terça-feira, 19 de abril de 2016

Brasil vai passar por inferno astral até 2018

Ditadura de classe e manipulações

Aparentemente, nas democracias, as classes sociais ficam diluídas. Aparentemente pobre pode ficar rico e rico pode ficar pobre. O problema é qual a proporção de pobre fica rico e qual a proporção de rico fica pobre. Outro problema é se as Regras do Jogo são iguais para todos ou não. Daí que se diga que a democracia é o melhor sistema de governo, desde que se respeitem as regras do jogo. O famoso fair play.

Por exemplo, todo mundo enaltece a "democracia americana", mas poucos sabem que, nesta democracia, se alguém ou algum grupo social tentar ameaçar a hegemonia branca, anglo-saxã, capitalista e protestante, este alguém ou grupo social é excluído da sociedade. Excluído no processo democrático ou punido com prisões e mortes. É o famoso "big stick". Que continua em vigor. Mas, apesar do "grande porrete", ainda é uma das melhores democracias do mundo. Perdendo apenas para as democracias da Europa Ocidental. Lá os parlamentarismos são melhores do que os presidencialismos americanos, incluindo a América Latina.

Aqui no Brasil, as regras ainda não estão formalmente legitimadas. Por isto que convivemos com períodos de ditaduras e períodos de democracia. Como os ricos não conseguem se legitimar pelo voto, periodicamente eles precisam interromper as democracias, implantar ditaduras através de golpes civis ou militares, e depois aceitarem à normalidade democrática, desde que não sejam ameaçados na sua hegemonia.

O PT ameaçou os ricos?
Ironicamente, não. Os ricos nunca ganharam tanto dinheiro como ganharam no período Lula. Então porque os ricos estão derrubando o governo Dilma? Porque ela não teve a mesma capacidade que Lula teve. Lula implementou o ganha-ganha com grande inclusão social e aumentou do capitalismo social no Brasil. Um grande fenômeno! E Dilma? Enfrentou uma recessão acumulativa, não teve a sorte que Lula teve com a marolinha e ainda se indispôs com o novo Congresso Nacional, além de se indispor com o Judiciário e a Imprensa.

Crise econômica com mau-humor político ou dá revolução ou dá golpe de Estado. Como a esquerda brasileira não se propõe a fazer Revolução, a direita aproveitou a recessão e o mau-humor da presidente e deu um golpe civil, moderno como recomenda o neoliberalismo e a gestão moderna internacional. Golpes softs e ditaduras softs... sem sangue, sem prisões e sem repressão ostensiva. Uma hegemonia consolidada com uma legislação casuística. E os ricos e novos ricos aplaudirão como estão aplaudindo o novo golpe no Brasil.

O estranho é que a imprensa internacional está noticiando que está havendo um golpe no Brasil. Por mais que nossa imprensa e os intelectuais conservadores, apoiados por juristas, digam que este impeachment não é golpe. Mas é só olhar as declarações de votos dos congressistas para perceber que ninguém via crime cometido por Dilma, eles só querem o poder. Mesmo que não tenham ganhado as eleições presidenciais.

Este tipo de golpe presidencial agora poderá acontecer também com os governadores e os mais de cinco mil prefeitos brasileiros. Estes novos ditadores não querem o Parlamentarismo modelo europeu, eles querem mandar sem precisar disputar os votos democraticamente. E ainda "elegem" Eduardo Cunha como seu heroi nacional. Durma com um barulho deste!

Nenhum comentário:

Postar um comentário