários que deram dinheiro ao PT, quem sabe, mais tarde, se chegue aos demais partidos, às empresas e ao Brasil como um todo". Só que, como o cachimbo deixa a boca torta, a Rede Bandeirantes virou a maior defensora do Governo Temer. E aí a verdade ficou ainda mais secundarizada. Incluindo nas opiniões de Boechat.

Omitir é mentir?
Esta é a pergunta do momento.

Pior do que mentir,
é entregar o Brasil aos estrangeiros a preço de banana,
como está fazendo este governo ilegítimo e mercenário.
Isso está acontecendo com o apoio ostensivo
da Imprensa e do Judiciário.

Um país sem caráter?
Ou,
Um país enganado?

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Chegamos a 131 países

Os mais novos são Brunei e Jamaica

Com mais de 500 mil acessos por pessoas de 131 países diferentes, nosso blog talvez esteja sendo útil e está virando fonte de consulta.

O Brasil pirou de vez.

- Os ministros de tribunais fazem campanha para substituir colegas que morreram e o corpo ainda nem esfriou.
- O Judiciário, com a omissão total do empresariado, agora brinca de prender empresários.
- Os políticos mentem descaradamente e fazem as piores barbaridades, impunemente.
- A imprensa brasileira reclama que Trump declara que está em guerra com a imprensa americana.
- Os governantes estão com medo de serem presos.

E o povo assiste à tudo isso...
por um lado torcendo para prenderem mais gente,
por outro lado vendo o mundo caindo sobre sua cabeça
e não sabendo o que fazer.

Por exemplo:

o povo sabe que esta proposta de aposentadoria
é um roubo à céu aberto.
Estão propondo acabar com a aposentadoria.
Pobre vai morrer sem se aposentar.

Trump está botando fogo no mundo.

Está na hora de, o povo que acredita que outro mundo é possível,
apresentar propostas e soluções.
Só reclamar não resolve.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

O Tom de Jobim e o tom do Brasil

Aniversário de Tom e de São Paulo

Não sei porque, mas os jornais Estadão e Folha resolveram falar do aniversário de Tom Jobim no domingo passado, dia 22, sendo que o aniversário de Tom Jobim é hoje, dia 25. Será que foi em função do aniversário da cidade de São Paulo? Mas os jornais de hoje falam pouco de São Paulo...

O interessante é que, como sempre, o Caderno 2 do Estadão deu um banho no Ilustrada da Folha. Não consigo entender como o Estadão na política está tão fascista, enquanto que nos demais cadernos continua o velho e bom Estadão.

O primeiro texto que li no Estadão foi o de Zuza Homem de Melo. Brilhante como sempre. Tenho quase todos os livros de Zuza...

O curioso foi que, para escrever sobre Tom, peguei o maravilhoso livro "Histórias de Cancões de Tom Jobim", de autoria de Wagner Homem & Luiz Roberto Oliveira. Quando peguei o Caderno 2 do Estadão, a primeira página é o bom artigo de...Roberto de Oliveira. Não sei se é a mesma pessoa do livro. Mas a escrita é muito parecida e de boa qualidade.

Ler sobre Tom Jobim é ler sobre um Brasil que deu certo. Um Brasil quando a beleza, o bem estar e a vontade de trabalhar juntos era mais forte do que a baixaria que se vive hoje. Ler sobre Tom Jobim é descobrir uma pessoa maravilhosa. Não apenas um grande compositor, arranjador e tudo mais... Tom como pessoa é algo divino...

Se hoje Tom estaria completando 90 anos de idade, fiquei surpreso ao saber que Tom já gravava em abril de 1953. Isto é, Tom faz sucesso há mais de 60 anos!

Quando viajamos, nos taxis, nos aeroportos, nos restaurantes, sempre ouvimos músicas de Tom Jobim. E nos sentimos em casa. Matamos a saudade do Brasil. Tom Jobim e João Gilberto, Tom e tantos outros...

Tom Jobim conviveu muito com a cidade de São Paulo. 
Tom também gostava de São Paulo.
Tom fica surpreso com a riqueza de São Paulo.
Mas amava o Rio de Janeiro em primeiro lugar.

Nós, brasileiros de todos os Estados, gostamos de São Paulo.
Cheguei em São Paulo em Janeiro de 1970.
Tive tempo de ver vários shows e
participar de muitas manifestações contra a ditadura militar.

Trabalho no Centro de São Paulo desde 1970.
Conheço cada prédio, cada rua e cada praça,
com suas histórias e estórias.

São Paulo anda feia e agressiva.
Não sei se é em função das crises nacionais,
ou se é por falta de Estadistas.

O Centro não pode ficar abandonado como está.
O Viva o Centro tem ajudado, mas é pouco.

Se eu pudesse, eu transformaria o Centro
num grande BULEVAR. Um grande condomínio cultural.

Um espaço cultural, social e comercial
que funcionasse 24 horas por dia.

O Centro de São Paulo é o coração da cidade,
é o seu passado e o seu presente.

O Centro, é o espelho de seus habitantes.
Feios, sujos e malvados,
ou alegres, festivos e solidários?

Uma das músicas de Tom que aprendi nos anos setenta,
começava assim:

Um cantinho um violão
Esse amor, uma canção
Pra fazer feliz a quem se ama,
Muita calma pra pensar
E ter tempo pra sonhar

(trazendo para São Paulo)

Da janela vê-se o Municipal
O Viaduto do Chá, que lindo!

A música "O Corcovado" é muito linda e pode ajudar a imaginar o Centro de São Paulo e suas histórias. O Viaduto Santa Efigênia, o Largo do Arouche, etc.

Aniversário sempre é uma data para trazer lembranças.
Minhas lembranças de São Paulo são muito boas e positivas.
Como as lembranças das músicas e da vida de Tom Jobim.

São Paulo bem que merece lembrar de Tom Jobim. 

Afinal, "de que servem as flores que nascem, pelo caminho, se o meu caminho, sozinho é nada. É nada. É nada." Já cantava Tom Jobim em 1963, com Inútil Paisagem...

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

As reformas e o impeachment

O golpe foi o pretexto 

Só quem defende a reforma da Previdência com o fim das aposentadorias pelo INSS são os banqueiros e quem está sendo patrocinado pelos bancos, isto é, os políticos golpistas e a imprensa que vive de reportagens e notícias patrocinadas, sem neutralidade.

Acontece que até os jornalistas vão ficar sem aposentadoria.
Então, porque eles ficam defendendo as reformas patrocinadas pelos banqueiros?
Coisas da vida...

Conversando com várias pessoas, todas reclamam que esta proposta de Aposentadoria do governo Temer é uma fraude, um roubo, etc e tal... E quando ponderamos que muitas pessoas que hoje reclamam da reforma da aposentadoria e do desemprego, antes estavam apoiando o golpe contra Dilma, muitos reclamam que apoiaram o golpe do impeachment porque a situação estava ruim e a imprensa dizia que era culpa de Dilma. Fazem cara de lua...

Lembram quando a Fiesp dizia que não ia pagar o pato?
Realmente, quem estar pagando o pato é o povo.

Os empresários estão sendo os principais beneficiados, 
os salários estão arrochados,
o desemprego só aumenta,
o custo de vida está absurdo,
aumentaram gasolina, gás de cozinha
e tantas outras coisas...

O povo não está vendo perspectiva,
não sabe a quem apelar.
Já não contam nem com o Judiciário,
nem com a polícia.

Estamos vivendo a síndrome dos 7 a 1 da Copa do Mundo.
Um país de mediocridades, de entreguistas e também
de conformistas.

Será que vai aparecer o Tite na política
para botar o Brasil em ordem, 
como Tite fez com a Seleção?

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

A chuva parou...

Acho que Jobim não tinha nandinas

O músico Antônio Carlos Jobim gostava muito de falar de flores e de plantas. 
Não me lembro de tê-lo visto falar de Nandinas. 
O Jasmin ele imortalizou em música.

Por enquanto nosso jasmineiro não está florindo. 
Embora no bairro, nossa Vila Madalena, tenha muitos pés de jasmins floridos.

Vejam nossas Nandinas depois das chuvas...


A arte de reter gotas d'águas.


Sobrevivendo e florindo, mesmo quando plantada entre duas garagens.

E pensar que nesta quarta-feira, nosso Tom Jobim completaria 90 anos?

domingo, 22 de janeiro de 2017

A Primavera Americana

Trump vai perdendo a legitimidade

Quando se ganha no "Colégio Eleitoral", mas se perde na totalidade dos votos do país, como foram as eleições de Bush contra o ambientalista Al Gore e agora Trump contra Hillary, significa que, quem ganha, precisa ser muito cuidadoso para ganhar politicamente a maioria que votou contra quem tomou posse.

Está na hora de, cada pessoa um voto, ser condição necessária para eleger um presidente nos Estados Unidos. Como está na hora de ter mais de dois partidos de massa nos Estados Unidos. Nem tantos como o Brasil que tem 35 partidos, nem tão pouco como os Estados Unidos que disputam para valer apenas dois partidos. Os demais sendo decorativos.

Trump ganhou de forma polêmica, tomou posse de forma polêmica e tudo indica que quer governar de forma polêmica.

Isso é muito ruim para os Estados Unidos. 

Desde a primeira guerra mundial os Estados Unidos assumiram a liderança mundial e teve papel decisivo em todas as polêmicas. Inclusive quando se juntou à China para por limites à União Soviética.

Na segunda guerra mundial, Churchill sabia que, só derrotaria a Alemanha nazista, com o apoio sem limites dos Estados Unidos. Mesmo sabendo que a Inglaterra entraria na guerra como principal potência do mundo e sairia como coadjuvante dos Estados Unidos. O importante era derrotar o nazismo.  Quando Churchill quis levar os Estados Unidos a continuar a guerra, desta vez contra os russos, os americanos não concordaram.

Trump talvez esteja sinalizando que os americanos estão cansados de ser os xerifes do mundo. Manter a NATO é muito custoso e a Europa já não dá tanto retorno que justifique a despesa. Até porque, mais uma vez, os americanos podem estar se compondo com os russos para evitar novas guerras localizadas.

As manifestações de ontem contra Trump, tanto nos Estados Unidos, como no mundo, estão demonstrando que os povos, principalmente os mais escolarizados e em melhores condições de vida, não estão aceitando que os Estados Unidos voltem ao "big stick" (ao grande porrete).

Os povos querem uma democracia globalizada. 
Os povos querem que os governos reconheçam as diversidades.

A ironia é que os governos americanos, inclusive Hillary Clinton, apoiaram grandes manifestações civis e até derrubadas de governos autoritários e também de democraticamente eleitos, em nome de uma NOVA PRIMAVERA.

Agora, como reflexo da integração do mundo, o povo americano, com o apoio de jovens de todo o mundo, volta às ruas exigindo UMA PRIMAVERA, desta vez,  AMERICANA.

Será que Trump vai acabar o mandato?
Será que Trump também vai sofrer um acidente?

Para onde vão os americanos?
Teremos uma NOVA PRIMAVERA?

Ou estamos caminhando para um grande inverno?

Aqui no Brasil o inverno, digo, o INFERNO, já começou...

sábado, 21 de janeiro de 2017

Trump faz discurso Populista, Patriótico e do Porrete

Linha Dura cresce e assusta

Os Estados Unidos em primeiro lugar.
Significa que os fins justificam os meios.

Tomar as colônias espanholas,
intervir nos países próximos que tentam ficar independentes,
derrubar governos e nomear interventores,

Invadir o Iraque e seus vizinhos em busca do nada,
financiar terrorismo contra países não subordinados,
mandar matar dissidentes, internos e externos.

Defender o faça o que eu mando e não faça o que eu faço.
Isolar a ONU, transformando-a num nada.
Praticar o histórico big stick, o grande porrete.

Como reagirá a oposição interna?
Como reagirá o mercado interno?
Como reagirá a Europa e seus países?

Como reagirão os Latino Americanos?
Como reagirão os muçulmanos?
Como reagirão os africanos?

Só Deus sabe,
como só Deus sabe quem derrubou o avião de Paraty,
como só Deus sabe para onde vai o Brasil e a América Latina.

Como dizem que Deus é brasileiro,
tudo indica que outras mortes acontecerão,
e, das cinzas surgirá a luz da esperança
e da renovação.

Deus não abandonará o Brasil.
Mas os brasileiros precisam deixar de ser acomodados.
Os brasileiros precisam fazer a sua parte.

O Brasil precisa ser de todos, com todos e para todos.
Isto é, o Brasil precisa ser e praticar a democracia.
Novas eleições gerais e nova Constituição.

Caso contrário,
O Temer daqui vai copiar o Trump de lá.
Só que o de lá foi eleito e é nacionalista.
O daqui não foi eleito e é um entreguista.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Apuração vai acabar em pizza?

A turma do abafa já mandou avisar

Como sempre, vão dizer:

1 - que foi UMA FATALIDADE!

2 - que foi O DESTINO!

3 - que ninguém faria isso!

4 - que o brasileiro é cordial!

5 - que nossa tradição é pacífica!



Vão transformar o homem em santo e encerrar o caso.
Depois vão dar nome de avenidas, ruas, escolas, aeroportos e até cidades.

O importante é que não se apure nada. Nem do acidente nem da corrupção.
Que os desdobramentos dos processos agora caminhem para uma solução final e que o resto fique na mão de Deus. Ou sob a responsabilidade divina.

Tancredo foi fatalidade,
Juscelino foi fatalidade
e Ulisses foi fatalidade.

O Brasil é uma fatalidade!

Temos vocação para Macunaíma.

A imoralidade tomou conta das instituições brasileiras.
O Brasil caiu no ridículo internacional.

Quando daremos uma basta a tudo isso?


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Mataram o Homem

Juiz relator da Lava Jato morre em acidente de avião 

Quando a imprensa avisava que agora vinha um caminhão de denúncias contra políticos e empresários, o juiz relator morre misteriosamente.

Foi a mão de Deus ou do Diabo?

Agora que ia aparecer histórias da Camargo Correa com o governo de São Paulo, além de muitas outras histórias. 

A juíza Carmen Lúcia que abra os olhos e reze muito.

O Brasil está um perigo!

Ninguém acredita na tragédia brasileira

Além do golpe, a desmoralização

Em Davos o Brasil brilhava.
Agora quem brilha é o Paraguai e a Argentina.

Os empresários mundiais querem mais crise no Brasil.

Querem menos direitos sociais e mais margem de lucro, sem risco, com reserva de mercado e com menos taxa para políticos e advogados (diga-se Judiciário). É claro que, para confiscar os direitos sociais, o governo ilegítimo e corrupto de Temer, tem que aproveitar que não foi eleito e não será candidato à reeleição e cobrar caro para fazer todas as reformas reivindicadas pelos empresários internacionais. O impressionante é que até os militares estão calados. Não sei se subservientes, mas sei que andam calados demais...

Para onde vai o Brasil?
A cada dia mais parece uma republiqueta de bananas.
Um bando de mercenários entreguistas.
Agora está compondo-se com o narcotráfico internacional.

Com taxa de juros de cheque especial a 15% ao mês, os bancos acabam ganhando mais do que os traficantes. Isso dentro da legalidade, embora seja imoral e ilegítimo.

Os governadores estão sendo pressionados a demitir funcionários, cortar salários e botar a culpa na crise geral. A mesma crise geral que Dilma dizia que existia mas a imprensa dizia que não existia.

Se é para reorganizar o Brasil, porque não chamamos eleições gerais, fazemos uma nova Constituição e estabelecemos regrais iguais para todos?

Quando o Povo e as Forças Armadas começarão a por limites nesta corja que tomou conta de Brasilia?

Fico imaginando o susto que as pessoas do mundo inteiro levam com os fatos e as fotos brasileiras. Gente de todos os países acessam nosso blog. Gente do NEPAL, da Jordânia, Tailândia, Índia, Austrália entre outros países ricos e famosos.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Quem segura o Brasil?

O passado ou o presente?

Como nossa imprensa perdeu o pudor e agora só noticia fatos a favor de suas posições política e econômicas, as redes sociais ficam com a responsabilidade de mostrar o outro lado das versões da imprensa. O duro é que as redes sociais também tendem a dar apenas suas versões... E assim vamos vivendo, com a obrigação de ler os dois lados para tentar entender melhor o que está acontecendo.

Os jornais de ontem e de hoje estão dizendo que o Brasil em Davos está sendo um verdadeiro sucesso. Ao olhar o site do Brasil247, a notícias é exatamente ao contrário. Que o Brasil está secundarizado até pela Argentina! Que quando foram discutir o Sistema Financeiro Internacional não tinha nenhum banco brasileiro no painel, além dos outros eventos.

