segunda-feira, 30 de maio de 2016

Os Ipês da rua Purpurina

As flores de maio

Hoje, quando passei cedo pela Rua Purpurina, na Vila Madalena, fiquei olhando as lindas flores do Ipê. Quase parei o carro para tirar fotos, mas o trânsito não recomenda. Mais tarde, quando abri o Facebook, vi a mensagem do dia 30 de maio de 2015, no ano passado, que a mensagem era sobre as flores dos ipês da Rua Purpurina. Estes cumpriram o calendário e floriram na mesma época. Pena que eu não tenha fotos. Mas estão lindos.

A cidade de São Paulo está colorida com as flores dos Ipês.
Mesmo o pé de Ipê do Anhangabau já começou a florir.
Apesar da poluição.

Eu gostaria muito que o Brasil também fosse previsível, que os políticos respeitassem seus eleitores e à sociedade, que a Justiça funcionasse com transparência e com equidade, que a imprensa fosse mais ética, que os movimentos sociais parassem menos o trânsito e que o Brasil tivesse mais trens e metrôs. Já pensaram a alegria de acreditar na gestão pública? Puder andar nas ruas sem medo dos bandidos? Puder ir ao cinema ou ao parque andando e deixar o carro em casa?

Quem sabe esteja na hora da virada?
Quem sabe as pessoas percebam que o problema é estrutural, que temos pessoas que roubam, mas que a estrutura do Estado brasileiro não serve mais para nós?

Vão vender a BRF?

Mesmo falando das flores e do Brasil, eu gostaria de registrar aqui que há acontecendo com a BRF, uma grande empresa de alimentos e derivados de carne. Abilio entrou como presidente e o jornal Valor andou publicando que há uma grande empresa americana interessada em comprá-la. Parece que o interesse aumentou, porque o meu blog começou a ser visitado sobre a venda da BRF.

Enquanto as flores me dão alegria, a venda de empresas brasileiras aos estrangeiras me causam um verdadeiro constrangimento. Fico com a sensação de que os brasileiros não têm auto-estima...

Vamos ver como vão ser as flores de junho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário