quinta-feira, 2 de junho de 2016

Este Congresso Nacional é uma fraude

Contra a fraude, Eleições Gerais, já!

No Parlamentarismo, quando o primeiro-ministro ou o presidente perde o apoio da maioria dos congressistas, chama-se novas eleições ou os congressistas elegem um novo primeiro ministro.

O Brasil não é parlamentarista, mas os congressistas resolveram dar um golpe com nome de impeachment e estão derrubando a presidente. Só que o mundo não reconheceu legitimidade nem legalidade nos golpistas e o povo brasileiro, quanto mais conhece a cara deste governo interino, mais se sente traído pelos parlamentares e pelos apoiadores do golpe do impeachment.

A cada dia é mais uma denúncia contra estes congressistas corruptos e traidores...

Mas, o mais grave contra este Congresso Nacional, foi que a ampla maioria destes deputados e senadores foram eleitos sob o Programa Eleitoral da candidata do PT, que representava uma coligação de mais de dez partidos políticos. Se eles foram eleitos sob um programa Democrático Popular, estes parlamentares não podem mudar de opinião no meio do mandato e deixar de ser progressistas para virar neoliberais, entreguistas, traidores do povo que o elegeu. Foram mais de 54 milhões de votos...

Se a maioria dos deputados e senadores traiu o voto de confiança que o povo lhes deu, este Congresso Nacional passa a ser uma fraude e o presidente interino passa a ser resultado de outra fraude.

Se vivemos sob um governo que é decorrente de uma fraude, por ter sido empossado por um Congresso que é outra fraude, o Brasil só passará a ter um Legislativo e um Executivo com legitimidade e com legalidade se forem convocadas Eleições Gerais. 

E, para não deturpar ou contaminar as eleições municipais, estas devem ser realizadas em outubro e as eleições gerais podem ser realizadas no final de novembro.

Fica a dúvida: 
Quem aprovaria a convocação destas eleições gerais?

A resposta é simples: O Povo!
A Democracia é um sistema de governo fundamentado na vontade popular e no voto direto. Tudo que nega, trai e ignora a vontade popular e o voto direto é ditadura. Seja ditadura militar, civil ou jurídica.

Contra a fraude legislativa, Eleições Gerais, já!

Nenhum comentário:

Postar um comentário