quarta-feira, 18 de maio de 2016

Furacão em SP e suas consequências

Estão subestimando os fatos

Há quase 50 anos morando, nunca vi algo parecido com o que aconteceu nesta última segunda-feira. De repente o céu se fechou e vimos a maior tempestade relâmpago sobre a cidade e particularmente sobre o centro. Já mostrei as fotos da Praça Antonio Prado às 17:00 h. O caos e o medo tomaram conta do centro.

Aquilo não era uma mera tempestade, era um TUFÃO!

Quando fui pegar o carro no Anhangabaú para ir para a Vila Madalena, fui constatando a tragédia deixada pelo rastro do tufão. na área do metrô os grandes pés de eucaliptos estavam quebrados ou arrancados como se fossem plantinhas... Ao chegar à avenida Ipiranga, eram árvores e mais árvores quebradas ou caídas, parando o trânsito e provocando falta de luz.

Subir a avenida Ipiranga, depois a Consolação até a avenida Dr. Arnaldo tomou mais de três horas, além do desgaste emocional com os semáforos quebrados. Alguns guardas de trânsito ajudavam...

Ontem ouvi alguns jornalistas criticando a prefeitura pela demora no atendimento às podas das árvores e hoje vejo uma boa reportagem na Folha, porém apenas lá dentro do caderno Cotidiano.

Na verdade, a coisa é muito mais grave! 
Foi um tufão que apareceu pela primeira vez,
mas que pode voltar a acontecer na cidade.
Já presenciamos isto nos estados do sul do Brasil.

- Tivemos ventos de mais 100 km/h;
- Foram 189 árvores caídas ou quebradas;
- Foram várias mortes;
- Dezenas de ruas e bairros sem luz;
- Centenas de semáforos inativos.

Isto é CALAMIDADE PÚBLICA!

Ontem ainda tínhamos várias ruas com árvores caídas e o trânsito impedido. Pior do que enfrentar as árvores e o trânsito foi constatar que alguns bairros continuavam SEM ENERGIA ELETRICA!

O que impediu a ELETROPAULO de restabelecer a energia elétrica em bairros residenciais e comerciais? E quem tem filhos pequenos, como ficaram? E os comerciantes, escritórios e clínicas? Tudo sem luz!

Normalmente os Bombeiros e o SAMU são rápidos e prestativos. Porque a Eletropaulo, a Sabesp e a prefeitura, demoram tanto para restabelecer a ordem e a infraestrutura?

Creio que a resposta é mais ampla do que dizer que é má vontade dos funcionários da prefeitura. A resposta é mais estrutural. Precisamos ter uma Defesa Civil mais consolidada nas comunidades, nas Associações Amigos de Bairro e nas Ações Locais, como faz o Viva o Centro.

A verdade é que tivemos um TUFÃO, 
que a Defesa Civil e a Eletropaulo deixaram a desejar,
e que precisamos nos preparar comunitariamente
para enfrentar novas situações como esta.

A Imprensa poderia ajudar a fazer este debate. Este assunto merece mais destaque e mais atenção. Não é momento de tergiversar sobre a eficiência ou não dos poderes públicos e das concessionárias. É hora de pensar na cidade e nos seus moradores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário