sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Brasil vive a pior recessão e nova ditadura

Fatos e Versões

Todos os dias, até o final da votação do golpe do impeachment, veremos os jornais, rádios e TVs, a imprensa insistindo em tentar passar uma imagem positiva do Brasil. Vão dizer que a economia está melhorando, que o senado federal finalmente votou para encerrar o processo de impedimento da presidente eleita, Dilma Roussef. O Brasil vai viver uma nova ditadura...

A ditadura do Judiciário aliado à Imprensa e aos empresários.

Sem liberdade de imprensa,
Sem judiciário apartidário e neutro,
Com um legislativo golpista e à serviço dos empresários,
Com o povo perdendo seus direitos, seus empregos
e seu direito de organização e manifestação.

Entre os Fatos e Versões que nossa imprensa manipula,
vejam algumas informações publicadas pelo jornal Valor de hoje, e organizadas de outra forma.

A população empobreceu. 
O PIB per capita caiu 16% entre 2013 e 2016.
O desemprego cresceu de 6,4% para 11,2%. Cerca de 12 milhões de trabalhadores perderam o emprego. Mais do que a população de Portugal.

O Brasil vive a pior recessão deste e do século passado. 
A contração da economia já é de 6,8% no período de 2013 a 2016.

O Estado quebrou.
Os dados do Ministério da Fazenda e do Banco Central, retratam a gravidade da situação. A dramaticidade da crise brasileira só é comparável à de países em conflito, como a Ucrânia.

Mordaça por 20 anos.
Os novos ditadores apresentaram uma PEC - Proposta de Emenda Constitucional, que limita o crescimento do gasto público à correção pela inflação para os próximos 20 anos. O que significa que as políticas públicas, principalmente Saúde e Educação, serão privatizadas e o povo pobre voltará a ficar sem acesso a saúde e a educação. Mas aumentar os salários dos juízes e dos delegados da polícia federal pode.

Mais desemprego, mais arrocho salarial, mais inflação, mai aumento do custo de vida, menos escola públicas, menos centros de saúde e hospitais públicos, aumento da idade para as mulheres poderem aposentar, menos recursos para agricultura familiar, menos liberdade nas escolas, menos formação e mais concentração de renda.

O Brasil deixará de ser "Um país de todos", 
para ser "O Brasil dos ricos e trambiqueiros".

Só falta combinar com o Povo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário