terça-feira, 10 de maio de 2016

Entre o golpe, a família e o passado

O Brasil violentado

Fiquei quatro dias em Serrinha, Bahia, visitando meus pais que estão idosos e minha mãe que comemorava 93 anos de idade. 

Alguns amigos me procuraram querendo saber porque eu não estava escrevendo no blog. Respondi que estava priorizando o tempo para os velhos. Afinal, sempre corre o risco de ser a última vez que vejo um deles vivo. O tempo é implacável... Todos iremos um dia, mais jovens ou mais velhos.

Sair da muvuca política não significa ficar livre dos golpistas.
No interior é comum as pessoas deixarem a TV ligada o tempo todo. Ainda mais onde moram idosos. A tv é a babá de crianças e adultos. Os golpistas na TV são 24 horas por dia! A TV tem um papel nefasto, quando mal utilizada...

Mas o interior nordestino também tem outra realidade. Muitos carros, faculdades, muito comercio, asfalto e até semáforos... O desagradável é a mania de som alto nos carros e nos bares. Um verdadeiro inferno.... Só perdem para os golpistas. 

Outro fator curioso é constatar que as ruas da nossa infância, que pareciam enormes e largas, não passam de algumas quadras de ruas estreitas que não passam dois carros ao mesmo tempo. Lembra a caverna de Platão. 

O bonito foi ver que as flores no sertão baiano são tão bonitas quanto as flores da Vila Madalena ou do Alto de Pinheiros. As flores são socialistas... Florescem para todos, sem privilegiar ricos ou pobres. Basta ter vontade de plantar e de cuidar. Aqui plantando tudo dá, lembram?

Vejam estas flores...


Hibiscos são lindos em qualquer lugar do mundo.


Jasmins brancos, verdes e fortes como os sertanejos.


Até girassóis também estão presentes...

O Nordeste pode ser fértil, rico e solidário.

Só falta os políticos deixarem de roubar e passarem a ser servidores, em vez de servidos. Este desafio conquistaremos quando a educação passar a ser prioridade. Democracia sem educação de qualidade não é democracia.

Foi muito bonito encontrar nossos familiares e matar a saudade da infância. Triste foi aguentar o barulho dos sons e a bestialidade dos golpistas do impeachment. Eles passarão, passarão, passarão...

Agora volto ao trabalho e a loucura do trânsito de São Paulo.
Aqui são outras boas lembranças e muitas outras histórias.
O Brasil passa por todas suas cidades....

Um comentário:

  1. Curioso foi que nesta viagem à Serrinha-Bahia, levei comigo o primeiro volume do livro de Memórias da Segunda Guerra Mundial, de Churchill.

    Eu ficava aterrorizado com a violência da guerra e das negociações entre países. O mundo se desmanchava e todo mundo se fazia de morto...

    Hoje, ao verificar quais países andaram nos visitando, constatei mais surpreso ainda que são:
    Rússia, 280 vezes, Alemanha, 120 vezes, Ucrânia, Polônia, Lituânia, Reino Unido/Inglaterra, França, Espanha, Portugal, Estados Unidos e Suíça. Todos envolvidos na segunda guerra mundial.

    Será premonição?

    ResponderExcluir