domingo, 20 de novembro de 2016

Confiar em quem no Brasil?

Da crise econômica à crise de confiança

O Brasil sempre conviveu com a desconfiança e a impunidade. A lei só serve para condenar os pobres e proteger os ricos. 

De repente, grandes empresários - e até banqueiros - além de políticos graúdos são presos e achincalhados pela imprensa e não acontece nada de grave. Nem os empresários fugiram para Miami, como dizia Mario Amato, nem as Forças Armadas saíram às ruas para defender os políticos e os empresários. 

O que mudou no Brasil?

Muita coisa mudou... 
A democracia de até então serviu para acomodar os políticos na estrutura eleitoral corruptora; os empresários que sempre corromperam se viram acuados por juízes e policiais; a imprensa cansou de se fingir de neutra e partiu para a destruição de seus adversários; o judiciário, respaldado pelas forças ocultas e pelo desgaste dos políticos, se transformou em poder soberano. Até quando?

O povo, indignado com a crise econômica e política, resolveu apoiar o poder absoluto do judiciário e da imprensa. Até quando?

Com o golpe do impeachment, Os 30 partidos políticos conservadores e de direita, comemoram e agem tentando consolidar suas conquistas e sua ditadura. Os 5 partidos de esquerda, sofrem debandadas de votos e de filiados. Desgastado pela imagem de corruptos ou de incompetentes. Não souberam se defender. Se é que tinha defesa...

Enquanto o mundo se desmancha, os conservadores aprovam no Congresso Nacional e no Judiciário, leis que destroem o Brasil Social e privatiza tudo a toque de caixa. Antes que o povo acorde e se dê conta do saque que estão promovendo. 

Isso é o fim do mundo? 
Não. É apenas mais uma crise cíclica da humanidade. 

O povo voltou a ser de direita?
Não. O povo está votando contra quem não foi capaz de implementar o modelo econômico que lhe dê segurança. No Brasil e no mundo... 

Isso é democracia.
Vota-se ora na esquerda e ora na direita.

E como a esquerda deve fazer para recuperar os votos do povo?
Recuperando a confiança. 
E como recuperar a confiança ?
Identificando os fatos que levaram o povo a não confiar mais, fazer autocrítica e praticar o que se promete e se acorda. 

O povo não tem ideologia, o povo tem necessidades...
Ou se ouve o clamor do povo, ou será ignorado por ele.

Sem medo de errar é sem medo de ser feliz.
Na democracia, a palavra final será sempre do povo.
Caso contrário, não será democracia.

Por falar nisso, os juízes não são eleitos e a imprensa não garante o contraditório. Cada jornal, rádio ou TV fala e escreve o que quer, mesmo que seja um monte de mentiras. Até quando?

Democracia, quantos crimes cometem em seu nome.

Nenhum comentário:

Postar um comentário