É normal que ninguém nutra simpatia por Temer. Ele é pior do que picolé de chuchu... Mas, o Brasil não pode ser punido em função de seu presidente e de seus ministros. Vamos tentar descobrir como foi o desempenho do Brasil em Davos?

Da mesma forma que a imprensa vem manipulando as notícias, os empresários que estão apoiando o governo também estão vendendo alegrias e ilusões...

Abriram mão da soberania brasileira?

Tenho perguntado às pessoas se elas têm conversado com alguns empresários brasileiros sobre o fato de nossas empresas e nossa economia, com nossas riquezas naturais, estarem sendo vendidas a preço de banana aos estrangeiros. O curioso é que as pessoas respondem que já não existem empresários nacionalistas. Todos estão aceitando ser sócios minoritários dos estrangeiros. Isto é, estão aceitando a perda da nossa soberania!

Que os políticos sejam venais, é compreensível.
Que o judiciário tenha sua parcela de venalidade, também é compreensível.
Mas, que o empresariado nacional aceite entregar nosso país aos estrangeiros, é lamentável!

Vai restar somente ao Povo e às Forças Armadas defender o Brasil.
Qual setor da economia, público e privado, não está sendo entregue aos estrangeiros?
Até nossas terras e nossa riqueza natural!
Agora vão privatizar e vender aos estrangeiros, as empresas públicas de água e esgoto. Internacionalmente um setor com grande margem de corrupção privada e pública.

Para tentar me animar, vários amigos e amigas pediram-me para ler o livro "MAUÁ - Empresário do Império". 
Como não tinha o livro, tive o prazer de ganhar um exemplar de presente de final de ano. O pedido das três amigas, que me deram o livro, foi para eu ler e não perder a esperança com o nosso Brasil. Estou lendo vários livros sobre as guerras mundiais do século passado, lendo também sobre o Câmbio e o livro O Capital no século XXI, muito interessante.

Como ando sem esperança nos empresários atuais, vou começar a ler o livro sobre Mauá. Talvez assim eu volte a me motivar com a História, com os movimentos sociais, com os empresários e com o Brasil. Caso contrário, vou voltar a ler a história do Tenentismo e os levantes militares. Alguém tem que fazer alguma coisa.

Nos livros das histórias da guerra, é comum os ingleses escrever: "Era tarde demais!"
Isso vale para o fato já acontecido, quando o fato já é passado. No presente, nunca é tarde demais para se evitar novas tragédias. Os chineses, na sua sabedoria milenar, diziam aos americanos que perder a soberania por oitenta anos era pouco tempo para um país de dez mil anos de vida organizada.

Este ano em Davos, a pessoa mais ouvida está sendo exatamente o presidente da China. Que voltou a ser um país protagonista da Ásia e do mundo.

Os chineses nunca desistiram.
Os brasileiros precisam aprender a resistir e não desistir.
Além de querer ter um país soberano.
É preciso ter autoestima e vontade de vencer.


terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Empresários e Imprensa enganando

A economia vai melhorar?

A imprensa, que apoiou o golpe do impeachment contra Dilma, juntamente com os grandes empresários, estão fazendo uma campanha publicitária e de entrevistas tentando passar uma imagem otimista da economia.

O mote agora é dizer qua a Selic vai cair para um dígito até o final de 2017, que poderá chegar a menos de 10% a taxa de juros. Dizem os empresários e a imprensa faz propaganda dizendo que assim o povo vai fazer dívida, comprar mais, as empresas vão fazer empréstimos para produzir mais e assim o Brasil vai voltar a crescer e superar esta quebradeira econômica, política e moral.

É evidente que, se a inflação cair para 4% ao ano, a taxa Selic do Banco Central pode chegar a 9%, representando um ganho real de 5%. Bem mais do que a taxa dos Estados Unidos, Japão e tantos outros países. Ficando, mesmo assim, entre as taxas de juros reais mais alta do mundo...

Acontece que a inflação está baixa mas a recessão e o desemprego estão altos. Ao contrário da Argentina, que tem uma recessão menor que a brasileira, mas tem uma inflação de mais de 40% ao ano. Os caminhos escolhidos foram diferentes e o resultados também foram diferentes.

Os empresários e a imprensa estão acreditando no CETERIS PARIBUS?

Os economistas desenvolveram uma teoria de que é possível imaginar uma situação econômica em que as demais variáveis econômicas, políticas e sociais continuariam constante. O próprio presidente do Bradesco declara que o Brasil vai crescer mais de 2% em 2018, mesmo crescendo pouco em 2017. Isso desde que as demais variáveis também sejam positivas. Trabuco, o presidente do Bradesco, sempre foi otimista e educado. Mas, é bem provável que sua previsão não se realize.

Um governo fraco, um ministério vulnerável e envolvido em denúncias de corrupção, um Congresso Nacional desacreditado e que vota qualquer coisa sob pressão da imprensa e dos empresários e  um judiciário que desmoraliza tanto o Executivo como o Legislativo. Todos estes fatores juntos não podem estabilizar a economia...

Tudo indica que teremos uma Ceteris Paribus ao contrário.
Isto é, tende a crescer a desordem e não a ordem.
Dinheiro não gosta de incerteza nem de insegurança.

Quem fez negócio com o governo do Rio de Janeiro no pode estar tranquilo. Quem fez negócio com os Estados e Prefeituras também não pode se sentir seguro. E ninguém sabe qual será o próximo ministro que vai cair em função de novas denúncias...

Junto com toda esta desorganização, ainda temos que conviver com o desemprego e com a ameaça concreta da Reforma da Previdência onde o governo quer acabar com as aposentadorias, principalmente das mulheres e dos trabalhadores rurais.

Caminhamos mais para a desagregação social do que para a Paz Social.

Situação criada pela polícia de São Paulo ao prender o líder do MTST, Guilherme Boulos, mais ajuda a estimular a violência do que a acalmar o Brasil. A Violência só tem aumentado, enquanto a polícia tem priorizado reprimir os movimentos sociais em vez de garantir a segurança das famílias.

Está na hora de começarmos a discutir com todos os setores sociais um novo caminho para o Brasil. Um caminho que inclua os trabalhadores, os pobres, a intelectualidade, os artistas, os empresários e os três poderes - Legislativo, Executivo e Judiciário.

Um outro Brasil é possível!
Um outro Brasil é necessário!



segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

A matança está intimidando o povo

As pessoas estão com medo

Hoje apareceram pessoas dizendo que o PCC está ameacando o governo de São Paulo. Parece que estavam falando em transferir alguns presos.

Se o medo de violência tomar conta do Brasil, ficará mais fácil de consolidar o golpe e as medidas impopulares. Será que não é intencional?

Já não sabemos o que é verdade e o que é mentira.

domingo, 15 de janeiro de 2017

A matança continua no Brasil

O quê está por trás?

Como não existe acaso, alguma coisa forte está por trás dessas matanças nas cadeias brasileiras. Já informamos nesse blog que está havendo um reordenamento do narcotráfico na América Latina e o Brasil, que não consegue ser um capitalista competitivo, está entrando mais forte na rede internacional de narcotráfico. Será parceria com o México? 

Os Estados Unidos entraram na Colômbia e mexeram o as redes de lá. Será que eles mudaram para cá? Será que vão abrir espaço para as forças de segurança americanas entrarem no Brasil, como entraram na Colômbia? Assim fica mais fácil justificar o golpe e o entreguismo do governo. Vão transformar o Brasil num Panamá?

Enquanto os quartéis e cadeias se agitam, o governo Temer e o Congresso Nacional precisam explicar melhor está tal de Quadrilha de Geddel. 

Amanhã praticamente o Brasil começa a funcionar. Mas vai pegar ritmo mesmo vai ser quando o Congresso eleger suas novas lideranças na Câmara e no Senado.

Enquanto isso, os trabalhadores vão voltar a procurar emprego e não vão encontrar;
As pessoas vão ficar ansiosas sobre a aposentadoria;
Quem tem filho vai sentir no bolso o custo de vida;
Quem tem carro vai ter que pagar IPVA, 
E ainda tem as despesas do Final de Ano.

E o governo Temer fazendo propaganda enganosa!

sábado, 14 de janeiro de 2017

O mundo ameaçado

Estados Unidos, entre outras coisas, criaram 1929 e 2008

Em 1929 tivemos várias guerras, mas também tivemos Roosevelt para superá-las. Em 2008, o mundo continua com suas guerrinhas e com muita crise econômica, mas ainda não apareceu um Roosevelt.

Qual será o papel de Trump?

Ao escrever sobre a segunda guerra mundial, pouca gente aprofunda o papel que a economia americana teve na crise de 29, que levou à guerra mundial. Com a crise financeira internacional, em 2008, criada a partir da quebra dos bancos americanos, o mundo patina na economia, trava na política e cai no impasse social. Quem tem feito o papel de Roosevelt é a primeira ministra alemã, Ângela Merkel.

Com a posse de Trump, os Estados Unidos podem ajudar ou atrapalhar. Obama ajudou a distencionar. Lá atrás, Reagan ganhou a disputa internacional. De lá para cá os Estados Unidos têm mais perdido do que ganhado. E os americanos não gostam de perder... Trump pode ser mais emocional do que racional.

Como diz Ian Kershaw, em seu livro "De volta do inferno", sobre as guerras mundiais no século XX:

"Por si só, o desarranjo econômico não basta para produzir uma grande perturbação política. Para isso, é necessária uma crise de LEGITIMIDADE do Estado, sustentada por uma disputa ideológica e por cisões culturais profundas que exponham as elites detentoras do poder a novas pressões decorrentes da mobilização das massas.

Tais condições se acham presente em muitos países da Europa, sobretudo naqueles onde o nacionalismo extremado - oriundo da sensação generalizada de perda de prestígio nacional e da frustração de expectativas de status de grande potência (ou de deixar de ser classe média) - fomenta um movimento que extraia energia da suposta força dos inimigos diabólicos que alega enfrentar e está em condições de aspirar ao poder num Estado de fraca autoridade.

O que falta é o entrelaçamento desses componentes da crise."

Observação: 

Adequei às afirmações que estavam no "passado", para o "presente" e tudo bate direitinho, mostrando que o diagnóstico continua atual. O entre parênteses também é meu.

Ironicamente, o autor do livro, aborda no mesmo capitulo que "em 1949 surgiu um novo e vital elemento: as bombas atômicas e de hidrogênio."

Mas, além das bombas atômicas e de hidrogênio, em 1949, houve uma grande guerra civil que derrotou os colonizadores e ascendeu ao poder uma nova forma de governo que levou a China a ser a segunda economia mundial e a ser o país mais influente, depois dos Estados Unidos.

O mundo atual  continua refém dos fatos criados pelas guerras do século passado.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Flores de Janeiro

Apesar do calor

As amarelinhas estão radiantes



Mas tem concorrência...



O calor já afeta a brancura, prenunciando que vão secar.



De perto, continuam belas.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Governo vai liberar estrangeiras na aviação

Só falta internacionazar a Imprensa

1 - Porque podem vender aos estrangeiros à Educação e não pode radio e TV?
2 - Porque podem internacionalizar os Hospitais e não pode radio e TV?
3 - Porque podem vender as usinas de álcool e petróleo aos estrangeiros e não pode radio e TV?
4 - Porque podem monopolizar aos estrangeiros os automóveis e não pode radio e TV?
5 - Porque podem vender os laboratórios farmacêuticos aos estrangeiros e não radio e TV?
6 - Porque podem vender bancos aos estrangeiros e não radio e TV?
7 - Porque podem vender aos estrangeiros as agências de publicidade e não radio e TV?
8 - Porque podem vender as empresas de alimentação aos estrangeiros e não radio e TV?
9 - Porque podem vender aos estrangeiros nossas terras, praias e subsolo e não radio e TV?
10 - Porque podem vender aos estrangeiros os escritórios de advocacia e não radio e TV?

Além das dez áreas acima que estão sendo vendidas aos estrangeiros,
O jornal Valor avisa que O governo Temer prepara-se para entregar 100% do setor aéreo nacional.

Só vai faltar terceirizar e vender nossas Forças Armadas.
O Judiciário, o Legislativo e os Executivos já estão vendidos.

Não consigo entender como é que os empresários brasileiros, os acadêmicos, os setores mais nacionalistas e mais progressista ps assistem tudo isso tão passivamente.

Será que vão deixar internacionalizar tudo e deixar apenas a imprensa, a mídia como dizem alguns, na mão de poucos brasileiros inescrupulosos? 

Porque pode entregar quase tudo e não pode a imprensa?
Ou ela já está vendida em contrato de gaveta?

Continuam fritando Meirelles

Agora dizem que Meirelles está cansado

Com a Selic caindo, a inflação na meta e a reforma ministerial sendo construída, aumenta o boato de que o todo poderoso ministro da Fazenda pode ser substituído. Ou por ter pedido demissão, ou por ser levado a sair.

Na Argentina, o ministro da Fazenda já foi trocado. 
Curiosamente o presidente da Argentina vem ao Brasil no próximo mês. Vão combinar o jogo neoliberal.

Da mesma forma que na Argentina a pressão para trocar o ministro foi forte, aqui no Brasil as "Forças Ocultas" políticas e empresariais já estão trabalhando para isso. Afinal, o governo precisa acalmar o mercado e os governadores. Dizem que Serra é um dos estimuladores da troca. Com o apoio de alguns bancos poderosos...

Hoje, quem resolveu falar das dificuldades de Meirelles foi o poderoso jornalista da Folha, Janio de Freitas. E este entende do assunto. 

Na verdade, não existe ministro que não faça política. 
Todos precisam da política para se manter nos cargos. Meirelles, que vem da área financeira, sabe que sem sustentação política, não sobrevive no cargo. 

Não sei se Meirelles está cansado. Talvez ele esteja percebendo que este governo seja confuso, instável e inseguro. E banqueiros não conseguem conviver com tanta fragilidade. Talvez esteja decepcionado.

Prestem atenção em Serra. 
Quanto mais quieto estiver, mais estará articulando alguém de sua confiança para substituir Meirelles. E, se possível, ele estará pronto para ele mesmo ser o novo homem forte da Fazenda. E, porque não? Do governo.

2017 é o ano do imponderavel.

A imprensa deseduca quando esconde a notícia

Jornais, rádios e TVs ignoram os professores

A partir de ontem, mais de dois mil professores, representando educadores de todas as regiões do Brasil, estão reunidos em Congresso Nacional, em Brasília. 

Ontem houve um Seminário Internacional sobre Educação, com a presença de dezenas de representantes internacionais de todas as regiões do mundo. Inclusive do Japão!

Hoje, ao folhear os jornais... nem uma palavra.
A imprensa só fala dos presídios, do narcotráfico e do governo. E dos juros abusivos.

A educação não é importante para nossa imprensa. 
Por isso que a imprensa apoia o fim da aposentadoria para as professoras. Quando elas atingirem 65 anos de idade e no mínimo 25 anos de contribuição, muitas professoras já morreram antes.

Como está prevista a participação de LULA e do presidente da CUT, Vagner Freitas, é capaz que amanhã a imprensa diga alguma coisa, tipo, Lula conclama os professores a defenderem Eleições Gerais em 2917, estimulando confusão e partidarizando o ensino. Haja baixaria...

Um país que não valoriza a Educação,
É um país sem futuro.

Ainda bem que temos a CNTE, os Sindicatos estaduais das professoras e professores e a combativa categoria dos trabalhadores na Educação. 

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

O dilema de Obama e dos Estados Unidos

Se fosse parlamentarismo...

Obama está despedindo-se da presidência dos Estados Unidos. Ao mesmo tempo que prestigiado, viu a candidata de seu partido ser derrotada. Uma contradição? Fazer sucessor ou sucessora não é fácil.

Se fosse parlamentarismo, com certeza Obama teria mais um mandato. Como Merkel terá na Alemanha. Esse dilema é bom ou ruim para a Democracia? Cada modelo foi escolhido em tempo diferente e em função da história de cada país. 

O que será melhor para os Estados Unidos: 
Um novo mandato para Obama ou,
Um presidente novo, mesmo que republicano?

Não teremos está resposta. Somente hipóteses...

Dentro do cenário internacional, todos os modelos precisam ser avaliados e repensados. Devemos construir e experimentar um novo modelo. Talvez o modelo americano já não seja o melhor modelo. Talvez o parlamentarismo europeu represente melhor o século XXI do que o presidencialismo americano.

Obama poderá ser um melhor EX presidente do que foi de fato na presidência. 
Se esperava muito mais de Obama.
 Começou como Luther King e acabou como Clinton. 
Talvez ser presidente dos Estados Unidos já não possibilite grande margem de manobra.

Vamos ver como serão as próximas eleições no mundo...


segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Ouvindo as pessoas

Cada uma com sua história 

Neste início de ano, tenho mais ouvido o que as pessoas têm a falar, 
do que eu tomar a iniciativa de falar. O que é uma raridade...

Normalmente o início de ano é mais para leituras e descansos.
 Mas, tenho aproveitado o descanso para ouvir mais do que falar.

Entre todos os assuntos, os dois mais presentes são: 
o medo de perder o emprego e o custo de vida. 

Se as pessoas que estão empregadas 
estão reclamando do custo de vida, 
imaginem as desempregadas?
 Estão em pânico.

O curioso é que tenho dito que, tanto o desemprego quanto o custo de vida, estão sendo determinados pelo governo. 

Isto é, os economistas neoliberais do governo Temer, estão estimulando as demissões, como forma de reduzir custos e também para diminuir a capacidade de resistência dos trabalhadores. 

Já o custo de vida, os economistas estimulam os empresários a manterem os preços altos como forma de fazer a recomposição da renda nacional. Isto é, como Lula aumentou os salários, principalmente o salário mínimo, agora os empresários, ao aumentar o custo de vida, transferem renda dos trabalhadores para o capital (dos empresários).

Outro assunto que aparece em terceiro grau é a situação dos aposentados e da aposentadoria. 
Quem já está aposentado está com medo de o salário do aposentado ser reduzido - já aconteceu muito isso, a pessoa se aposentar com seis salários mínimos e logo depois, receber apenas um e meio.
Já os que estão perto de se aposentar, estão morrendo de medo de perder o direito. E perguntam? Será que o Congresso vai ter coragem de aprovar o projeto de Temer? Eu, laconicamente, respondo: Este congresso aprova qualquer coisa...

O pânico só aumenta.
Que fazer? Perguntam.
Vamos muitas manifestações, respondo.
Vai adiantar? Perguntam.
O pior é não fazer nada, respondo.

Como vai ficar, só Deus sabe.
Sem contar quando o pessoal fala 
da saúde e do preço dos remédios.

Aí não tenho resposta.
Ando fragilizado para falar dessas coisas...
Por isso, ando mais ouvindo,
do que falando.

domingo, 8 de janeiro de 2017

O modelo de Estado faliu

Modelos burguês e comunistas faliram

Primeiro foi a implosão do Sistema Soviético, agora está sendo o sistema de representação burguês que esta implodindo... o modelo pós Revolução Francesa exauriu-se.

A diferença é que o mundo comemorou a queda da União Soviética e a hegemonia do pensamento único americano, com o Consenso de Washington.

Agora, o sistema burguês tradicional está se desmanchando no mundo e a imprensa, por fazer parte desse sistema, não sabe o que dizer. Apenas reage caratonicamente.

Apenas dois sistemas de representação estão mais estáveis, mesmo assim, ambos não tem a Democracia Representativa ocidental. Um é o modelo chinês e o outro é o modelo teológico iraniano. Ambos não servem para o Ocidente, mas poderão ser multiplicados como foi, na crise pós primeira guerra mundial, o sistema nazi-fascista. Daí resultando o modelo comunista e também as ditaduras militares ocidentais.

O modelo russo, pode servir para a Rússia, mas não serve para nós. 

O modelo americano, do big stick e da Democracia sem contestação da hegemonia, também está superado. É só analisar as últimas eleições americanas. O povo vota mas não elege.

O modelo Parlamentarista europeu está tão desacreditado que nas eleições sempre menos da metade dos eleitores comparecem para votar. Fazendo com que os governos tenham legalidade mas não tenham legitimidade.

Precisamos criar um novo modelo, o mais urgente possível, mesmo que ainda imperfeito, mas precisamos desenvolver esse novo modelo. 

Necessariamente ele precisa ser mais PARTICIPATIVO e os mandatos, todos eles, revogáveis sempre que necessário. Mandatos aqui vale para cargos Executivos, Legislativos, Judiciários, Reitores, Diretores de Escolas, delegados de polícia, procuradores, auditores, sindicalistas patronais e trabalhista e tudo mais. É preciso acabar com os cargos vitalícios e imexíveis. É preciso acabar com privilégios abusivos.

Um país com 35 partidos políticos não pode ser sério.
Um país com o sistema da rádio e TV como o Brasil, não pode dar certo.
Um país com a estrutura de Estado que tem o Brasil, não pode dar certo.

Não pode haver salvadores da pátria individuais.
A melhor solução é a coletiva. 
Com mais legitimidade do que legalidade.

O mundo precisa de um novo sistema de representação e participação social.

O Brasil, que sempre teve a mania de ser lerdo, pode agora sair na frente e criar um bom exemplo de modelo democrático. É claro que para fazer isso tendemos a ter a resistência dos conservadores e dos beneficiados do sistema atual. Mas, é melhor praticar a boa Democracia do que ficar refém do narcotráfico e de burocratas.

Precisamos aproveitar o clima de desgoverno que passa o Brasil e ir para as ruas propor reformas estruturais para o Brasil. 
Lugar de corruptos pode ser nas cadeias. 
Mas o mais importante é criar uma estrutura onde os corretos sejam identificados quanto mais cedo melhor. 
O poder não corrompe, o poder revela os corruptos e os corruptores. O ideal é viver sem a corrupção ou reduzindo-a ao mínimo  possível. Pegou, puniu! Sem exceção para ninguém.

Em 2017, podemos unir todos, sem exceção, que queiram construir um novo Brasil. Podemos ajudar a construir um mundo novo, ou um novo mundo.

Sem ódio e sem rancor,
Vamos construir um novo Brasil.



Dias diferentes

Sem repetir os jornais

Neste período de início de ano novo,
A gente fica evitando comentar o noticiário,
Por esse só ter notícias ruins.

Será que não há notícias boas?

No face a gente vê os amigos nas praias,
Curtindo famílias e crianças.

A imprensa bem que podia 
Fazer reportagens sobre 
A alegria das praias,
Dos rios e riachos,
Da vida no interior
E do calor da ps famílias.

Ou os jornais estão doentes,
Ou estão querendo deixar 
A gente doente.
Sempre acho que a imprensa não é inocente.
Afinal, estes golpes e maracutaias
Têm muito a ver com a imprensa.

Como não acredito em deixar de ler jornais
Talvez tenhamos que criar uma nova imprensa.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Egito, Chipre, SRI Lanka e Angola

Acessam este blog por toda parte

Por mais que os golpistas tentem esconder ou manipular o que se passa no Brasil, diariamente vários países do mundo acessam nosso blog. Hoje, por exemplo, além dos países tradicionais como Estados Unidos, Alemanha, Rússia e China, fomos visitados por pessoas do Egito, do Chipre, de SRI Lanka e Angola. Assim vocês têm uma ideia de quanto o mundo está globalizado. Agora tudo é on line...

Já no Brasil, tem hora que a gente tem vontade de pedir paciência. Mas a estupidez dos políticos é tão grande que ficamos com vontade é de conclamar uma desobediência civil em todo Brasil. De norte a sul, de leste a oeste, parando tudo, indo para as ruas exigir mais respeito para com as pessoas.

Além da matanças, constatamos políticos dizendo que era para matar mais. Ninguém explícita que por trás das matanças estão as quadrilhas de traficantes, articuladas com os políticos, com as polícias  e com o judiciário. Isso é muito grave. É gravíssimo!

E o cidadão comum, que paga imposto. Segue as leis. Ficam com cara de troucha, sendo chamado de coxinha envergonhado. Isso sim é lamentável!

Por que o brasileiro é tão passivo?

Bondade ou preguiça de lutar?

Só que paciência tem limite...

Vamos unir os coxinhas com os mortadelas e vamos dar um basta!

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Brasil violento e cinico

Matar é regra

Morrer de morte violenta no Brasil é regra.
Ladrões matam e fica por isso mesmo.
Polícia também mata e fica por isso mesmo.

Motoristas bêbados também matam e fica por isso mesmo.
Jovens matam camelôs e índios e fica por isso mesmo.
Velhos morrem abandonados e ficaa por isso mesmo.

Morrer de morte violenta no Brasil é a regra.

Ter preconceito racial e de classe também é regra.

Abusar dos poderes e da autoridade também é regra.
Politico fazer caixa dois ilegal também é regra.
Juiz cobrar por fora também é regra.

Imprensa cobrar casadinho também é regra.
Propaganda na mídia como reciprocidade é regra.
Mentir e enganar na imprensa também é regra.

Como curar o Brasil de tanta violência?

Fazendo a lei valer para todos.
Para isso o Brasil precisa de Nova Constituinte.
Novas eleições gerais e presidenciais.

Um outro Brasil é possível.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Depois das festas, o Trabalho

vamos enfrentar o ano de 2017

Não tem como correr, o desafio vale para todo mundo. Se 2016 foi difícil, 2017 vai ser bem mais difícil. Os golpistas continuarão fazendo o serviço sujo, aprovando mais leis contra os trabalhadores e aposentados, teremos mais desemprego e a economia continuará ruim.

O Brasil vai viver até maio a guerra do Projeto da Reforma da Previdencia.
Este é o grande desafio do ano.
Se as mulheres não reagirem,
Vão perder mais de dez anos de aposentadoria!
Tem gente que vai morrer sem se aposentar!

E a imprensa vai divulgar muita mentira e muitos estudos fajutos de professores de economia.
 É fundamental prestigiar o DIEESE.
Os estudos do Dieese são os melhores, embora muitas vezes muito teóricos. É preciso simplificar bem e traduzir para as pessoas mais simples.

Teremos em 2017 muitos congressos nacionais de trabalhadores.
O primeiro é da CNTE Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação que começa agora dia 12 de janeiro. Serão milhares de mulheres em Brasília.
Já devem fazer o esquenta Brasil!

Em março teremos outro congresso estratégico!
A partir de 13 de março temos o congresso nacional da CONTAG.
Nossa grande Confederação dos Trabalhadores Rurais do Brasil.
Serão mais de três mil trabalhadores em Brasília.
Juntos rurais e mulheres, serão os maiores prejudicados
Na reforma da previdência proposta per Temer.
O Parlamento já estará funcionando
E o Brasil vai ver o que é manifestação em Brasília.

Dia 8 de Março também tem as mulheres comemorando o seu dia internacional.
Juntas, mulheres de todo o Brasil, em todos os Estados,
Estarão gritando
Fora Temer!
Não à Reforma da Previdencia!.

Tudo isso esquentando o primeiro de maio.
Se tudo correr bem,
Até o final de maio
O povo brasileiro conseguirá derrotar os golpistas.

Sem luta não tem conquista
Sem organização não tem luta

Que venha 2017!

domingo, 1 de janeiro de 2017

Prefeitos assumem um Brasil traumatizado

Como será 2017?

Prefeituras sem dinheiro, governadores deixando de pagar salários, governo federal fazendo pacotes contra os pobres e contra os trabalhadores. Haverá mais concentração de renda, mais desemprego e mais recessão. 

Aos poucos o Brasil vai entender e sentir o que se passa.

Aprenderemos juntos como construir o Brasil que precisamos.

Ou nos respeitamos e atuamos reconhecendo as diferenças,
Ou o futuro será de violência...

O mundo não pode continuar no impasse.