sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Abílio Diniz: um homem de muitas histórias e estórias

Uma entrevista falando de Deus

Estou há vários dias com uma entrevista de Abílio falando da expansão do BRF e das expectativas com o Brasil atual. Segunda-feira fui surpreendido com uma nova entrevista a Sonia Racy do Estadão falando sobre seu novo livro e sua fé em Deus. Também guardei esta nova e curiosa entrevista para comentar no meu blog. Hoje vi as fotos do lançamento do seu novo livro e algumas personalidades que foram à solenidade...

Como também sou pessoa de muita fé, reservei algumas citações para mostrar: 

1 - Nas 175 páginas de "Novos Caminhos, Novas Escolhas", nome do novo livro, diz: "Eu me reinventei, e não só profissionalmente. Atribuo isso à minha fé em Deus".

2 - Ao ser perguntado se "Acredita que o ser humano controla o que ele quer ser?", Abílio respode:

"Se eu posso, você também pode... Nasci filho de imigrante português, um padeiro. Nunca tive dinheiro, se cheguei aonde cheguei, por que outros não podem chegar?"

- Você escolhe o que quer na vida. Eu escolhi. Um caminho de desafios, de inconformismo com certas situações... As pessoas têm que traçar metas na vida. Eu tinha tudo para não dar certo na vida.

- Eu tive uma boa base, minha mãe me deu uma coisa sensacional que foi me apresentar para Deus, e aí eu segui por esse caminho. Minha mãe me deu a proximidade com Deus e meu pai as noções de honestidade e ética. Foram as escolhas que fiz...

Agora meus comentários:

Quem conhece a história e as estórias de Abílio sabe que negociar com ele sempre foi muito difícil. Foi difícil com os familiares, foi difícil nas compras e aquisições de novas empresas, como foi difícil superar a primeira grande derrota ao vender o Pão de Açúcar para o Casino francês. Mas, como Abílio sempre foi competitivo, comprou boa parte da BRF, gigante de alimentos no Brasil e no mundo,  está ampliando seus negócios, comprou parte do Carrefour no Brasil e na França e hoje o Carrefour cresce mais do que o Pão de Açúcar.

A fé  ajudou muito, mas a vontade de enfrentar  desafios, sem esmorecer foi determinante para seus resultados. Abílio é tão marcante que, no lançamento livro compareceram personalidades como Geraldo Alckmin, Candido Bracher, Luiz Trabuco, Yoshiaki Nakano e Vicente Falconi.

Quando a gente defende que o Brasil seja uma sociedade democrática, solidária, laica e competitiva é para que, mesmo com a ajuda da Fé e de Deus, todos possam ter educação, saúde e vida comunitária de qualidade, possibilitando formar cidadãos sãos e competitivos internacionalmente, como Abílio é. Quanto mais desigual fica o Brasil, menos Abílios oriundos dos milhões de mais pobres teremos.

Nossos empresários sequer conseguem ser solidários com o sr. Emilio Odebrecht, quanto mais com os mais pobres.

Mais reconheço que Abílio Diniz é um bom exemplo de brasileiro.
Por isso estou sempre falando dele no meu blog.



Nenhum comentário:

Postar um comentário