sábado, 29 de outubro de 2016

Radio 98.9 faz belíssima homenagem a Dom Paulo Evaristo Arns

Um documentário histórico

Quando saí de casa para fazer o "Sacolão da Vila Sônia" liguei o radio do carro, na rádio USP tocava Bach, muito bonito como sempre, fui verificar o que tocava na radio 98.9 e fiquei hipnotizado com a voz de Dom Paulo Evaristo Arns. O que estava acontecendo? Pensei comigo...

Aos poucos fui descobrindo que era uma longa entrevista, parece que foi no dia que Dom Paulo despedia-se da Arquidiocese de São Paulo, num missa na Catedral da Sé.

Mas tudo era tão presente que parecia que a entrevista era  na segunda-feira, quando ele foi homenageado na PUC-SP.

Dom Paulo falava do povo, dos pobres, falava da importância de se combinar o discurso com a prática solidária, falava dos franciscanos... Falava da importância de se ter Moradia, Educação, Emprego e cuidar dos idosos... De se garantir condições de o povo escolher seu caminho.

Um documentário tão lindo que tentei achar o telefone da radio para parabenizá-los mas não achei. Mandei um torpedo para Paulo Salvador pedindo que repetissem o programa durante a semana. Vou falar com Colibri e com Marilu Cabanhas, dois grandes responsáveis pela existência da rádio e pela sua qualidade.

Mais bonito ainda foi ouvir Dom Paulo falar que adora música. E terminou cantando "canto gregoriano". Só faltou falar das flores, embora tenha dito que sua fase mais bonita foi quando se dedicou aos velhinhos...

Para nós, que tivemos a oportunidade de viver com Dom Paulo, a fase mais bonita foi Deus ter nos dado esta convivência. Nossa vida sem Dom Paulo teria sido mais difícil do que foi.

Para quem não sabe, sem Dom Paulo, talvez não existissem nem a CUT, nem o PT. Quando o Papa veio ao Brasil, Dom Paulo propôs que o operário e líder católico, Waldemar Rossi, lesse uma carta-aberta ao Papa falando da necessidade de liberdade no Brasil. Quando fomos fundar a CUT, ela só foi viabilizada porque Dom Paulo apoiou, facilitando o apoio de mais duas grandes figuras da nossa época, o governador de São Paulo, Franco Montoro e o presidente nacional do MDB, Ulisses Guimarães.

A ditadura nos unia e a democracia nos separou. Agora, com a volta de nova ditadura com cara civil, está na hora de a Igreja Católica voltar a ter seu papel milenar de juntar as ovelhas perdidas do Brasil e da América Latina. O papa Francisco, por ser franciscano e argentino, está tendo papel determinante na recuperação do trabalho maravilhoso de pessoas como Dom Paulo Evaristo Arns.

Vou pedir que a Rádio 98.9, Rádio Brasil Atual,
disponibilize nas redes sociais esta maravilhosa homenagem a Dom Paulo. 

Quando acabei a feira e voltei para o carro, ao ligar o carro na radio Cultura, o grande pianista e maestro, João Carlos Martins, tocava BACH. Bach, Dom Paulo, a Alemanha e o Brasil tem tudo a ver nesse período novo deste século 21. A Alemanha, junto com a China, deve ser um dos pilares deste século.

O Brasil precisa estar junto com os demais países,
construindo um mundo democrático, solidário,
laico e competitivo internacionalmente.

Que Dom Paulo viva para sempre em nosso corações e em nossas mentes!


Nenhum comentário:

Postar um comentário