sábado, 27 de agosto de 2016

Apesar dos golpistas, ainda temos as flores

Os clínicos, os que reagem e os que se calam

A guerra da manipulação da informação é pior do que a guerra bélica. Basta ver a capa do jornal Estadão para perceber que a acusação Polícia Federal a Lula e família faz parte da armação para gerar noticiário negativo às vésperas da votação do golpe do impedimento de Dilma. Como não vejo a Globo, não sei o quanto eles comemoraram, sei que a Folha noticiou com menos destaque, talvez percebendo o ridículo da trama.

Os golpistas não estão tirando apenas a presidente eleita democraticamente, os golpistas estão tirando é a nossa democracia, a nossa liberdade de escolher nossos representantes.

Os clínicos estarão comemorando durante toda a semana de votação no Senado; os que reagem estarão nas ruas e praças denunciando mais um golpe na história do Brasil; e a maioria ficará silenciosa. Muitos envergonhados por ter apoiado o golpe, e muitos porque não sabem como reagir. 

Na verdade, está ampla maioria não quer nem Temer nem Dilma. Mas, quem não luta não vence. Quem não luta obedece.

Para compensar o sofrimento por mais um golpe, 
aproveitando o sol deste sábado, 
resolvi torar fotos de nosso jardim. 

Talvez um pouco de arruda e hortelã melhore o astral.


Ou um pouco de flores e folhas verdes e bonitas...


Ou o olhar ao pé do "Lágrimas de Cristo" , seco, sem folhas nem flores, em pleno final de agosto, como se estivesse esperando terminar o maldito processo de impeachment, para só assim voltar a florir. Já as mariazinhas, na sua modéstia, continuam florindo, como se pedisse para não perder as esperanças.


Mesmo contra a vontade dos golpistas, 
As primaveras sempre voltam.
E com elas, também voltam às flores.

Lutar pela liberdade, pela democracia,
E pela inclusão dos pobres,
Nunca envergonhou ninguém...
Sempre valeu a pena.


Nenhum comentário:

Postar um comentário