quarta-feira, 20 de julho de 2016

Fascismo no Brasil e na Espanha

As contradições do Estadão

Nos últimos tempos o velho e centenário jornal Estadão tem se transformado num boletim fascista, manipulador e de baixo nível politico. Até parece coisa de esquerda raivosa, só que é de direita. É tão pobre politicamente que prefiro dizer que é um jornal politicamente fascista. Já seu concorrente paulista, a Folha, eu prefiro chamá-la de uma direita envergonhada. Mas que mantém uma margem de pluralidade política.

O quê salva o Estadão?
Seus cadernos de Economia, Internacional e Cultura.
O que se deduz que o fascismo ficou, por enquanto,
no primeiro caderno e nas manchetes...

Hoje, por exemplo, eu li mais artigos do Estadão do que da Folha.
Foi que comecei a ler o jornal de trás para frente.
Tem sido mais agradável...

A primeira grande matéria, de página inteira e de grande destaque, exatamente a última página do jornal:

"Negativos de guerra - Mostra A VALISE MEXICANA reúne fotos de Robert Capa, Gerda Taro e David Chim, extraviadas durante 70 anos."

Só um jornal com tradição secular para publicar uma reportagem tão maravilhosa. Principalmente para quem gosta de fotografias e de História.

Já pensaram, achar três caixas com 4.500 negativos de fotos da Guerra Civil Espanhola? Coisas divinas, achadas por acaso e pelo esforço de algumas pessoas que souberam reconhecer a importância histórica destas fotografias.

A Guerra Civil Espanhola terminou com a vitória dos fascistas, o fim da República, à volta à Monarquia e à uma ditadura que durou sessenta anos, além do sofrimento imenso de milhões de espanhóis.Lembram de Guernica?

A exposição destas fotos históricas - A VALISE MEXICANA - está na Caixa Cultural São Paulo, Praça da Sé, 111, telefone 55-11-3321-4400. de Terça a domingo, das 9 às 19h. Grátis. Até 02 de Outubro de 2016. Mais um grande serviço de utilidade pública, prestado por um banco público e estatal. Vocês percebem porque não devem privatizar tudo como querem os neoliberais e entreguistas?

A segunda boa matéria do Estadão de hoje: Nelson Freire, o nosso grande pianista, gravou obras de Bach. Algo sempre maravilhoso. Ouvir Bach, ainda mais tocado por Nelson Freire.

A terceira boa matéria está na parte Internacional e é o sempre bom artigo de Gilles Lapouge. Nosso francês, que ainda não se naturalizou brasileiro, mas que ama mais o Brasil do que muitos políticos neoliberais e fascistas.

Estas três boas notícias do Estadão, mostra que podemos viver numa Democracia. Que os jornais como Estadão e Folha não precisam organizar e apoiar golpes militares e civis. Que mesmo sendo jornais de direita, podemos ser seus assinantes para ler as partes internacionais, de economia, de esportes e de cultura.

Um outro Brasil também é possível. 
Parabéns ao lado bom do Estadão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário