quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Trump derrota a imprensa

A Democracia pressupõe o Povo eleger seus representantes

A imprensa perdeu feio.
A Folha ficou tão aturdida com a derrota que não esperou o final das apurações e saiu sem manchete. O Estadão, que é distribuído pelo mesmo pessoal, esperou o final da apuração deu como manchete:

"Trump surpreende e vence em estados-chave dos EUA".

A imprensa usou e abusou de Pesquisas dirigidas para influenciar o eleitorado. A imprensa brasileira e internacional fez ampla campanha para Hillary e perdeu feio. Isso mostra que nem sempre a imprensa consegue impor sua posição ao povo. Nessas eleições americanas, o povo, como já fez com FHC contra Jânio Quadros, o povo ficou calado e votou em silêncio.

O povo quer Emprego, Trabalho, Renda e Segurança.

A classe média americana está empobrecendo, conseguindo trabalho que paga menos e o padrão de vida está caindo. Aqui no Brasil vivemos a mesma situação. Não tem empregos, as pequenas e médias empresas estão fechando. A renda vem diminuindo e a insegurança é generalizada.

Aqui no Brasil, os golpistas que apoiaram Hillary, estão privatizando tudo e aprovando medidas contra os aposentados, os pobres e estão TERCEIRIZANDO tudo! Empobrecendo a classe média. Os brasileiros saberão cobrar a traição dos golpistas. Os políticos golpistas desmoralizam a vida política. O povo vota e reage aos maus governantes.

Outra coisa igual entre Brasil e USA - Estados Unidos.

Trump foi eleito sem NUNCA ter sido parlamentar ou governante. Trump é uma pessoa de fora dos partidos e do sistema de governo. É um "outsider". Da mesma forma que o povo brasileiro está votando. Contra os políticos tradicionais.

Podemos dizer que a Hillary equivale a Marta Suplicy, ambas são cheias de arrogância e acham que sabem mais do que todo mundo. A falta de modéstia levou ambas a perderem as eleições.

Vejam estas informações do Estadão, no bom artigo de Cláudia Trevisan:

"A candidatura de Trump foi impulsionada por eleitores brancos, sem nível escolar superior, atraídos por sua retórica nacionalista, marcada por ataques a imigrantes, rejeição do comércio internacional e desprezo ao politicamente correto."

Agora vejam as palavras do ministro das relações exteriores do Brasil, José Serra:

"Espero que Hillary ganhe as eleições. O Trump é um risco para o mundo". Serra manifestou o temor com a "volta ou emergência de um nacionalismo, de um isolacionismo que nos faria voltar  aos anos 30, que tiveram um desfecho trágico que foi a 2a. Guerra Mundial."

"Considero a hipótese de Trump um pesadelo.
Todos que querem o bem do mundo devem apoiar a Hillary".

O governo brasileiro não foi diplomático e pode sofrer represálias do novo presidente americano. Afinal, o mundo é bem diferente da nossa realidade golpista. Ainda bem...

O quê serve para os Estados Unidos, serve para o Brasil?

Nenhum comentário:

Postar um comentário