quarta-feira, 13 de abril de 2016

O Brasil vai à Guerra?

Frustração Nacional neste domingo

Qualquer que seja o resultado da votação no próximo domingo,
o Brasil viverá uma frustração muito grande.

Primeiro pelo fato de o país parar literalmente em função de uma disputa de hegemonia entre políticos, que envolveram o judiciário, a imprensa, os empresários e os movimentos sociais sem que efetivamente haja uma grande transformação;

Segundo porque qualquer que seja o resultado, o país continuará dividido, com sério risco de crise de governabilidade, forçando a economia a continuar estagnada, com desemprego e arrocho salarial;

Terceiro porque não há, por enquanto, ninguém com capacidade de liderar um grande acordo nacional. A liderança mais destacada para fazer isto ainda é LULA. Mas, mesmo Lula, enfrentará uma resistência muito grande do PSDB, da imprensa e do judiciário. Estes segmentos investirão no caos se forem derrotados neste domingo. Precisamos constituir uma Comissão de Pessoas altamente representativas para organizar um período de transição até 2018;

Quarto lugar porque o Congresso Nacional precisa aprovar uma lei que atualize as funções do Judiciário. O Brasil não pode ficar refém de juízes que usam suas atribuições partidariamente ou de forma inescrupulosa.

Quinto lugar porque a Imprensa não pode continuar colocando-se como estimuladora do caos e dos golpes. Da mesma forma que o Congresso Nacional precisa regulamentar o Judiciário, o mesmo precisa ser feito com a Imprensa.

Só de imaginar que a votação deste domingo será presidida por uma pessoa como Eduardo Cunha, já põe em descrédito qualquer processo em nome da moralidade e da ética. Cunha desmoraliza o Brasil.

Independente do resultado, os governantes precisarão fazer um grande acordo nacional de governabilidade, o Congresso Nacional precisará regulamentar o Judiciário e a Mídia. Porque não se aproveita o clima e se convoca uma nova Constituinte com Eleições Gerais em todos os níveis, criando assim uma oportunidade efetiva de um novo começo para o Brasil democrático?

Estamos vivendo um clima de guerra total, onde a verdade é o que menos importa. Mas, dependendo de como acontecer e o que vai acontecer neste domingo, o Brasil poderá entrar num caos social com violência generalizada.

Nas guerras, o difícil é sempre os começos, depois de começadas chegam as barbáries, as chacinas e as migrações violentas, como estão acontecendo no Oriente Médio.

O brasileiro passivo e obediente que existiu até agora, não existirá mais.

O que estamos presenciando é a necessidade de um novo pacto de convivência entre empresários e trabalhadores, urbanos e rurais, trabalhadores da iniciativa privada e funcionários públicos, jovens e velhos, crentes de todas as religiões, como também a convivência e o respeito às pessoas de todas as regiões do Brasil.

Todos os brasileiros e brasileiras exigem ser respeitados e a terem as mesmas oportunidades. O "cala a boca" e as carteiradas, os caixas dois, as contas fantasmas e os políticos inescrupulosos não podem existir mais neste Brasil atual.

A palavra CIDADANIA  já foi incorporada pelo povo brasileiro.
Falta fazer todos cumprirem as leis. 
O povo exige direitos iguais para todos.

Os pobres exigem ser tratados com Dignidade e Respeito.
Não subestimem a capacidade de resistência do povo.
Ela vai aparecer das mais diversas formas...



Nenhum comentário:

Postar um comentário