terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Caiu o Ministro da Fazenda

Na Argentina...

O povo argentino votou num candidato neoliberal em protesto contra os Kirchner e agora está descobrindo que tudo que foi prometido não está acontecendo. O importante, em relação à Argentina, foi que a decisão de trocar a linha política e econômica se deu pelo VOTO soberano do POVO ARGENTINO. Como está dando tudo errado, o culpado deixou deser o presidente da república e seus aliados na imprensa, e passou a ser responsabilidade do super-ministro da Fazenda. Que foi DEMITIDO!

O Brasil vive o mesmo drama argentino.

Tem um governo que faz tudo de ruim contra o povo, só defende os empresários, de preferência os estrangeiros, caracterizando-se por um governo entreguista, enganador, mentiroso, corrupto e subordinado ao PSDB e ao neoliberalismo.

Para piorar ainda mais, o governo brasileiro é ilegítimo, porque é fruto de um golpe de Estado, não foi eleito com um programa entreguista como está praticando e ainda piora a economia a cada dia que passa.

Os pregadores da vida fácil no livre mercado e no Estado mínimo atuam juntos, tanto na Argentina como no Brasil. São profissionais a serviço dos Estados Unidos, estudaram nas suas melhores universidades e trabalham para os seus bancos de investimento.

Já vivemos estas enganações...

Na década de 90 tivemos o tripé de enganadores: Menem, na Argentina, Fernando Henrique Cardoso, no Brasil, e Clinton, nos Estados Unidos. Enquanto Clinton liberava o sistema financeiro para conquistar o mercado internacional, mesmo que tivesse que omitir ou manipular  dados contábeis e financeiros, Menem e FHC privatizavam tudo. Entregavam tudo às multinacionais. Mesmo que isso trouxesse mais desemprego e empobrecimento ao povo. Lembram das privatizações do Banespa e da Vale? Vendidas a preço de bananas...

Foi como reação à esta politica destrutiva de Menem e FHC, que o povo votou em Kirchner e Lula. Começando um novo período de crescimento econômico e distribuição de renda. O problema foi que, depois das "vacas gordas chinesas", vieram as "vacas magras de 2008", e a Argentina e o Brasil tiveram o mérito de eleger mulheres para presidência, mas não tiveram capacidade de tourear a economia em crise. Resultado: ambas perderam o poder. Uma pelo voto e outra pelo golpe do impeachment.

Voltando aos novos governos neoliberais e entreguistas do Brasil e da Argentina. No Brasil se fala mais da derrubada de Temer, por ser golpista e incompetente, do que na demissão do ministro da Fazenda.

Mas há gente que acha que Meirelles, o homem forte da economia, vai ser levado a renunciar ou será demitido para dar lugar a um verdadeiro representante do PSDB. Não estranhem se Serra substituir Meirelles... Já vimos este filme com FHC e Itamar Franco.

Como o Brasil só volta a trabalhar depois do Carnaval. Meirelles tem até final de fevereiro para melhorar os indicadores. Como os economistas comparam mês a mês, vai ser fácil vender a ideia de que os índices estão melhorando. Isto é, sair de menos 3,8 para menos 1 já é um grande progresso.

Precisa ver se o povo vai aguentar e suportar tanta crise econômica, política e social. 

Na Argentina a inflação a chegou à 40%!
Aqui no Brasil, os economistas dizem que o Banco Central vai travar a economia, parar tudo, até a inflação baixar. Afinal, se o povo estiver desempregado, não terá dinheiro para comprar nada e assim a inflação baixa.

Eu acho que o povo vai preferir ELEIÇÕES GERAIS e DIRETAS JÁ!

Ou teremos saques, fome, migrações forçadas como antigamente e muita, muita violência. Até os dízimos serão reduzidos. 10% de pouco é pouco. 10% de quando o Brasil crescia e distribuía renda era muito mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário