sábado, 30 de julho de 2016

Sol e flores em São Paulo

Apesar dos golpistas e do novo fascismo

Ao acordar o sol começava a brilhar na Vila Madalena. 
Ao sair para comprar pão, parei na escada para ver as novas flores que estão aparecendo. 

Do lado direito da nossa casa,
o ipê amarelo do nosso vizinho começou a florir.
Vejam estas fotos tiradas da entrada de casa.


Primeiro está o pé de pata-de-vaca com flores rosadas,
Depois estão as primeiras flores amarelas do ipê.


Os dois lados, à esquerda e à direita da rua,
as flores amarelas brilham ao sol.

E preparando-se para entrar em cena,
o jasmim sobre nosso muro do jardim
também se prepara para abrir suas flores brancas.


São centenas de botões como estes...


Mas, nem tudo são flores...

Enquanto passamos o dia vendo pés de ipês rosas e amarelos por toda cidade, ao chegar ao Ibirapuera na parte da tarde, tivemos a passagem bloqueada pela polícia, para dar passagem à uns 30 carros com pessoas da classe media portanto bandeiras brasileiras e comemorando a possível prisão de Lula. Estas pessoas não falavam em liberdade, democracia ou povo, só exigiam o fim do PT e a prisão de Lula. 

Fiquei meditando sobre estes fascistas que apoiaram o golpe do impeachment e ignoram tudo de ruim destes golpistas. Eles querem que o povo pobre, como os negros, voltem ao seu lugar. Voltem a ser pobres.

Ao chegar em casa fui procurar o livro de Helgio Trindade sobre o Integralismo e o fascismo no Brasil na década de 30, do século passado. Livro que comprei por indicação do professor Mauricio Tratenberg, nosso grande erudito de esquerda e professor da GV na época.

Por ironia uma das apresentações do livro é do professor Fernando Henrique Cardoso, antes de ser presidente da república e antes também de virar golpista em 2016. Triste currículo...

Os fascistas não gostam de livros nem de flores. 
Os fascistas são sementes de guerras e de limpeza étnica. 
O fascismo crescente no Brasil tende a levar o País a novas batalhas. Getulio Vargas defendeu o povo e o projeto de desenvolvimento nacional. FHC defende o neoliberalismo, o fim da herança de Getulio, como a CLT e defende privatizar tudo e vender as empresas brasileiras aos americanos. 

Nossa imprensa e nosso judiciário estão reforçando este novo fascismo neoliberal e entreguista.

O Brasil sobreviveu unido até agora, com o fim da democracia participativa e a volta da democracia aristocrática e manipuladora, não sabemos o que vem pela frente. 

Dias piores virão ... Além de mais desemprego e mais violência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário