terça-feira, 23 de agosto de 2016

Depois das Olimpíadas, a tristeza

O Judiciário ridiculariza o Brasil

O ministro Gilmar Mendes manda e desmanda, agride quem discorda dele, ridiculariza os políticos e outros representantes das instituições nacionais.

Os demais membros do Judiciário silenciam...
Os políticos silenciam...
Os executivos silenciam...
Os empresários silenciam...

Só quem reage é a imprensa apoiando-o e as redes sociais questionando-o.
Foi para isto que o Congresso Nacional deu estabilidade no emprego e bons salários para os juízes? Um poder, arbitrariamente, pode ridicularizar os demais poderes?

Tudo isto pode ser chamado de Democracia?

Como fica nossa auto-estima?
Até quando suportaremos isto?

Não basta o desemprego, o custo de vida e o arrocho salarial?
Não basta o golpe do impeachment?

Precisamos começar um movimento pela retomada da democracia e do respeito aos poderes constituídos. Cada dia que passa, ficamos com a sensação de que a convocação de eleições gerais antes de 2018 será imprescindível, para evitar o caos e a desordem. Este governo está sendo pior do que o de Collor. É muito triste constatar tudo isto.

Sinto saudade de pessoas como Dom Paulo Evaristo Arns, Ulisses Guimarães, Brizola e tantos outros.

A classe média está à deriva, flertando com o fascismo e a manipulação. O mundo acadêmico perdeu a voz. A OAB perdeu a verve e os jovens atônitos ainda buscam um norte.

E pensar que os jovens, os negros, as mulheres e os pobres em geral vinham melhorando de vida, acreditando na democracia e na liberdade.

Como no Oriente Médio, nossa Primavera 
está se transformando em pesadelos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário