segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Argentina piora na economia

40% de Inflação e PIB negativo

Mentira tem perna curta!

Isto vale para qualquer candidato que venda imagem de bonzinho e de competente, negando ou escondendo os principais problemas que a economia e a sociedade passam.

Vivemos um período onde o povo vem votando em candidatos não identificados com os partidos tradicionais. Isso quer dizer que o povo não quer saber de políticos? Não necessariamente. O povo está cansado de políticos que prometem e não cumprem o que prometeu. O povo está experimentando os candidatos. Sejam eles de direita, de esquerda ou sem vida política. O povo está cansado e carente.

No Brasil, o povo foi às ruas à reboque da direita que pedia o fim do governo Dilma. A direita aproveitou-se da crise econômica e da dificuldade de se relacionar com Dilma e deu o golpe do impeachment.

O Brasil melhorou com o golpe?
Não, o Brasil piorou em todos os sentidos.

Na Argentina, o povo também foi às ruas contra o governo de Cristina Kirchner. Lá também a direita aproveitou-se da crise econômica e da dificuldade de se relacionar com Cristina e, no voto democrático, elegeu a oposição de direita. Elegeu um neoliberal que prometia o céu e a terra...

Um ano depois de Macri ter sido eleito, 
a Argentina só tem piorado.

- A inflação que estava em 26,9% foi para 40%.

- A pobreza que estava em 28% aumentou para 32%.

- O desemprego que estava em 7,1% aumentou para 8,5%.

- O PIB que estava em 2,1%, CAIU para -1,8%.

-O peso argentino se DESVALORIZOU em 42%.

- O investimento de fora não veio como se esperava!

O Brasil está sofrendo da "DOENÇA ARGENTINA"?

Lembram do Menem, na época de Fernando Henrique Cardoso?
Privatizaram quase tudo, dolarizaram a economia, diziam que era unha e carne com Bill Clinton. E tanto a Argentina como o Brasil ficaram mais pobres.

Depois vieram os governos progressistas que retomaram a economia e a inclusão social. Porém, tiveram dificuldades em lidar com a crise econômica internacional e suas consequências na economia interna. Os países precisam aprender a lidar com competitividade internacional e melhoria da qualidade de vida interna.

A Argentina já foi um dos países mais ricos do mundo. O Brasil, desde a segunda guerra mundial, vinha crescendo maravilhosamente bem. A partir da crise do petróleo, nos anos 80, o Brasil desandou. Ainda não aprendeu a conviver democracia com legitimidade social.

Argentina e Brasil precisam superar suas crises internas de hegemonia. 

- Vão ser países exportadores de matérias primas?
- Ou vão recuperar a industrialização e avançar para disputar o mercado internacional?
- Vão ser países livres e presentes no cenário internacional?
-  Ou vão virar capachos dos Estados Unidos, como querem o PSDB, no Brasil, e o Macri na Argentina?

Como Menem e FHC passaram,
Macri e Temer/PSDB também passarão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário