quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

O Brasil na encruzilhada

Exigir transparência para todos ou para alguns?

Quando os políticos decepcionaram,
quando os governantes se omitiram,
quando os empresários se esconderam,
quando os movimentos sociais se locupletaram,
quando o judiciário tomou partido,
e quando a imprensa colocou-se acima de todos,

O Brasil chegou ao impasse:

Como dar um salto de qualidade intensificando a transparência,
ou,
como parar de abrir os podres de nossa sociedade,
sem implodir os sistemas?

O governo Temer não é de confiança,
o Congresso Nacional merece menos confiança ainda,
os empresários estão exigindo reformas antissociais,
aumentando o desemprego e a recessão.
E silenciam quando são identificados como corruptores e corruptos.
O Judiciário não quer mostrar suas contas secretas,
Os movimentos sociais precisam reconquistar a confiança do povo.

E a imprensa precisa insistir
na coerência de todos os setores e de todas as  pessoas.
Será que consegue?

Vejam os jornais de hoje:

Na página  A6 do Estadão.
Primeiro caderno, página nobre, a manchete é:

"Odebrecht lucrou 4 vezes valor de propina, diz SUÍÇA"
Para cada US$ 1 milhão pago a agentes públicos, empresa obtinha US$ 4 milhões em contratos, afirma Ministério Público da Suíça".

Isto é: Para cada 20% de propina, a empresa lucrava 80%.

Na página A6 da Folha.
Primeiro caderno, página nobre, a matéria de Elio Gaspari diz:

"Eliana Calmon, ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça disse que
"delação da Odebrecht sem pegar o JUDICIÁRIO não é delação.
É impossível levar a sério essa delação caso não mencione um magistrado sequer."

Vamos exigir que se apure tudo e todos,
ou vamos parar no meio do caminho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário