terça-feira, 31 de maio de 2016

BRF está comprando ou vendendo?

Abilio Diniz joga nas duas frentes?

Os jornais de hoje dão ampla cobertura aos negócios da BRF, grande empresa brasileira criada a partir do BNDES na época de FHC, Lula e Dilma, comprando empresas na Argentina e reunindo-se com o presidente Macri, gerando mais de dois mil empregos.

Ao mesmo tempo, o jornal Valor andou publicando matérias dizendo que uma grande empresa americana estava negociando a compra da BRF brasileira.

Afinal, a BRF está comprando? Ou está à venda? Ou as duas coisas?

Que anda passando na cabeça de Abilio Diniz?

Vejam a boa matéria do Estadão de hoje.



BRF irá investir R$ 1 bilhão na Argentina este ano

Estadão – Daniela Frabasile
31/05/2016

Abilio Diniz se reuniu ontem com Mauricio Macri para apresentar investimentos do grupo

A BRF, maior exportadora de carne de frango do mundo e uma das maiores fabricantes de alimentos processados do País, anunciou ontem que investirá este ano US$ 292 milhões (cerca de R$ 1 bilhão) em sua filial na Argentina para expandir os negócios no país vizinho e consolidar a plataforma exportadora.

O anúncio foi feito após uma reunião dos diretores da empresa com o presidente argentino, Mauricio Macri, que assumiu o governo no fim do ano passado. “Confiamos no potencial da Argentina”, afirmou Abilio Diniz, presidente global do Conselho de Administração da BRF em um comunicado.

Parte do valor já foi aplicado nas aquisições das empresas Campo Austral, produtora de carne suína, por US$ 85 milhões, e Calchaqui, que produz frios, por US$ 105 milhões. O restante da quantia será usado para a ampliação e modernização de linhas de produção de outras unidades – a empresa opera hoje nove fábricas em quatro províncias do país vizinho.

“Estamos convencidos de que o caminho para os próximos anos é o de otimizar o livre-comércio de bens e serviços entre os membros do Mercosul e com outros parceiros comerciais, fazendo do Brasil e da Argentina uma plataforma de exportação para o mundo”, disse Pedro Faria, CEO Global da BRF, em nota.

 A BRF comercializa marcas icônicas na Argentina, entre elas, Paty, Campo Austral, Sadia, Danica, Vienissima, Bom Mark, Bocatti, Manty e Delicia.

No primeiro trimestre de 2016, a receita operacional líquida da divisão Latam totalizou R$ 438 milhões, 11,2% maior que o registrado em igual período do ano passado.

Multinacional. No fim do ano passado, a BRF anunciou três aquisições no exterior por uma soma total equivalente a US$ 500 milhões. As empresas compradas, sediadas na Tailândia, na Argentina e no Reino Unido, vão adicionar US$ 600 milhões ao faturamento da companhia brasileira em 2016 e dobrarão sua capacidade de produção no exterior para 8% do total.

Na época, em relatório, o BTG ressaltou que, com as novas operações, a BRF já teria investido mais de US$ 1,1 bilhão em aquisições no exterior nos últimos quatro anos. Com a compra da Campo Austral, Faria afirmou à época que a presença da BRF Argentina passaria a espelhar de uma forma bastante completa o que era a atuação da empresa no Brasil.

Em outubro, a companhia já havia comprado sete marcas argentinas de salsicha, hambúrguer e margarina da Molinos Rio de La Plata, por meio das suas subsidiárias no país, Quickfood e Avex.

A BRF adotou fortemente uma estratégia de expansão internacional em maio de 2013, quando o empresário Abilio Diniz assumiu a presidência do conselho da empresa de alimentos.

Desde então, a empresa vem investindo em sua globalização por meio de aquisições. Foram 12 movimentos importantes nos últimos dois anos no Oriente Médio (Emirados Árabes Unidos, Omã, Kuwait, Qatar), Ásia (Indonésia, Cingapura e Tailândia) e na Argentina.
Leia Mais:http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios,aportes-da-brf-na-argentina-chegam-a-r-1-bi,10000054344
Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitt

Nenhum comentário:

Postar um comentário